Reportar erro
Próxima novela

Globo apresenta "Segundo Sol" à imprensa em clima de axé; saiba como foi

segundosol-coletiva-26042018(5)_9aeaf61c53a32d11806ada212e05a76ff5160e5e.jpeg
Divulgação/TV Globo
Taty Bruzzi

Publicado em 27/04/2018 às 12:19:59

A Bahia pousou nos Estúdios Globo na noite desta quinta-feira (26), quando aconteceu a coletiva de imprensa de "Segundo Sol", novela de João Emanuel Carneiro que estreia no próximo dia 14 no horário das 21h. O NaTelinha esteve presente e sentiu o clima do axé e comidas típicas do estado.

Com direção geral de Dennis Carvalho, a trama é dividida em duas fases. A primeira em 1999 e a segunda nos tempos atuais. Na cidade histórica de Santo Antônio Além do Carmo, Beto Falcão (Emílio Dantas) é um cantor de axé que vê sua vida mudar por causa de um mal-entendido.

Com a carreira em crise e a família cheia de dívidas, ele aceita um convite para se apresentar em Aracaju. Entretanto, perde o voo. O avião que o levaria cai e o cantor é dado como morto.

Seu irmão e também empresário Remy (Vladimir Britcha) e sua namorada Karola (Deborah Secco) o convencem a manter a farsa, uma vez que falecido ele passa a fazer mais sucesso do que se estivesse vivo.

Durante a entrevista, Emílio Dantas revelou que se sentiu ainda mais motivado com o papel quando soube que interpretaria um cantor. "Antes de me tornar ator, eu trabalhei com música por dez anos", recordou. "Quando soube do personagem, pensei: tô dentro", disse ele, que foi o Rubinho em "A Força do Querer" no ano passado.

O ator e parte da equipe passou uma temporada na Bahia, o que para ele foi fundamental. "Você tem que dar credibilidade à história. Se ela se passa na Bahia, tanto esteticamente quanto visualmente, ou para entrar no clima, é importante estar lá", opinou.

Para dar esta veracidade o elenco precisou de aulas de prosódia, a fim de conhecer melhor o sotaque. Emílio ainda buscou referências com lembranças de uma ex-namorada baiana e nos seus ídolos musicais como, por exemplo, Raul Seixas.

Globo apresenta \"Segundo Sol\" à imprensa em clima de axé; saiba como foi

"Eu lembrei de muita coisa que ela conversava comigo e me inspirei também em alguns músicos como o Raulzito, de quem sou fã, além do pessoal da equipe. Nós temos um elenco com muitos baianos, assim como parte da equipe também, e eles nos ajudam o tempo todo", ressaltou.

Chay Suede, que vive o filho de Luzia/Ariella (Giovanna Antonelli) na segunda fase da novela, também aprovou a temporada fora do Rio. "Eu vou muito à Salvador, já estou familiarizado com a região", revelou. A respeito do sotaque, ele disse que o processo ainda está em andamento. "Experimentamos muitos estilos diferentes até conseguir construir uma ideia. Existem diversas formas de falar de acordo com a região e a classe social. Tem sido muito prazeroso", explicou.

Já em relação ao seu personagem, Chay conta que Ícaro e a irmã Manuela (Luisa Arraes) são separados ainda criança. Quando a mãe vai presa, os dois ficam aos cuidados da tia Cacau (Fabíula Nascimento), que dá a menina em adoção e mantém a guarda do menino. Estes acontecimentos acabam levando-o a fazer algumas besteiras na vida. Uma delas é se prostituir. Entretanto, ele não o considera rebelde. "Ele não chega a se tornar um garoto de programa. Se prostitui em algum momento em troca de dinheiro, mas descobre que o buraco é mais embaixo", adiantou.

Trio de vilões

Como acontece em toda novela, "Segundo Sol" também terá seus vilões. Na verdade, um trio formado por Vladimir Brichta, Deborah Secco e Adriana Esteves (Laureta). De caráter duvidoso, o primogênito da família Falcão é descrito como a ovelha negra.

Como administrador da carreira de Beto, vê vantagens quando o irmão é dado como morto e consegue "faturar" vendendo a imagem do cantor precocemente falecido. Para isso, ele conta, ainda, com a ajuda de Karola, que consegue induzir o namorado a concordar com a farsa.

Beto se muda para a ilha de Boioporã e adota o nome de Miguel. Com nova identidade, ele conhece Luzia e os dois se apaixonam. Decidido a se casar com a catadora de mariscos, ele conta seus planos para Remy. Então, o empresário e a ex-namorada do cantor se juntam à Laureta, uma promoter que também alicia jovens na noite. Juntos, os três conseguem separar o casal. "Para compor o personagem eu busquei referência sobre em que momento o ciúme e a inveja podem ser prejudiciais na vida", disse Vladimir.

Globo apresenta \"Segundo Sol\" à imprensa em clima de axé; saiba como foi

Deborah Secco comemora sua volta ao horário nobre depois de ser mãe. A última novela da interprete de Karola foi "Insensato Coração" (2011). De acordo com a atriz, trabalhar pela primeira vez com Adriana Esteves está sendo um grande presente.

"Ela é uma das atrizes que eu mais admiro na vida. Assim como Renata Sorrah e Cássia Kiss são as mulheres que eu quero ser", se derrete. "Eu sempre busco inspiração para compor minhas personagens. A Darlene de 'Celebridade', por exemplo, foi inspirada na Sandrinha, papel de Adriana em 'Torre de Babel' (1998), complementa.

Ansiosa para a estreia, Deborah diz que Karola é uma delícia de se fazer, mas não a defende. "A Íris ('Laços de Família') era uma menina má, mas a Karola vai ficando malvada ao longo da novela. Não dá para defendê-la [risos]", revela.

Na ponta deste triângulo está Laureta, personagem de Adriana Esteves que na internet já vem sendo apontada como a nova Carminha, papel da atriz em "Avenida Brasil", outra trama de João Emanuel Carneiro.

De acordo com a atriz, a mulher nunca é simples e sim complexa. No caso da personagem não é diferente. "É uma mulher que tem um passado misterioso, se emociona, tem suas dores e sofrimentos, é guerreira...", opina. "Eu acredito que a Laureta seja alguém cheia de conflitos e questões. Então, a minha preocupação não é mostrar suas vilanias, mas contar a história dessa mulher, o que ela sente em relação a uma série de coisas abordadas na novela", diz.

A volta de Giovanna

Globo apresenta \"Segundo Sol\" à imprensa em clima de axé; saiba como foi

Foi só Giovanna Antonelli apontar no estúdio para que todos os olhares se voltassem em sua direção. A atriz se prepara para dar vida a mais uma protagonista na carreira.

A personagem começa a trama separada do primeiro casamento e tendo que criar dois filhos sozinha. Ao conhecer Beto/Miguel se apaixona por ele e engravida, mas o casal é separado por causa de uma manobra comandada por Remy.

Nesse meio tempo, seu ex-marido Edilei (Paulo Borges) retorna querendo retomar o casamento. Durante um desentendimento, ele morre e Luzia leva a culpa. Ela vai presa, mas antes dá à luz ao filho Valentin (Danilo Mesquita).

A criança é roubada na hora do parto e a fazem acreditar que o bebê morreu durante o nascimento. Karola pega o menino e o cria como se fosse dela. Na cadeia, Luzia consegue fugir e vai parar na Islândia. Ela retorna 18 anos depois repaginada, na pele da DJ Ariella e disposta a reencontrar os filhos.

"Ela é uma mulher de fibra, batalhadora, guerreira, mãe, leoa... Quando ela descobre o amor, um acontecimento separa os dois e ela precisa se refazer", conta. A mudança no visual foi decorrente dos anos fora do Brasil. "Ninguém passa 18 anos na Islândia e volta impune [risos]", brinca.

Para Giovanna, apesar dos percalços Luzia não é uma pessoa sofrida. "Ela é uma pessoa viva, tem brilho e luz", opina. Questionada sobre sua facilidade para chorar, a atriz finaliza a entrevista com a mesma forma descontraída com a qual começou. "Todos os dias coloco lágrimas para fora, não estou guardando nada", conclui às gargalhadas.

Mais Notícias