Entenda

Xuxa faz previsão na Globo e acerta destino de baixinho 29 anos depois





Charles Daves e Xuxa
Reprodução

Publicado em 15/10/2018 às 09:40:13 ,
atualizado em 15/10/2018 às 10:21:59

Por: Sandro Nascimento

Em julho de 1989, quando comandava seu programa infantil na Globo, Xuxa direcionou o microfone para Charles Daves, na época com 11 anos, e ficou surpreendida com a postura do baixinho em frente às câmeras.

Com cara de espanto e olhando para o garoto, fez uma previsão no palco do "Xou da Xuxa", que era gravado no teatro Fênix, no Rio: "Vai ser repórter ou vai ser ator. Veja bem o que a titia Xuxa tá falando. Guarde bem esse nome: Charles".

Veja o vídeo:

29 anos se passaram e o que Xuxa previu se concretizou. Aos 40 anos, Daves se tornou ator e hoje prepara novos profissionais para TV e teatro numa escola de atores em sociedade com a diretora Cininha de Paula.

"É tudo muito doido. Tudo o que ela disse foi o que eu quis fazer na vida. Eu enxergo que ela teve a visão de alguém que tava no meio. Se você perguntar se com 11 anos eu sabia que queria ser apresentador, ator... Claro que eu não sabia, mas eu adorava tudo aquilo. Mas não era como as outras crianças, que 'Ah! Eu quero ir na nave da Xuxa!'... Eu adorava ficar dentro do estúdio, me perguntava porque a Xuxa olhava pra frente e não olhava pra gente, como a roda gigante girava, como era a nave por trás, eu queria entender como funcionava aquilo", conta Charles Daves ao NaTelinha.

Além da escola de atores, CN Artes, atualmente ele é diretor do programa feminino "Band Mulher, da Band Rio. Em seu currículo, Daves também fez trabalhos na Globo, como "Sítio do Picapau Amarelo", e foi o personagem Creidi em "A Praça é Nossa", no SBT.

Charles Daves recorda que quando assistiu o vídeo ao lado de Xuxa, quase 30 anos depois, se achou estranho, e explica: "É bem esquisito olhar. Porque eu fazia aquilo? Que criança esquisita (risos). As coisas de Deus você já nasce predestinado. Eu não tinha indício para isso ( artes ) e não tinha convivência e referência na minha vida. Você já nasce querendo aquilo".

Charles conta que na época conhecia uma pessoa da produção do programa e por isso foi incontáveis vezes ao "Xou da Xuxa". Ele revela que anos depois, já como profissional, ao gravar o "Sítio do Picapau Amarelo" chegou a cruzar no corredor da Globo com a apresentadora, mas ficou tímido para se identificar para Xuxa.

"Seria ótimo encontrar com ela hoje. A Xuxa era uma coisa fascinante para mim. Eu nunca tomei um copo de cerveja, nunca fumei um cigarro. Olha que sou filho de pai e mãe que fumavam e bebiam e tinha três irmãos mais velhos bebendo e fumando. Eu nunca toquei em nada disso porque a Xuxa falava pra não fazer que era ruim. Eu era uma geração Xuxa total mesmo", revela.

Nesta segunda-feira (15), ele lança, junto com o elenco, o curta "A Megera Domada", que assina a direção. O evento acontece no Museu da Imagem e do Som, em São Paulo. Por coincidência, a versão musical foi dirigida por Cininha de Paula e Fernanda Chamma, que hoje é jurada do "Dancing Brasil".

"Neste país fazer arte é muito difícil. Eu vim com essa missão, eu não consigo fazer outra coisa. Eu preciso ser feliz e pra eu ser feliz eu preciso fazer arte. Hoje com 40 anos, aquela criança que tá ali (no vídeo) ainda tá dentro de mim. Eu me divirto até hoje como eu me divertia quando criança. A vida foi muito dura comigo. Logo, assim que eu fiz o vídeo, meu pai faleceu. Com vinte e poucos anos eu perdi minha mãe e fiquei órfão. Então a arte pra mim é meu lugar de felicidade", brada.



publicidade

LEIA TAMBÉM

publicidade

COMENTÁRIOS

Para comentar na página você deve estar logado com seu perfil no Facebook. Este espaço visa promover um debate sobre o assunto tratado na matéria. Comentários com tons ofensivos, preconceituosos, de propaganda e que firam a ética e a moral podem ser deletados. Participe!