Entrevista

Guaracy em Fina Estampa, Paulo Rocha se emociona com personagem: “Marcou minha vida”

Ator mudou-se de Portugal para fazer a novela, que agora é reprisada

Guaracy em Fina Estampa, Paulo Rocha se emociona com personagem: “Marcou minha vida”
Paulo Rocha fala do trabalho em Fina Estampa - Foto: Divulgação

Publicado em 03/06/2020 às 20:05:34

Por: Daniel César

O português Paulo Rocha está no ar em duas tramas ao mesmo tempo, em Fina Estampa e Totalmente Demais, ambas reprisadas no horário nobre por causa da pandemia do coronavírus. Em entrevista, o ator garante que a novela de Aguinaldo Silva foi o projeto que mudou sua vida, já que foi por causa dela que ele deixou o país europeu e se mudou para o Brasil.

Questionado sobre a importância de Fina Estampa, Paulo Rocha é taxativo. “Fina Estampa é mais do que um projeto importante na minha carreira. Foi o projeto que marcou a minha vida, marcou a minha mudança de Portugal para o Brasil. Então, acho que isso revela bem a importância que essa novela e esse personagem tiveram em minha vida”, explica ao elogiar a produção.

E ele também faz questão de tecer elogios a Guaracy, personagem da novela das nove e que se envolveu com Griselda (Lília Cabral), mas que neste momento da história começa a viver uma história com Esther (Julia Lemmertz).

“Eu acho importante para o personagem. Acho que faz parte de um pêndulo que aproveita também para mostrar uma série de características bastante agradáveis que o Guaracy tem, como um olhar sobre o mundo e sobre o outro que são muito bonitos. Então, eu acho que isso foi fundamental para a trama”, crava.

Paulo Rocha elogia atuação em Fina Estampa

Paulo Rocha também faz questão de defender seu trabalho na novela, embora elogie as característica de Guaracy. “Eu acho que a minha memória desse personagem é um pouquinho injusta com ele e comigo. Na época, eu acreditava que o sucesso do Guaracy se devia muito mais às questões estéticas e às características de caráter mesmo do personagem; achava que era um conjunto dessas duas coisas o que agradava, o que deixaria a minha execução em segundo plano”, conta. 

Ele, porém, explica que sua visão agora é mais apurada sobre o trabalho. “Mas, hoje em dia, com um certo distanciamento, eu vejo que a forma como eu executei ajudou a enrolar isso tudo e foi também responsável pelo sucesso do Guaracy. Ele era um personagem muito vivo, eu acho que ele estava muito inteiro na trama. Na época, eu não tinha tanto essa consciência que tenho hoje com esse distanciamento”, finaliza.

publicidade




LEIA TAMBÉM

publicidade

COMENTÁRIOS

Para comentar na página você deve estar logado com seu perfil no Facebook. Este espaço visa promover um debate sobre o assunto tratado na matéria. Comentários com tons ofensivos, preconceituosos, de propaganda e que firam a ética e a moral podem ser deletados. Participe!