Crise

Audiência da Globo às 21h encolhe 26% em dezembro com "O Sétimo Guardião"

Novela passa por crise nos bastidores; emissora nega

Letícia Spiller e Marcello Melo Jr.
Divulgação/TV Globo

Publicado em 18/12/2018 às 10:50:22 ,
atualizado em 18/12/2018 às 11:08:51

Por: Sandro Nascimento

A trama em torno da fonte da juventude e seus guardiães fizeram a audiência das 21h da Globo encolher 26% na primeira quinzena de dezembro, em comparação com o mesmo período de 2017.

De acordo com a Kantar Ibope na Grande São Paulo, entre os dias 01 e 15 de dezembro, "O Sétimo Guardião" alcançou 27,8 pontos contra 37,6 de média de "O Outro Lado do Paraíso". Ou seja, com a novela protagonizada pelo gato León, a Globo obteve um queda de quase 10 pontos em seu horário nobre, ou pouco mais de 1/4 da sua audiência.

A maior pontuação atingida pela história escrita por Walcyr Carrasco, neste período, foi no dia 12 de dezembro de 2017, quando teve 42 pontos. Por outro lado, a maior média conquistada pela trama de Aguinaldo Silva na primeira quinzena de dezembro foi 31,4, no dia 6.

A crise da produção de "O Sétimo Guardião" pode ser notada pela audiência do último sábado (15), quando marcou 22,6 pontos de média, a pior desde sua estreia no dia 12 de novembro.

Mesmo diante deste números, a Globo não admite oficialmente que a novela esteja enfrentando dificuldades para emplacar no horário. Justifica a baixa audiência como consequência do momento que vem sendo veiculada em sua programação: horário de verão, férias e final de ano. Mas essa tese não tem sustentação se comparar os números conquistados pela história de Carrasco.

"O Sétimo Guardião" e "O Outro Lado do Paraíso" estrearam no fim de ano da Globo com apenas duas semanas de diferença: dia 12 de novembro e 23 de outubro, respectivamente. Com isso, também não seria justificável que a trama estrelada por Bianca Bin e Sérgio Guizé estaria com muita audiência por já vir embalada muito tempo antes do Natal e Réveillon.

Para se ter uma ideia, foi no capítulo exibido no dia 11 dezembro de 2017 que "O Outro Lado do Paraíso" atingiu pela primeira vez a marca de 40 pontos. Desde "Avenida Brasil", em 2012, uma novela das 21h da Globo não alcançava essa média em sua oitava semana, na Grande São Paulo. Na ocasião, O folhetim de Walcyr Carrasco conseguiu 40,2 pontos. Escrita por João Emanuel Carneiro, "Avenida Brasil" é tido com um dos maiores fenômenos na história recente da dramaturgia da Globo.

Antecessora de "Outro Lado do Paraíso" na faixa das 21h, "A Força do Querer", que foi exibida entre abril e outubro de 2017, portanto fora da época de final de ano, só conseguiu atingir 40 no Ibope em sua 17ª semana.

De maneira geral, a média de 27,8 pontos da trama de Aguinaldo Silva na primeira quinzena de dezembro, é a pior conquistada pela Globo neste período desde a naufragada "A Lei do Amor", em 2016, quando teve 27.

Cortes

Para reverter essa situação, conforme o NaTelinha antecipou, o setor de dramaturgia da Globo vem realizando intervenções emergenciais em "O Sétimo Guardião". Cenas gravadas foram limadas na edição, tramas foram aceleradas, blocos de capítulos foram desmanchados e condensados antes de irem para as gravações. Já os personagens de Marilda (Letícia Spiller), o pedreiro Fabim (Marcelo Mello Jr) e Marcos Paulo (Nany People) passarão a ter mais destaque na novela. Todas as alterações estariam sendo capitaneadas por Silvio de Abreu, número 1 na teledramaturgia da Globo, e auxiliado por toda a equipe do setor.

Outro detalhe: o primeiro grupo de discussão promovido pela emissora teria apontado que a história do delegado Machado (Milhem Cortaz) e seu fetiche com calcinhas possui problemas de concepção. A reportagem apurou que os ajustes serão feitos com cuidado por se tratar de um núcleo patrocinado. Coincidentemente, o rumor de que a trama seria bem aceita ganhou destaque nos últimos dias.

Parte dos caminhos encontrados para salvar "O Sétimo Guardião", conforme adiantado pelo site, já começaram a ser exibidas no último sábado, quando foi ao ar uma cena mais quente entre Marilda e Fabim.

Todos os novos rumos estão sendo gerenciados antes dos textos serem enviados para a equipe de produção da novela, e posteriormente, vazados para parte da imprensa. Mas essas interferências foram descobertas em primeira mão por este site.

Divergências

As mudanças provocaram um desconforto tão sério na equipe que o diretor Rogério Gomes, o Papinha, teria ameaçado abandonar a obra ao perceber que parte do seu trabalho gravado não seria colocado no ar. Além disso, por uma divergência sobre a exibição ou não de uma cena da novela, a relação entre Aguinaldo Silva e Silvio de Abreu estaria estremecida. Os dois medalhões na dramaturgia da Globo já teriam se estranhado no início de "O Sétimo Guardião", quando o diretor da emissora teria vetado a escalação do ator Daniel Rocha, contrariando a vontade do novelista.

A reportagem do NaTelinha causou um reboliço dentro da produção do folhetim na última quinta-feira (13). Para tentar minimizar a repercussão negativa e a exposição dos problemas internos, a emissora vem negando qualquer interferência de Silvio de Abreu aos veículos de comunicação. Mas o próprio jornal O Globo, na coluna de Patrícia Kogut do dia 20 de novembro, relatou em parte as alterações e o clima de descontentamento nos bastidores.

A publicação dizia que o diretor Rogério Gomes havia enviado um e-mail para o elenco justificando cortes nos primeiros capítulos de "O Sétimo Guardião", numa atitude para "acalmar os ânimos". De acordo com a coluna, o motivo seria para "adequar o tamanho dos capítulos a exigências da programação" e o diretor prometeu que isso não aconteceria novamente.

Ao contrário do que se especula, ou tenta ser disseminado, não é normal para os padrões de produção da Globo jogar no lixo uma porcentagem relevante de material captado para exibição e que isso não teria consequências no clima da equipe.

O NaTelinha apurou que para evitar novas reclamações entre o elenco sobre cortes de cenas gravadas, e evitar uma exposição de uma possível luta de poderes entre autor e diretor de dramaturgia, todos os capítulos enviados para a produção já estariam sob o crivo de Abreu e de sua equipe.

Outro lado

Procurada pela reportagem, a Globo reafirmou que "a novela é escrita por Aguinaldo Silva e Joana Jorge. Silvio de Abreu é diretor de gênero de Dramaturgia e trabalha diretamente com os autores, supervisionando, apoiando e trocando ideias sempre. Essa é a dinâmica da área. Aliás, assim como a dos demais diretores de gênero do Entretenimento".

Segundo a emissora, não houve qualquer interferência emergencial de Silvio de Abreu na novela, tampouco qualquer desentendimento entre ele e Aguinaldo Silva. E o diretor da novela, Rogério Gomes, em nenhum momento ameaçou abandonar o trabalho. E, por fim: não há mudanças nos processos de trabalho.

A Globo garante ainda que o clima nos bastidores é ótimo, com audiência é boa e estável.

Além disso, ressaltou que com cinco semanas no ar (12/11 a 15/12), "O Sétimo Guardião" registrou média de 29 pontos em São Paulo. Desde 2015 (ou seja, sete novelas), considerando esse mesmo período, uma novela das nove não registra média superior, com exceção das três últimas: "Segundo Sol" (32 pontos), "O Outro Lado do Paraíso" (30) e "A Força do Querer" (31).



publicidade

LEIA TAMBÉM

publicidade

COMENTÁRIOS

Para comentar na página você deve estar logado com seu perfil no Facebook. Este espaço visa promover um debate sobre o assunto tratado na matéria. Comentários com tons ofensivos, preconceituosos, de propaganda e que firam a ética e a moral podem ser deletados. Participe!