Exclusivo

Sergio Guizé fala sobre destino de Chiclete em "A Dona do Pedaço": "Tudo pode mudar"

"Se ele terminar diferente do que começou cumpri o meu papel", diz Sergio Guizé sobre justiceiro de "A Dona do Pedaço"

Sergio Guizé fala sobre destino de Chiclete em
Chiclete se torna um novo homem por amor em "A Dona do Pedaço"

Publicado em 20/09/2019 às 04:44:00 ,
atualizado em 20/09/2019 às 09:00:34

Por: Taty Bruzzi

Ele tem sido responsável por arrancar suspiros das telespectadoras sempre que aparece em cena como o Chiclete de “A Dona do Pedaço”, um ex-justiceiro que se apaixona por Vivi Guedes (Paolla Oliveira) quando, na verdade, havia sido contratado para matá-la, e o casal se rende a esse sentimento. Em entrevista exclusiva ao NaTelinha, Sergio Guizé confessa que acredita na mudança das pessoas em função do amor e vê na relação do casal algo muito mais verdadeiro do que relacionamentos convencionais impostos pela sociedade. 

“Eu acredito que o amor é “viva e deixe viver”. Ele quer ver a Vivi feliz de qualquer jeito, ele a admira”, avalia. “Acredito muito mais nesse tipo de amor do que esse amor pré-estabelecido por uma sociedade convencida no que é melhor para gente, para as nossas relações. Acredito no amor genuíno, diferente e improvável deles”, defende.

Para dar vida ao matador de aluguel capixaba, o ator de 39 revela ter buscado inspiração em livros, documentários, séries, quadrinhos e desenhos animados, a fim de deixá-lo o mais real possível.  

“Me preparei assistindo a alguns documentários sobre assassinos lendários, um brasileiro e outro americano”, revela. “Eu li “Pergunte ao pó”, do John Fante, e continuo assistindo séries pensando sempre nessa pegada do velho oeste moderno”, conta. 

“Também penso para o personagem muitas referências de quadrinhos e cartoon. O maior desafio é deixar verossímil. Eu quero que as pessoas acreditem que um matador possa se redimir e largar tudo em nome do amor”, alega. “O amor é mais forte do que qualquer coisa, mas acho que o difícil é chegar contando isso de uma forma verossímil”, aponta.

Guizé avalia o Chiclete como uma cara que só aprendeu o que é o amor agora, depois de conhecer a It Girl, e viu o que esse sentimento é capaz de fazer na vida das pessoas que é mudar suas atitudes, suas convicções.    

“O Chiclete cresceu em uma família assim onde a pistolagem era muito natural. Só que quando ele vai para a cidade, tem algo muito maior que é o amor, que eu acho que ele não conhecia de verdade”, opina.  

Questionado sobre o crescimento do papel na trama, o ator confessa que isso já estava programado e promete novas emoções. “Sim, já esperava! O personagem é intrigante e, na verdade, já estava planejado. Mas tem muita coisa para acontecer ainda, tudo pode mudar”, faz suspense.

Feliz com o trabalho e toda repercussão positiva em cima da Vivi e do Chiclete, Sergio Guizé está na torcida por um final feliz do casal e comemora o apoio do público. “Sim, torcendo muito! E o público está tão esperançoso quanto a gente”, entrega.

Por fim, indago qual a maior dificuldade com o papel e o ator abre o seu coração apontando a redenção do Chiclete. “O mais difícil está sendo fazer esse arco dramatúrgico de um cara que começa de um jeito e vai terminar de outro, porque a novela não terminou ainda. Acho que se ele terminar diferente do que começou cumpri o meu papel”, conclui. 


publicidade

LEIA TAMBÉM

publicidade

COMENTÁRIOS

Para comentar na página você deve estar logado com seu perfil no Facebook. Este espaço visa promover um debate sobre o assunto tratado na matéria. Comentários com tons ofensivos, preconceituosos, de propaganda e que firam a ética e a moral podem ser deletados. Participe!