Netflix retira episódio de “A Abelha Maia” após reclamações de desenho de pênis

Reprodução

Publicado em 21/09/2017 às 13:58:16 , atualizado em 21/09/2017 às 18:09:07

Por: Taty Bruzzi

Exibida pela Netflix, “A Abelha Maia” foi alvo de reclamações recentes em uma rede social. A britânica Chey Robinson usou seu perfil no Facebook para contestar um dos episódios da série infantil.

De acordo com a internauta, um dos episódios da produção conta com a imagem de um pênis desenhado no tronco de uma árvore. A sequência é breve, mas dá para identificar a “mensagem subliminar”.

Para alertar aos pais, Robinson publicou um vídeo da tela da TV registrando o momento no qual a imagem do órgão genital aparece no episódio. “Por favor, fiquem atentos com o que os seus filhos estão assistindo! Eu NÃO editei essas imagens de forma alguma. Isso está na primeira temporada de A Abelha Maia, no episódio 35”, postou.

“Eu sei que eu não estou louca e eu sei que algo assim não deveria estar em um programa para crianças. Eu estou extremamente enojada, meus filhos não deveriam ver isso de forma alguma”, finalizou.

Produzida pelo Studio100 Animation e disponível pelo serviço de streaming, "A Abelha Maia" vem repercutindo negativamente após as reclamações. A cena aparece aos 18 minutos e 45 segundos do episódio 35 da primeira temporada e já foi retirada do ar.

A Netflix não quis comentar sobre o caso.

A série franco-alemã é baseada em um clássico da literatura infantil escrita por Waldemar Bonsels em 1912. A personagem principal é uma abelhinha que desbrava os mistérios da natureza na companhia de outros amigos insetos.

Em 2014, a produção recebeu uma adaptação para os cinemas. Com direção de Alexs Stadermann, “Abelha Maia - O Filme” contou com Coco Jack (“Mad Max - Estrada da Fúria”) como dubladora da protagonista.



TAGS:

LEIA MAIS

publicidade

COMENTÁRIOS

Para comentar na página você deve estar logado com seu perfil no Facebook. Este espaço visa promover um debate sobre o assunto tratado na matéria. Comentários com tons ofensivos, preconceituosos, de propaganda e que firam a ética e a moral podem ser deletados. Participe!

publicidade