Está no SBT

Dalton Vigh elogia “Poliana” e diz que “ficaria mais 2 anos na novela”

Ator viveu papéis de galã na Globo e está há um ano na trama infantil do SBT

Dalton Vigh elogia “Poliana” e diz que “ficaria mais 2 anos na novela”
Dalton Vigh vive Pendleton em "As Aventuras de Poliana"

Publicado em 09/07/2019 às 07:30:06 ,
atualizado em 09/07/2019 às 13:02:34

Por: Daniel César

Pode parecer cansativo para um ator trabalhar mais de um ano no mesmo personagem e gravar muitas horas por dias em uma novela. Não é o caso de Dalton Vigh, ao menos não em “As Aventuras de Poliana”. Completando 300 capítulos nesta terça-feira (09) como Pendleton, o ator garante que ficaria até mais dois anos vivendo o  personagem.

Em entrevista exclusiva ao NaTelinha, Vigh falou que não se sente cansado por fazer o papel do vilão adulto da novelinha teen sucesso na emissora de Silvio Santos.

“Por mim, eu faria mais um ou dois anos porque é um personagem bacana de se fazer, um elenco gostoso de trabalhar, direção também, equipe também. Todo mundo trabalha de bom humor. Então, é muito legal poder estar fazendo esse trabalho”, garante o ator que já esteve no SBT muito antes de se tornar um rosto tão conhecido.

É que ele foi o protagonista de “Pérola Negra” (1998), trama escrita por Henrique Zambelli e que contou com Patrícia de Sabrit no papel de mocinha. Agora, vinte anos depois, o retorno de Dalton para as tramas do SBT tem muita diferença na visão dele.

“A grande diferença é que eles focaram num segmento. Antes, eu mesmo fiz duas produções completamente diferentes lá, em tudo, em questão de produção, de tamanho, de linguagem. Eu fiz ‘Ossos do Barão’ com um elenco enorme, com muitos nomes conhecidos do público, e fiz ‘Pérola Negra’c que foi uma novela baixo orçamento, que tinha poucos cenários, poucas personagens. Então, acho legal de ver que se consolidou, que continua se produzindo. Antigamente tinha uma coisa que se produzia e daqui a pouco não se produzia mais, enfim, tudo meio ao sabor do vento. Agora vejo que existe um foco, um caminho que eles tão seguindo, isso é muito positivo”, ressaltou.

Antes de voltar para o SBT, o artista protagonizou duas novelas do horário das 21h, “Duas Caras” (2007) e “Fina Estampa” (2011). Seu último trabalho na emissora carioca foi em “Liberdade, Liberdade” (2016), exibida às 23h.

E Dalton está satisfeito em interpretar Pendleton. Mesmo com o ar de vilania, ele garante que tem recebido o carinho das crianças no dia a dia e que isso tem sido benéfico para sua composição.

“É muito legal. É um personagem que mesmo dentro de uma trama leve tem um quê de mistério, de será que ele é vilão ou será que ele é do bem? Ele é uma personagem interessante de se fazer. A reação das crianças é muito bacana, mesmo ele tendo essa aura de meio distante, mal-humorado, meio “não me toque”, as crianças são bem carinhosas. Elas ficam super emocionadas quando me encontram”, relembra.

E há semelhanças entre Dalton Vigh e seu personagem em “Poliana”. Se o empresário Pendleton é super ligado à tecnologia, com direito a fabricação de jogos e robôs, é no jeito quieto e calmo que o ator encontra guarida na personagem, além de uma paixão em comum. Questionado sobre o que há de igual no vilão e em sua vida, ele é taxativo.

“Além do fato dele também gostar de cachorro (risos), eu acho que tenho uma certa tendência a buscar meu canto. Tenho uma tendência a ficar um pouco sozinho, pensando. Enfim, as vezes trabalhando, lendo, estudando. Eu sou um pouco assim. Eu entendo um pouco esse lado lobo solitário do Pendleton”.

Mas se engana quem pensa que o personagem e artistas se misturam em basicamente tudo. Dalton se diz distante do universo da tecnologia e sequer gosta muito de redes sociais e mesmo o WhatsApp.

 

“Eu leio sobre os avanços da tecnologia, da inteligência artificial, robótica, mas não sou um cara conectado. Não sou uma pessoa muito presa a redes sociais, WhatsApp, nem celular mesmo”, explica o ator que confessou ainda não ter tido uma mudança gritante de estilo de vida para gravar “Poliana”, já que sempre morou em São Paulo, diferente de boa parte dos atores e atrizes da Globo que costumam se mudar para o Rio de Janeiro.

“Eu tinha que mudar minha rotina quando tinha que ir para o Rio. Agora não. Agora estou na minha casa, não estou muito longe do trabalho, em 20/30 min eu chego lá e volto para casa. Então, não houve nenhuma mudança na minha rotina gravando aqui em São Paulo”.

Dalton Vigh se tornou um galã desde “Pérola Negra” e acabou endossando esse papel em suas novelas da Globo, como com o vilão Clóvis de “O Profeta” (2006).  Além de "Poliana", o ator poderá ser assistido na série "Divisão”,  que tem estreia prevista para o próximo dia 19 de julho no GloboPlay. Além disso, ao site, Dalton falou sobre seus trabalhos que estão sendo conduzidos em paralelo à novela do SBT.

“Tem ‘A Divisão’ que entrará no GloboPlay dia 19 de julho, o longa ‘Sem Pai nem Mãe’ que gravei ano passado e a estreia dia 02 de agosto da peça ‘Caros Ouvintes’ no Teatro Renaissance, que na verdade é uma reestreia dessa peça e que eu entrei agora para o elenco. Além disso, tem mais dois projetos no cinema e mais dois em teatro que ainda não posso revelar”.


publicidade

LEIA TAMBÉM

publicidade

COMENTÁRIOS

Para comentar na página você deve estar logado com seu perfil no Facebook. Este espaço visa promover um debate sobre o assunto tratado na matéria. Comentários com tons ofensivos, preconceituosos, de propaganda e que firam a ética e a moral podem ser deletados. Participe!