Letícia Colin conheceu a prostituição para fazer "Segundo Sol": "um mundo muito complexo"

Atriz diz que "compra a briga" sobre falta de negros na novela

Divulgação/TV Globo

Publicado em 09/05/2018 às 16:02:03

Por: Sandro Nascimento

Com estreia na próxima segunda-feira (14), "Segundo Sol", a nova novela de João Emanuel Carneiro para a faixa das 21h na Globo, trará a atriz Letícia Colin no papel de Rosa, uma jovem atrevida que sofre pelo autoritarismo do pai e que passa a buscar na prostituição o caminho para ser sair de casa.

Durante a festa de lançamento do folhetim, promovido pela Globo na noite desta terça-feira (08) no Centro do Rio, Letícia Colin falou sobre sua personagem. "Ela tem uma maneira de ver muito feminista, muito livre. Ela é da linha que pode fazer o que quiser do corpo dela e que nunca será subjugada a homem nenhum. É uma personagem que tenho aprendido muito porque é muito livre de preconceitos, é contemporânea", explicou.

Para compor a Rosa, Letícia foi para a Bahia e passou um período na casa de uma amiga para se aprofundar na cultura da região. Além disso, fez laboratório com algumas prostitutas e descobriu um mundo muito complexo. "Eu entrei em contato com algumas meninas que trabalham com isso e me deparei com um mundo muito complexo. Tem a prostituição de luxo, a infantil, tem tráfico de mulheres, tem várias que são realmente inaceitáveis... Tem um nível de violência que é disfarçado de prostituição que é terrível e que a gente tem que debater. Em situação de miséria é a única opção que a pessoa tem e aí entra num ciclo vicioso de exploração profunda", conta a atriz, que foi ao evento da novela com um look onde exibiu uma barriga sarada.

Além da sua história com a prostituição, em "Segundo Sol", Letícia Colin viverá um trio amoroso com os meio-irmãos Ícaro (Chay Suede) e Valentim (Danilo Mesquita).

Sobre a polêmica da ausência de atores negros na escalação da trama, ambientada na Bahia, Colin acha o debate positivo e afirma que também sentiu falta. "Eu acho esse debate maravilhoso. Se fosse a cinco anos atrás a gente não tinha chegado dessa maneira. Podia sentir isso, pensar nisso, mas não sei se a gente iria conseguir ser tão ouvido, ou ter uma união. A internet mobiliza esses movimentos. Eu também sinto falta. Eu estive na Bahia, frequento a Bahia e já fui algumas vezes. Então a gente sabe que o cenário lá é negro", diz ela, rodeada por jornalistas.

A atriz conta que concorda com as críticas e que a repercussão da polêmica fez com que a direção revesse alguns pontos na trama. "Eu acho que também vamos ver isso (negros) na novela, isso foi considerado por eles (direção) e daqui pra frente, cada vez mais, vai ter bastante, isso que posso dizer. Era uma crítica que era minha também. Mas também acho que não deve ser fácil fazer uma novela. Mas acho que é um momento certo. Eu também compro essa briga", desabafa Letícia Colin, explicando que se sente numa posição difícil para falar sobre o tema por ser mulher branca, e completa: "Eu respeito a causa e de alguma maneira é a minha também. As coisa devem mudar".



publicidade

LEIA MAIS

publicidade

COMENTÁRIOS

Para comentar na página você deve estar logado com seu perfil no Facebook. Este espaço visa promover um debate sobre o assunto tratado na matéria. Comentários com tons ofensivos, preconceituosos, de propaganda e que firam a ética e a moral podem ser deletados. Participe!

publicidade