Reportar erro
Premiação

Prime Box Brazil é eleito melhor canal independente e visa expansão: "Janela da cultura"

Para executiva, negociação com operadoras em relação ao empacotamento é difícil

Jal Guerreiro com prêmio
Jal Guerreiro, do Prime Box Brazil, recebe prêmio na Argentina - Divulgação
Thiago Forato

Publicado em 03/12/2019 às 06:21:06

Maior programadora independente de televisão por assinatura do país, a Box Brazil conquistou o Prêmio NEO TV Melhores do Ano na categoria Brasileiro Independente 12 Horas.

A premiação aconteceu em Mendoza, na Argentina, e a distinção veio do voto das 143 operadoras que compõe a entidade.

Em entrevista exclusiva ao NaTelinha, Jal Guerreiro, diretora de Expansão e Relações Institucionais e de Mercado da Box Brazil, diz o que em sua opinião credenciou o Prime Box Brazil a faturar o prêmio: "A qualidade premium da nossa programação foi decisória na escolha. O canal estreia conteúdos originais e inéditos semanalmente, abre espaço a multi formatos (desde séries e documentários a longas-metragens), incentiva debates atuais de relevância social por meio dessas produções e se preocupa em assegurar a diversidade nesses trabalhos (presença de direção feminina e minorias sociais, raciais e de gênero)".

O fato de o Prime Box Brazil ser distribuído por uma vasta rede de operadoras nacionais e regionais também foi um outro motivo.

Empacotamento

O Prime Box Brazil está há oito anos no mercado e Jal Guerreiro destaca que o modelo de empacotamento segue o tradicional brasileiro, em que as operadoras contratam as programadoras e ofertam aos consumidores finais.

"É muito difícil negociar com as empacotadoras principalmente as grandes, sobretudo para as programadoras independentes, porque o line-up deles já está montado. A entrada de um novo canal implica a saída de alguém", diz.

De acordo com ela, a substituição de canais para as operadoras é um movimento complexo: "Uma equação entre custo, qualidade de programação e técnica".

Destaque da programação

Questionada sobre a atração sensação de 2019 do canal, a executiva admite que é difícil escolher em virtude da variedade de títulos, mas elege uma favorita.

"A série Chuteira Preta lançada em julho foi, sem dúvida, nosso maior sucesso de audiência, comercial e de repercussão do ano", conta.

A produção da Accorde Filmes foi uma obra ficcional que debateu o submundo obscuro do futebol. "Tratou da compra de partidas, extorsões financeiras, drogas, entre outros assuntos delicados, nunca antes expostos na TV brasileira", explicou.

"Esse trabalho possibilitou que atores renomados e de apelo popular pudessem retornar à TV. É o caso do protagonista Márcio Kieling, Nuno Leal Maia, Nicola Siri, Karin Roepke e outros nomes. Além desse drama, destacamos as comédias Necrópolis, Alce & Alice e Paralelo 30, além da série documental Investigação Criminal", lista.

Mercado em transição

Para Jal Guerreiro, o mercado audiovisual está em transição e é preciso ter cautela quanto a isso, e ressalta a importância de canais independentes: "Os canais independentes são a janela da cultura brasileira. É onde o brasileiro se enxerga e uma forma de interagir com ele. O brasileiro se vê e se identifica com esse espaço".

Agora premiado, o Prime Box Brazil quer mais. "Para os próximos anos, nossa meta é melhorar a distribuição nacional, alcançando mais lares e preferência regional", aponta.

Guerreiro também quer levar a cultura brasileira para outros povos e planeja: "Já estamos nos Estados Unidos, Angola e Moçambique. Nosso plano de expansão internacional agora parte para Portugal, Argentina, Uruguai e China. Outros países estão sendo planejados".

Investimento em novas produções

A empresa mira também um investimento de R$ 140 milhões em 177 produções – via Fundo Setorial do Audiovisual. Desse valor, R$ 28 milhões serão aplicados em 30 novas séries originais gaúchas para exibição nos canais FashionTV, Prime Box Brazil, Travel Box Brazil e Music Box Brazil.

A Box Brazil alcança diariamente cerca de 50 milhões de espectadores no Brasil e 1,5 milhão em outros países.

Por aqui, está disponível em operadoras como a Vivo, Net, Sky e Oi. São cerca de 17 milhões de assinantes, o que significa que o conteúdo é distribuído para mais de 35 milhões de pessoas.

Mais Notícias