Exclusivo

Pedro Damián fala sobre comparações entre "Rebelde" e "Like": "São para gerações diferentes"

Pedro Damián é um renomado produtor de novelas mexicanas


Rebelde e Like
Fotos: Divulgação/Montagem/NaTelinha

Pedro Damián é um famoso e reconhecido produtor de novelas mexicanas. Contratado da Televisa, fez grandes sucessos como o fenômeno "Rebelde" e dirigiu a versão mexicana de “Carrossel”. Atualmente está à frente do seu novo projeto voltado ao público adolescente: “Like”.

Em conversa exclusiva com o NaTelinha, Pedro Damián falou sobre como foi selecionar os atores de “Like” em diversos países, a comparação dos fãs com “Rebelde”, sobre novelas brasileiras e mais.

Confira na íntegra:

Como surgiu a ideia de criar a novela "Like"?

Pedro Damián - "Like" é um projeto que nasce da necessidade de fazer uma série para adolescentes e ajudá-los a rirem dos problemas e deles mesmos. Diminuir os níveis de stress que sofrem toda essa geração, pela pressão nas redes sociais e por indivíduos no mundo inteiro.

Pedro Damián fala sobre comparações entre \"Rebelde\" e \"Like\": \"São para gerações diferentes\"

Além de fazer testes com atores no México, você procurou talentos em outros países. Como foi encontrar esses atores fora do seu país?

Pedro Damián - No Brasil particularmente fizemos um casting através do aplicativo TicToc, hoje conhecido como Musical.ly, e por ele recebemos mais de seis mil vídeos. Fizemos uma pré-seleção e viajamos para São Paulo para um casting presencial. Até que selecionamos nosso ator brasileiro, o Flávio Nogueira. No Japão, uma seleção diferente, fizemos em conjunto com um grupo musical chamado AKB48. A seleção foi decidida junto com o Sr Akimoto, dono do conceito AKB48. Os outros atores, que são 12, foram selecionados de diferentes nacionalidades, mas os testes foram no México presencialmente.

"Like" veio para suprir a falta de novelas dirigidas exclusivamente para o público adolescente, e no México a audiência segue crescendo, mantendo o primeiro lugar desde a estreia. Você esperava todo o sucesso?

Pedro Damián - Os jovens buscam audiência em todas as plataformas, com esta experiência tivemos que juntar a TV e de uma maneira mais efetiva nas plataformas digitais. Criamos algo completo, 24/7, que funciona em paralelo às transmissões na TV. O sucesso é decorrente da capacidade de resposta que temos tendo tanto na TV aberta quanto nas plataformas digitais.

Pedro Damián fala sobre comparações entre \"Rebelde\" e \"Like\": \"São para gerações diferentes\"

Quando surgiram as primeiras notícias que você criaria a novela “Like”, muitas pessoas começaram a falar que seria um novo “Rebelde”. Você vê semelhanças entre as tramas? Como você analisa as críticas dos fãs de “Rebelde”?

Pedro Damián - São projetos para gerações diferentes, as histórias e personagens também são diferentes. A diferença de tempo de uma novela para outra é de 12 anos. Porém as críticas, que são positivas, nos fazem evoluir também em nosso trabalho.

“Rebelde” fez muito sucesso no Brasil e “Like” também tem tudo para garantir muitos fãs por aqui. Já tem alguma previsão de estreia da novela no país?

Pedro Damián - Ainda não sabemos, mas espero que estreie logo no Brasil. Também espero que os fãs de “Rebelde” gostem e conheçam essa história das novas gerações.

Pedro Damián fala sobre comparações entre \"Rebelde\" e \"Like\": \"São para gerações diferentes\"

As novelas no Brasil são conhecidas por suas qualidades, sendo vendidas para todo o mundo. Conhece as produções brasileiras? O que você acha delas? Caso fosse convidado para escrever e produzir uma novela por aqui, aceitaria?

Pedro Damián - Os conteúdos que os brasileiro fazem são de uma grande qualidade, tanto em sua forma quanto na profundidade das tramas. Claro que sim, caso eu receba um convite eu iria fazer um conteúdo no Brasil. Uma coprodução com a Televisa.

Pedro Damián também deixou um recado para os admiradores do seu trabalho: "Gostaria de agradecer a todos os admiradores da minha carreira profissional, por ser uma parte tão importante e por me darem tanto carinho nas redes sociais".

TAGS:
Mais Notícias