Eleições

Record TV tira debates para governador de horário nobre e regionais se chateiam


Carla Cecato sorrindo
Carla Cecato comandará debate para o governo da Bahia - Divulgação

No final desta semana, as emissoras da Record TV realizam os seus debates com os candidatos ao Governo de Estado. Mas os horários disponibilizadas para as regionais causaram chateação entre a maioria dos canais que compõem a rede.

Segundo apurou o NaTelinha, a Record TV ofereceu duas faixas: a primeira é na próxima sexta-feira (28), às 17h55; e a segunda no sábado (29), a partir de 13h30.

Ambos os horários são faixas locais que já são utilizadas pelas emissoras. Ou seja, a rede não quis abrir um horário mais nobre à noite para os debates a governador, priorizando a sua grade nacional.

Emissoras do Nordeste e do Sudeste, que tiveram profissionais ouvidos pelo NaTelinha, afirmaram que essa falta de abertura chateou os executivos locais, já que o debate é um grande evento.

A faixa de sábado, por exemplo, foi a que teve mais críticas. O principal questionamento é que o público, definitivamente, não iria ligar num sábado à tarde para ver debate político na televisão - e o número de ligados nessa faixa é baixíssimo.

A grande maioria escolheu marcar o debate para o horário "menos ruim", no fim de tarde de sexta. Mas teve quem optasse pelo sábado. Foi o caso da Record TV Itapoan, filial da emissora em Salvador, que realizará o evento com apresentação de Carla Cecato.

A Record TV se utilizou de dois argumentos para a não liberação de horário. A primeira é que debates para governo não costumam ir bem na audiência e colocar ele em uma faixa mais à noite prejudicaria o Ibope das emissoras. A segunda é a falta de espaço na grade atualmente. Hoje, a linha de shows da emissora começa a partir das 22h45, com "A Fazenda 10", uma das principais audiências da casa. Se fosse exibido após ele, o debate ficaria tardio demais para o telespectador.

Procurada pelo NaTelinha, a assessoria de imprensa da Record TV em São Paulo confirmou as duas faixas e disse não ter recebido nenhuma reclamação formal das afiliadas.

Mais Notícias