Reportar erro
Separação

Assim como “A Que Não Podia Amar”, outras novelas não tiveram seus casais shippados

Várias novelas acabaram não dando liga no casal principal, que terminou separado

caminho_das_indias__Aqui_não_podia_Amar_cd07d3075d4215fdb2d36763dc891d4f010d2b31.jpeg
Casais não foram shippados e acabaram separados nas novelas
Daniel César

Publicado em 28/08/2019 às 07:11:03

O público vem acompanhando com afinco a formação de um novo casal em "A Que Nâo Podia Amar". Rogério (Jorge Salinas) e Ana Paula (Ana Brenda Contreras) estão cada vez mais próximos e vão até se casar no religioso nos próximos capítulos da novela do SBT. Com isso, o casal principal da novela, envolvendo a mocinha e Gustavo (José Ron), acabou perdendo espaço.

Esta não é a primeira vez que o casal protagonista se afasta e termina separado no final da novela. Por isso, o NaTelinha preparou uma lista com cinco casais que começaram juntos, não foram shippados e terminaram separados nas novelas.

Confira:

Bahuan (Márcio Garcia) e Maya (Juliana Paes) – “Caminho das Índias” (2009)

Assim como “A Que Não Podia Amar”, outras novelas não tiveram seus casais shippados

Era a primeira mocinha do horário nobre da atriz Juliana Paes. Márcio Garcia retornava a Globo com o papel principal. Após dois fenômenos, Glória Perez trazia seu universo de volta para televisão. Houve grande expectativa em torno da história, mas o início fez com que o público rejeitasse o casal protagonista e a experiente precisou fazer ajustes.

A história mostrava Bahuan e Maya apaixonados, mas o jovem era um “intocável”. A família da moça nunca aceitaria o romance, o que se concretizou. Grávida, aceitou se casar com Raj (Rodrigo Lombardi) e um enorme amor nasceu entre os dois. A partir daí, Glória investiu no casal, deixando Bahuan de lado.

A química entre Rodrigo Lombardi e Juliana Paes foi tão grande que a roteirista convidou os dois para protagonizarem “Salve Jorge”, mas a atriz recusou por conta da sua gravidez. Porém, em 2017, eles atuaram juntos em “A Força do Querer” e seus personagens formaram um par romântico.

Ana (Fernanda Vasconcellos) e Rodrigo (Rafael Cardoso) – “A Vida da Gente” (2011)

Assim como “A Que Não Podia Amar”, outras novelas não tiveram seus casais shippados

Fernanda Vasconcellos faria sua terceira protagonista seguida na Globo e teria como seu par romântico Rafael Cardoso. O casal seguia os ingredientes tradicionais: o amor da juventude que venceria tudo e todos, vivendo felizes para sempre. Mas a trama caminhou para um lugar diferente.

Manu (Marjorie Estiano) ganhou o coração de diversos telespectadores e o triângulo amoroso criado na novela fez com que a maioria do público a escolhesse como a principal parceira de Rodrigo.

No fim, Ana envia uma linda e longa mensagem para Rodrigo e os dois percebem que precisam seguir outro destino. A jovem termina com Lúcio (Thiago Lacerda) e Rodrigo decreta que Manu é o amor da sua vida.

Ari (Murilo Benício) e Suzana (Malu Mader) – “Tititi” (2010)

Assim como “A Que Não Podia Amar”, outras novelas não tiveram seus casais shippados

Os dois foram casados no passado e tiveram um filho. Suzana não suportou a visão de Ari na questão profissional e afirmava ao ex para que crescesse e assumisse suas responsabilidades. Porém, eles deixavam claro que se amavam e indicavam uma possível volta.

Só que Marta (Dira Paes) também demonstrava um olhar diferente por Ari e os vizinhos passaram a se relacionar. O público rejeitou o casal Ari e Suzana, o que fez com que Marta e o Victor Valentim terminassem juntos.

Marcos (José Mayer) e Helena (Taís Araújo) – “Viver a Vida” (2009)

Assim como “A Que Não Podia Amar”, outras novelas não tiveram seus casais shippados

Manoel Carlos voltou ao horário nobre depois de quatro grandes sucessos na faixa. Taís Araújo ganhou o papel de Helena, sendo a primeira atriz negra protagonista numa novela das nove. Maneco ainda usaria na trama a história de uma tetraplégica.

Helena veio moderna, com ações de uma feminista e independente de qualquer homem. Casou-se com Marcos e precisaria lutar para manter o relacionamento contra o desejo das filhas do empresário, além de enfrentar a ira da ex-mulher dele. Porém, o público rejeitou a personagem e também seu casamento.

Marcos a traía em sua casa e o público não o perdoou. Manoel Carlos fez com que a mocinha conhecesse Bruno (Thiago Gagliasso). Os dois terminaram casados e pais de gêmeos. Já Marcos ensaiou uma volta com sua ex-esposa Marta (Lília Cabral).

René (Dalton Vigh) e Griselda (Lília Cabral) – “Fina Estampa” (2011)

Assim como “A Que Não Podia Amar”, outras novelas não tiveram seus casais shippados

Após ter sido indicada duas vezes ao Emmy Internacional, Lília Cabral ganhou a oportunidade de protagonizar sua primeira novela no horário das nove e trabalharia ao lado de Aguinaldo Silva, autor de “Senhora do Destino” (2004). Dalton Vigh seria novamente o mocinho de uma trama do roteirista, já que formaram uma parceria em “Duas Caras” (2007).

A audiência explodiu, sendo a maior da década na faixa mais nobre da Globo. Contudo, o público não comprou o romance de René e Griselda, obrigando Aguinaldo a dar um novo par romântico para o Pereirão.

No fim, a protagonista terminou ao lado de Guaracy (Paulo Rocha). O ex-marido da vilã Tereza Cristina (Christiane Torloni) assumiu seu amor por Vanessa (Milena Toscano) e os dois viveram felizes.

Mais Notícias