Reportar erro
Repercussão mundial

"Bolsonaro ameaça fundo de cinema com censura ou fechamento", diz site americano

Variety também citou entrevista de José Padilha que chamou o presidente de “estúpido”

Jair Bolsonaro
Bolsonaro segue repercutindo com suas falas e posições polêmicas
Daniel César

Publicado em 20/07/2019 às 20:27:30

Um dos principais sites que fazem cobertura sobre o universo do entretenimento no mundo, a Variety falou sobre as declarações do presidente Jair Bolsonaro a respeito da Ancine (Agência Nacional de Cinema) de que, se ele não puder controlá-la, vai fechar. O portal chamou a atitude de “censura” e ainda citou o cineasta e produtor de séries da Netflix, José Padilha, que não poupou críticas ao presidente.

A reportagem da Variety tem o título de "Bolsonaro ameaça fundo de cinema com censura ou fechamento" e não se omite em chamar Bolsonaro de "presidente da extrema direita brasileira" ao mostrar as suas declarações, feitas na última quinta-feira (18) e que vem repercutindo não apenas no Brasil, como em boa parte do mundo.

Em longo texto, o portal lembrou que a Ancine movimenta US$ 300 milhões por ano apoiando as indústrias de cinema e TV do Brasil. A reportagem que é assinada pelo jornalista John Hopewell citou ainda que Bolsonaro atacou a Agência por "apoiar a pornografia". O texto lembra que a fala do presidente se refere ao cofinanciamento da Ancine para o filme "Bruna Surfistinha".

A Variety citou ainda que o mandatário brasileiro afirmou que o cinema deveria focar nos "heróis brasileiros", sem no entanto deixar claro sobre quais heróis ele se referia. "Temos tantos heróis no Brasil e as pessoas não falam sobre eles”, argumentou o presidente. “Temos que preservar a memória deles, mostrar o valor daquelas pessoas que no passado deram suas vidas, lutaram para que o Brasil fosse independente ou democrático com um futuro que pertence a todos”, comeleteira.

O site americano citou entrevista que o “Jornal Nacional”, da Globo, fez com José Padilha, cineasta e diretor responsável por obras como "Tropa de Elite" e "Robocop" no cinema e séries como "Narcos" e "O Mecanismo", ambas para a Netflix. “Se é ideológico, é um retorno à censura do cinema brasileiro. Quanto à ameaça de fechar a Ancine, não estou surpreso. Trump sabotou todas as agências dos EUA, começando com aquelas dedicadas à ciência, às questões ambientais e à luta contra o aquecimento global. Como Forrest Gump diz: 'Estúpido é tão estúpido quanto'”, disse Padilha.

O texto lembra que as declarações do presidente chegam dois meses depois do Festival de Cannes, em que o Brasil possuía sete filmes selecionados, tornando-se a quarta maior nacionalidade presente no evento, lembrando também que "Bacuaru", do diretor Kleber Mendonça, venceu o prêmio do júri.

A reportagem encerrou afirmando que não se sabe como Jair Bolsonaro pretende fechar a Ancine, segundo o jornalista algumas posições controversas do presidente têm sido rejeitadas pelo Congresso e pela Suprema Corte (referindo-se ao STF), citando textualmente o decreto de armas, derrubado pelos parlamentares, e a homofobia declarada como crime pelo STF.

Mais Notícias