Globo apresenta "Segundo Sol" à imprensa em clima de axé; saiba como foi

Divulgação/TV Globo

Publicado em 27/04/2018 às 12:19:59 ,
atualizado em 27/04/2018 às 14:29:34

Por: Taty Bruzzi

A Bahia pousou nos Estúdios Globo na noite desta quinta-feira (26), quando aconteceu a coletiva de imprensa de "Segundo Sol", novela de João Emanuel Carneiro que estreia no próximo dia 14 no horário das 21h. O NaTelinha esteve presente e sentiu o clima do axé e comidas típicas do estado.

Com direção geral de Dennis Carvalho, a trama é dividida em duas fases. A primeira em 1999 e a segunda nos tempos atuais. Na cidade histórica de Santo Antônio Além do Carmo, Beto Falcão (Emílio Dantas) é um cantor de axé que vê sua vida mudar por causa de um mal-entendido.

Com a carreira em crise e a família cheia de dívidas, ele aceita um convite para se apresentar em Aracaju. Entretanto, perde o voo. O avião que o levaria cai e o cantor é dado como morto.

Seu irmão e também empresário Remy (Vladimir Britcha) e sua namorada Karola (Deborah Secco) o convencem a manter a farsa, uma vez que falecido ele passa a fazer mais sucesso do que se estivesse vivo.

Durante a entrevista, Emílio Dantas revelou que se sentiu ainda mais motivado com o papel quando soube que interpretaria um cantor. "Antes de me tornar ator, eu trabalhei com música por dez anos", recordou. "Quando soube do personagem, pensei: tô dentro", disse ele, que foi o Rubinho em "A Força do Querer" no ano passado.

O ator e parte da equipe passou uma temporada na Bahia, o que para ele foi fundamental. "Você tem que dar credibilidade à história. Se ela se passa na Bahia, tanto esteticamente quanto visualmente, ou para entrar no clima, é importante estar lá", opinou.

Para dar esta veracidade o elenco precisou de aulas de prosódia, a fim de conhecer melhor o sotaque. Emílio ainda buscou referências com lembranças de uma ex-namorada baiana e nos seus ídolos musicais como, por exemplo, Raul Seixas.

"Eu lembrei de muita coisa que ela conversava comigo e me inspirei também em alguns músicos como o Raulzito, de quem sou fã, além do pessoal da equipe. Nós temos um elenco com muitos baianos, assim como parte da equipe também, e eles nos ajudam o tempo todo", ressaltou.

Chay Suede, que vive o filho de Luzia/Ariella (Giovanna Antonelli) na segunda fase da novela, também aprovou a temporada fora do Rio. "Eu vou muito à Salvador, já estou familiarizado com a região", revelou. A respeito do sotaque, ele disse que o processo ainda está em andamento. "Experimentamos muitos estilos diferentes até conseguir construir uma ideia. Existem diversas formas de falar de acordo com a região e a classe social. Tem sido muito prazeroso", explicou.

Já em relação ao seu personagem, Chay conta que Ícaro e a irmã Manuela (Luisa Arraes) são separados ainda criança. Quando a mãe vai presa, os dois ficam aos cuidados da tia Cacau (Fabíula Nascimento), que dá a menina em adoção e mantém a guarda do menino. Estes acontecimentos acabam levando-o a fazer algumas besteiras na vida. Uma delas é se prostituir. Entretanto, ele não o considera rebelde. "Ele não chega a se tornar um garoto de programa. Se prostitui em algum momento em troca de dinheiro, mas descobre que o buraco é mais embaixo", adiantou.

Trio de vilões

Como acontece em toda novela, "Segundo Sol" também terá seus vilões. Na verdade, um trio formado por Vladimir Brichta, Deborah Secco e Adriana Esteves (Laureta). De caráter duvidoso, o primogênito da família Falcão é descrito como a ovelha negra.

Como administrador da carreira de Beto, vê vantagens quando o irmão é dado como morto e consegue "faturar" vendendo a imagem do cantor precocemente falecido. Para isso, ele conta, ainda, com a ajuda de Karola, que consegue induzir o namorado a concordar com a farsa.


publicidade

Beto se muda para a ilha de Boioporã e adota o nome de Miguel. Com nova identidade, ele conhece Luzia e os dois se apaixonam. Decidido a se casar com a catadora de mariscos, ele conta seus planos para Remy. Então, o empresário e a ex-namorada do cantor se juntam à Laureta, uma promoter que também alicia jovens na noite. Juntos, os três conseguem separar o casal. "Para compor o personagem eu busquei referência sobre em que momento o ciúme e a inveja podem ser prejudiciais na vida", disse Vladimir.

Deborah Secco comemora sua volta ao horário nobre depois de ser mãe. A última novela da interprete de Karola foi "Insensato Coração" (2011). De acordo com a atriz, trabalhar pela primeira vez com Adriana Esteves está sendo um grande presente.

"Ela é uma das atrizes que eu mais admiro na vida. Assim como Renata Sorrah e Cássia Kiss são as mulheres que eu quero ser", se derrete. "Eu sempre busco inspiração para compor minhas personagens. A Darlene de 'Celebridade', por exemplo, foi inspirada na Sandrinha, papel de Adriana em 'Torre de Babel' (1998), complementa.

Ansiosa para a estreia, Deborah diz que Karola é uma delícia de se fazer, mas não a defende. "A Íris ('Laços de Família') era uma menina má, mas a Karola vai ficando malvada ao longo da novela. Não dá para defendê-la [risos]", revela.

Na ponta deste triângulo está Laureta, personagem de Adriana Esteves que na internet já vem sendo apontada como a nova Carminha, papel da atriz em "Avenida Brasil", outra trama de João Emanuel Carneiro.

De acordo com a atriz, a mulher nunca é simples e sim complexa. No caso da personagem não é diferente. "É uma mulher que tem um passado misterioso, se emociona, tem suas dores e sofrimentos, é guerreira...", opina. "Eu acredito que a Laureta seja alguém cheia de conflitos e questões. Então, a minha preocupação não é mostrar suas vilanias, mas contar a história dessa mulher, o que ela sente em relação a uma série de coisas abordadas na novela", diz.

A volta de Giovanna

Foi só Giovanna Antonelli apontar no estúdio para que todos os olhares se voltassem em sua direção. A atriz se prepara para dar vida a mais uma protagonista na carreira.

A personagem começa a trama separada do primeiro casamento e tendo que criar dois filhos sozinha. Ao conhecer Beto/Miguel se apaixona por ele e engravida, mas o casal é separado por causa de uma manobra comandada por Remy.

Nesse meio tempo, seu ex-marido Edilei (Paulo Borges) retorna querendo retomar o casamento. Durante um desentendimento, ele morre e Luzia leva a culpa. Ela vai presa, mas antes dá à luz ao filho Valentin (Danilo Mesquita).

A criança é roubada na hora do parto e a fazem acreditar que o bebê morreu durante o nascimento. Karola pega o menino e o cria como se fosse dela. Na cadeia, Luzia consegue fugir e vai parar na Islândia. Ela retorna 18 anos depois repaginada, na pele da DJ Ariella e disposta a reencontrar os filhos.

"Ela é uma mulher de fibra, batalhadora, guerreira, mãe, leoa... Quando ela descobre o amor, um acontecimento separa os dois e ela precisa se refazer", conta. A mudança no visual foi decorrente dos anos fora do Brasil. "Ninguém passa 18 anos na Islândia e volta impune [risos]", brinca.

Para Giovanna, apesar dos percalços Luzia não é uma pessoa sofrida. "Ela é uma pessoa viva, tem brilho e luz", opina. Questionada sobre sua facilidade para chorar, a atriz finaliza a entrevista com a mesma forma descontraída com a qual começou. "Todos os dias coloco lágrimas para fora, não estou guardando nada", conclui às gargalhadas.



publicidade

LEIA MAIS

publicidade

COMENTÁRIOS

Para comentar na página você deve estar logado com seu perfil no Facebook. Este espaço visa promover um debate sobre o assunto tratado na matéria. Comentários com tons ofensivos, preconceituosos, de propaganda e que firam a ética e a moral podem ser deletados. Participe!

publicidade