Entrevista

Claudete Troiano desabafa: "Os cinco piores anos da minha vida"

Apresentadora perdeu a mãe após anos de luta contra o Alzheimer

 Claudete Troiano desabafa: "Os cinco piores anos da minha vida"
Claudete Troiano retoma programa ao vivo após as férias - Divulgação

Sandro Nascimento

Publicado em 21/01/2019 às 09:25:55

Após as férias, Claudete Troiano retorna nesta segunda-feira (21) ao comando do feminino "Santa Receita", ao vivo, na TV Aparecida.

continua depois da publicidade

No seu período de descanso, a apresentadora pôde viajar depois de um hiato de cinco anos. O motivo foi sua opção em cuidar da mãe, Dona Aurora, que sofria de Alzheimer e faleceu em outubro do ano passado.

Em um depoimento comovente, Claudete Troiano relatou com exclusividade ao NaTelinha como foi perder alguém tão importante em sua vida.

"Eu fiquei na verdade quase cinco anos sem fazer isso (viagem). Porque eu não queria sair do lado dela. Quer dizer, eu queria estar como estou agora, em paz, deste o dia que ela partiu. Sinto uma saudade enorme porque ela era muito legal e sempre foi parceira. Mas na verdade, eu perdi a minha mãe não foi no dia 21 de outubro (2018), eu perdi minha mãe há cinco anos quando o mal de Alzheimer se instalou nela. Eu nunca pensei que ela fosse ter essa doença e foi de uma forma muito triste. Ela era uma pessoa que fazia tudo sozinha: banco, palavras cruzadas, adorava esportes e sabia os nomes de todos os jogadores de todas as equipes", lamentou Claudete, que também relembra que a mãe chegou a ir ao estádio do Morumbi quanto tinha 90 anos.

continua depois da publicidade

Eu tenho certeza que agora ela tá bem. É muito chato você com Alzheimer, você perde a dignidade também

Claudete Troiano sobre a mãe

A apresentadora completa: "É muito ruim ver quem você ama definhando devagarzinho e progredindo com a doença na sua frente. Sabe? Um dia pior que o outro, um dia pior que o outro e um dia pior que outro... Os cinco piores anos da minha vida com certeza foram esses. Eu fiz tudo que podia, e até o que não era pra eu fazer, eu fiz para ficar assim, em paz".

continua depois da publicidade

Durante alguns dias de setembro, Claudete Troiano precisou se ausentar da apresentação do "Santa Receita" para ficar ao lado da mãe com a piora do seu estado de saúde. Dona Aurora estava numa UTI, em São Paulo.

"Eu tenho certeza que ela tá bem. Eu tenho certeza que pra ela foi o melhor. É muito chato você com Alzheimer... Você perde a dignidade também. Vê gente que você nunca viu te trocando, você usa fraldas. No meu entender, minha mãe não merecia isso. Mas o destino, eu acredito nele e tá traçado pra todo mundo, quis que ela passasse isso por algum motivo. Mas eu estou bem, estou em paz. Eu sei que ela tá bem. O que eu queria era isso, me dedicar como eu me dediquei. E era o que ela merecia na verdade", desabafa.

continua depois da publicidade

Volta ao ar

Apresentando desde 2014 o "Santa Receita" diariamente nas tardes da TV Aparecida, Claudete Troiano anuncia que renovará seu contrato com a emissora em fevereiro e ganhará mais meia hora na grade.

"O programa casou na rede. Estou indo para meu quinto ano, eu nunca imaginei isso. Na verdade eu fui para Aparecida pra gravar 14 programas. Mas essa coisa de aprender e conviver com gente jovem... Lá a maioria é muito jovem, em torno de 21 e 22 anos, nunca trabalhei com tanta gente jovem na minha vida (risos). Mas isso se renova também, é uma troca com experiências de coisas novas, ideias novas. A expectativa é sempre grande porque você está fazendo isso há muitos anos e se reinventando", destaca.

continua depois da publicidade

Claudete conta que dentre as novidades para essa nova temporada do "Santa Receita", ela lançará um quadro com brincadeiras que vai distribuir prêmios para o público, mas faz segredo sobre os detalhes. "Estou acreditando muito como nas carinhas do 'Note e Anote", que foi um estouro. A gente dá uma mudada aqui e lá mas a essência do programa não se perde", explica, dizendo que existem outras novidades para este ano.

continua depois da publicidade

Claudete estreou na TV aos 7 anos de idade; aos 13, apresentava programas infantis. Ela já passou pelas principais emissoras de TV, dentre elas, Band, Gazeta, Record TV e SBT.

"Graça a Deus eu trabalho numa emissora que não se importa... É lógico que todo mundo gosta de ter Ibope, é bom pra emissora e rende frutas e tal, mas um canal que está muito mais preocupado com a qualidade daquilo que você faz e oferece do que com isso. Eu também já fui barraqueira, fiz exames de DNA... Não sei nem se entro no céu (risos). Gostaria de não ir para o inferno pra não encontrar um monte de gente que eu não gosto", brinca.

continua depois da publicidade

Na TV Aparecida, Claudete Troiano diz que "aquela coisa de ficar olhando no minuto-a-minuto e ficar desesperada se a audiência caiu junto com o diretor" ficou para trás, e justifica: "hoje, junto com a maturidade, tenho uma emissora que me deixa ficar tranquila e fazer como eu fazia antigamente, que eu achava que era tão melhor. Ir pra casa, no caso do hotel, com a sensação de: 'eu hoje fiz um programa tão bom'. Isso é melhor que tudo, e outra, isso traz paz. Essa coisa do minuto-minuto está acabando com a vida de quem faz televisão e nivelando, muitas vezes, por baixo".

continua depois da publicidade

Público fiel

À reportagem, a apresentadora disse que demorou muito para cair sua ficha sobre a fidelização do seu público na TV, e que nunca se importou com o glamour que a área artística pode lhe proporcionar. "Nunca deixei que minha profissão fosse maior que minha vida. Eu faço com prazer", confessa.

"Eu sempre falava que quando alguém dizia que tal programa se propôs a fazer algo diferente e o Silvio (Santos) foi lá e ganhou na audiência: 'Você tem que entender que o público, independente do que o Silvio faça, gosta dele. O Silvio é uma pessoa da família pra eles'. Eu não quero me comparar, mas tanto tempo com a cara na TV... Sei que quando as pessoas me encontram pessoalmente e vem falar comigo dizem que gostam de mim e ligam pra me ver. Eu trabalho desde os 7 anos, mas desde os 13, quando eu comecei a fazer programas infantis, eu não tirei mais a cara da TV. Desde 80 eu tô direto. Eu amo tanto o que eu faço", conclui.

continua depois da publicidade