Reportar erro
Estrela-Virgem

Em 2001, Globo pediu que Casseta & Planeta pegasse leve com Sandy em Estrela-Guia

Sátira foi mais comedida pelos cassetas, que tomaram veto da Globo

Sandy em Estrela-Guia
Estrela-Guia foi um sucesso em 2001 - Divulgação/TV Globo
Thiago Forato

Publicado em 07/07/2020 às 05:37:00

Exibida entre março e junho de 2001 com apenas 83 capítulos, Estrela-Guia era apelidada de "novela da Sandy" entre o público e de "novela de verão" internamente. A emissora tentava apostar em um viés mais jovial no horário, e ninguém melhor no lugar de protagonista que Sandy, que já estava bombando ao lado do irmão Júnior nas paradas de sucesso. Cercada de cuidado, há relatos de que a cantora teve algumas regalias e a Globo teve que pedir até ao Casseta & Planeta que "pegasse mais leve" com ela.

A recomendação foi dada quando a emissora soube que a sátira de Estrela-Guia se chamaria Estrela-Virgem. Sandy, então com 18 anos, se tornava um "ícone da virgindade" e recebia muitos questionamentos acerca de sexo. A orientação para os cassetas veio de cima. De acordo com o Estado de S. Paulo, publicado em abril de 2001, antes da estreia, Xororó e Noely também não teriam gostado da brincadeira.

"A orientação da Globo foi para que a paródia de Estrela-Guia não girasse apenas em torno da cantora, mas de todo o elenco", acrescentou a publicação. De Estrela-Virgem, a paródia ganhou o título de Estrela-Guria.

Em 2001, Globo pediu que Casseta & Planeta pegasse leve com Sandy em Estrela-Guia

As regalias de Sandy

Nos bastidores, Sandy tinha muitas regalias em relação aos outros atores. Numa entrevista à IstoÉ em março de 2001, se justificou: "Qual é o problema de eu chegar de jatinho às gravações se é meu pai quem paga? A gente vem do show biz e paga por essas facilidades. Não dá para ficar esperando uma ponte aérea todo dia. Falaram que eu não me enturmava com o elenco, que eu não ficava esperando para gravar como todos os atores".

O que deu o que falar também foram as famigeradas cenas de beijo na boca. Dizia-se que ela usou dublês para beijar, mas ressaltou à revista que não tem problema com os beijos: "Alguns atores têm dublês mesmo. Eu nem sabia. Quando vi, tinha uma menina parecida comigo, as roupas do meu figurino eram duplas. Mas até agora não precisei dela. Numa cena de um ritual na cachoeira, todas as atrizes entraram n’água e eu gravei de roupa e combinação. E vou fazer as cenas de beijo com o Tony (Guilherme Fontes), é claro. Não tem o menor problema, eu dou beijo na boca na vida real também!".

Em 2001, Globo pediu que Casseta & Planeta pegasse leve com Sandy em Estrela-Guia

Quem seria o galã de Sandy?

De acordo com o Jornal do Brasil, houve uma disputa para saber quem arrebataria o coração de Sandy em Estrela-Guia. Além de Guilherme Fontes, Rodrigo Santoro e Gabriel Braga Nunes, que também estiveram no elenco, foram cotados.

Guilherme acabou ficando com o personagem depois de uma pesquisa realizada pela Globo para avaliar o grau de rejeição que ele poderia causar envolvendo o filme Chatô, o Rei do Brasil. O longa-metragem estourou o orçamento de R$ 10 milhões e os prazos para sua conclusão. Embora o ator prometesse que ele seria concluído até o final de 2001, só foi lançado mesmo em 2015.

Estrela-Guia teve 30,9 pontos de média geral e estreou com 36 pontos, fruto da curiosidade do público em ver Sandy no protagonismo. Em sua penúltima semana, a trama de Ana Maria Moretzsohn atingiu 27 de média semanal e teve uma audiência maior que a antecessora, O Cravo e a Rosa, que obteve 30,6 pontos ao longo dos seus 221 capítulos entre 2000 e 2001.