Reportar erro
Justiça

Warner Bros é alvo de processo por danos morais que pode lhe custar US$ 900 milhões

 Warner Bros é alvo de processo por danos morais que pode lhe custar US$ 900 milhões
Fotos: Divulgação

Taty Bruzzi

Publicado em 05/04/2017 às 17:47:12

Responsável pela Franquia “Invocação do Mal”, a Warner Bros é alvo de processo por danos morais que pode lhe custar US$ 900 milhões.

Em 1980, Gerard Brittle publicou “The Demonologist: The Extraordinary Career of Ed and Lorraine Warren”.

No livro, o autor narra as histórias dos investigadores paranormais Ed e Lorraine Warren.

De acordo com Brittle, como ele assinou contrato de exclusividade com Lorraine Warren, a produção do filme não podia usar seu material sem autorização.

O processo envolve os estúdios da Warner Bros e da New Line Productions, além do diretor, James Wan, envolvidos.

Segundo Gerard Bittler, as produções “Invocação do Mal”, “Invocação do Mal 2” e “Annabelle” infringiram os direitos exclusivos ao criar materiais baseados nos casos dos Warren.

“Quando Lorraine Warren garantiu aos réus o direito de usar os arquivos dos casos Warren, o que eles repetidamente alegam ser o material no qual seus filmes são baseados, ela não poderia ter feito isso, porque há anos ela tinha garantido contratualmente o direito exclusivo para usar estes mesmos casos e materiais relacionados ao demandante. Lorraine Warren não tinha nada que pudesse ser transmitido”, disse Patrick C Henry II, advogado de Bittler.

Por conta disso, Henry acusa a Warner de ter sido irresponsável ao concordar com a realização do filme.

“É muito difícil de acreditar que um conglomerado tão grande como a Warner Brothers, com seu exército de advogados especializados em acordos de direitos de propriedade intelectual, não teriam encontrado o livro ‘The Demonologist’, documentos ligados a ele ou até mesmo Brittle. A única conclusão lógica é que os réus sabiam sobre esses acordos e os ignoraram pensando que jamais seriam pegos”, ressalta.

Além de cobrar US$ 900 milhões por danos morais, o ação proíbe o lançamento de “Annabelle 2”.

Mais Notícias