Tá Brincando

Otaviano Costa fala de suas inspirações para novo programa: "Chacrinha, Faustão, Silvio Santos"

Apresentador se emocionou durante lançamento do "Tá Brincando", seu novo programa na Globo





Otaviano Costa
Fotos: TV Globo/João Miguel Júnior

Publicado em 21/11/2018 às 18:20:22

Por: Fabrício Falcheti

A Globo realizou nesta quarta-feira (21) a coletiva de imprensa do novo programa de Otaviano Costa, "Tá Brincando", que estreia em janeiro nas tardes de sábado.

O apresentador, que deixou o "Vídeo Show" em julho para se dedicar à atração solo, não escondeu sua empolgação. "Fizemos já a temporada inteira. Hoje tem só uma pequena gravação e é muito emocionante ver o que a gente está conseguindo fazer", disse.

Otaviano ficou emocionado em vários momentos do evento, como quando explicou a proposta do programa de juntar pessoas de diferentes gerações num mesmo palco. "Pra quem ama o que faz, isto aqui é símbolo fundamental de uma conquista e tanto", bradou sobre o novo desafio.

Ele também ressaltou a importância dos cinco anos apresentando o "Vídeo Show" e revelou inspiração em outros colegas de profissão: "É uma mistura que vai de Chacrinha, passa pelo Fausto, pelo Silvio Santos, pelo Flávio Cavalcanti, Luciano Huck, Serginho... Vejo nesses colegas e grandes inspirações uma porção de pequenas influencias que formaram o comunicador que eu sou hoje".

Enquanto falava, Otaviano Costa foi surpreendido com um comentário vindo da imprensa. "Eu só queria dizer que eu te amo", disse a pessoa. Quando todos olharam, tratava-se de Joaquim Lopes, com quem o apresentador fez longa parceria no "Vídeo Show" e que por sinal está de volta oa vespertino. Otaviano foi às lágrimas com a declaração.

Diretor geral do programa, Adriano Ricco também falou sobre o "Tá Brincando" e ressaltou que haverão também atividades fora do palco. "Tem pessoas de todas as faixas etárias realizando coisas incríveis no palco e também em externas". Otaviano completou contando que em uma das gravações saltou de paraquedas com um senhor de 80 anos.

"Essa é a principal mensagem do programa: mostrar que idade não é limite", definiu Adriano.

O formato

"Tá Brincando" propõe uma interação entre gerações através de jogos, desafios, quadros e histórias emocionantes.

No palco, Otaviano Costa vai comandar um game em que dois jovens entre 20 e 35 anos aceitam encarar três desafios contra um "Super Time": cinco pessoas com idades a partir de 60 anos, que são experts em suas áreas de atuação – ciclismo, futebol, música, entre outras atividades.

As competições vão de provas físicas a testes de conhecimento sobre assuntos variados, como TV e música, por exemplo. A cada prova vencida, a dupla de desafiantes ganha R$ 5 mil. Podendo, portanto, levar um prêmio total de até R$ 15 mil ao final de cada episódio.

Além do game, a atração abre espaço para um show de talentos e recebe atrações nacionais e internacionais, de todas as idades. Por meio de quadros e histórias de vida, o programa também dá a oportunidade de pessoas reviverem momentos especiais do passado, em homenagens surpresas conduzidas por Otaviano, que também entra na brincadeira ao ser desafiado a encarar aventuras ao lado de convidados que levam a vida aparentemente de forma pacata, mas que têm como hobby atividades impressionantes.

Conheça os participantes do "Super Time":

Sidney Magal, 68 anos – Completou 50 anos de carreira na música. Nascido em uma família de artistas, Sidney Magal começou cantando em casas noturnas. Nos anos 1970, ficou conhecido pelo ritmo romântico e sensual de suas músicas.

Artur Xexéo, 67 anos – Jornalista cultural, trabalha no jornal O Globo desde 2000 e atualmente é comentarista no programa Estúdio i, da GloboNews. Além do trabalho como repórter e colunista, é também tradutor e roteirista teatral.

Hortência Macari, 59 anos – Um dos principais nomes do basquete feminino do Brasil. Começou a carreira em 1973 jogando no São Caetano. Fez parte da Seleção Brasileira por quase 20 anos, onde ficou conhecida nacional e internacionalmente.

Bernard, 61 anos – Estreou aos 17 anos na seleção brasileira masculina de vôlei e participou de três Jogos Olímpicos: Montreal (1976), Moscou (1980) e Los Angeles (1984). Na década de 1980 ficou conhecido por ter inventado o saque Jornada nas Estrelas.

Edinho, 63 anos – Ex-jogador e ex-treinador de futebol. Na década de 1970, fez parte do Fluminense quando o time ficou conhecido como Máquina Tricolor.

Reginaldo Leme, 60 anos – Jornalista esportivo, trabalha desde 1972 em coberturas de Fórmula 1. Além do automobilismo, participou como jornalista de três Copas do Mundo.

Marcel, 61 anos – Começou a jogar basquete aos cinco anos, e aos 16 entrou na seleção brasileira. Participou de quatro Jogos Olímpicos: Moscou (1980), Los Angeles (1984), Seul (1988) e Barcelona (1992).

Rui Chapéu, 78 anos – Estreou no bilhar aos 12 anos. Cinco anos mais tarde, já ganhava de todos na cidade onde vivia. Interrompeu a carreira na sinuca por alguns anos e, aos 34, voltou a jogar vencendo todos os seus desafiantes. Atualmente se apresenta pelo Brasil mostrando seu talento na mesa de sinuca.

Ubiraci da Costa, 73 anos – Conhecido como Biriba, é considerado o maior nome do tênis de mesa brasileiro. Contabiliza mais de 400 medalhas e 200 troféus ao longo da carreira.

Emiko Takatatsu, 74 anos – Jogadora de tênis de mesa, já ganhou ao longo da carreira mais de 500 medalhas em competições do esporte.

Patrícia Medrado, 62 anos – Ex-tenista profissional, Patrícia conquistou a medalha de prata nos Jogos Pan-Americanos de 1975, no México, e alcançou o feito de estar entre as dez melhores duplistas do mundo.

Hedla Lopes, 60 anos – Triatleta. Entre outros títulos, foi campeã Olímpica Master nos 800m livre na Dinamarca em 1989, e campeã e recordista Latino-Americano e do Caribe de Master de Natação em 1999. Aos 45 anos, aprendeu a andar de bicicleta, quando entrou para o triátlon.

Adelia Almeida, 63 anos – Joga dardo desde 1984 e já foi campeã em diversas competições, como o Open Rio em 1990.

Gislaine Castro, 62 anos – Começou a praticar o Cross Fit aos 58 anos. Este ano, ficou em primeiro lugar entre os sul-americanos no campeonato mundial da modalidade em sua categoria.

Waldemar Trombetta, 64 anos – Trombetinha, como é conhecido, começou a remar aos 19 anos. Já participou dos Jogos Olímpicos de Munique (1972) e Seul (1988), além de dois Pan-Americanos.

Servílio, 70 anos – Foi o primeiro brasileiro a conquistar uma medalha olímpica no boxe. Iniciou na modalidade em 1960, aos 12 anos, após ver o ídolo Éder Jofre como campeão mundial de boxe.

Roberto Carvalho, 73 anos – Como fisiculturista, ganhou seu primeiro título na modalidade em 1973. Já disputou campeonatos na Colômbia, no Peru e no Texas.



publicidade

LEIA TAMBÉM

publicidade

COMENTÁRIOS

Para comentar na página você deve estar logado com seu perfil no Facebook. Este espaço visa promover um debate sobre o assunto tratado na matéria. Comentários com tons ofensivos, preconceituosos, de propaganda e que firam a ética e a moral podem ser deletados. Participe!