Reportar erro
Irmão do Rei do Pop

Irmão de Michael Jackson defende plásticas do cantor: "Não prejudicou ninguém"

Michael Jackson sofreu transformações no corpo ao longo da vida

Marlon e Michael Jackson
Marlon Jackson e o astro Michael Jackson - Foto: Divulgação
Redação NT

Publicado em 28/04/2021 às 11:35:10

Marlon Jackson, um dos integrantes do The Jacksons e irmão de Michael Jackson (1958-2009), defendeu as plásticas que o Rei do Pop fez ao longo da vida. Numa rara entrevista ao The Guardian, foi questionado se o amava da mesma maneira quando passou a sofrer modicações no corpo. Ele afirmou que sim e que as cirurgias não importavam.

"Não [não incomodava as cirurgias]. Não me chateava porque vejo dessa forma: 'O Senhor nos colocou nesta Terra para amar uns aos outros, não para julgar os outros, e Michael não estava prejudicando ninguém. Era o corpo dele e fez o que queria para ser o que queria ser", afirmou.

E continuou: "Quando você chegar aos portões e o Senhor estiver lá, ele irá julgá-lo pelo que você obteve para si mesmo, ou não pelo que você fez a si mesmo. Ele irá julgá-lo pelo que você fez pelos outros. Julgue alguém por seu coração".

O processo de Michael Jackson

Nessa terça-feira (27), Wade Robson, que acusava o Rei do Pop por abusos sexuais ao longo da infância em um período de 10 anos, perdeu nos tribunais a ação que movia contra as empresas do cantor. A alegação era que a MJJ Productions e MJJ Ventures teriam facilitado o astro a praticar os supostos crimes de abuso sexual.

No ano de 2013, Wade abriu processo alegando ter sofrido abusos do Rei do Pop. O espólio de Jackson, que controla seus empreendimentos, não concordou com a acusação e contestou todas elas. "Não há nenhuma evidência que apoie a alegação do autor de que os réus exerciam controle sobre Jackson", decidiu o juiz Mark A. Young, do Tribunal Superior do Condado de Los Angeles.

"A evidência demonstra ainda que os réus não tinham capacidade legal para controlar Jackson, porque ele tinha propriedade total e completa dos réus corporativos. Sem controle, não há relação ou dever especial existente entre os réus e o requerente. Além disso, não há evidência de abuso por parte dos réus", completou a sentença.



Mais Notícias
Outros Famosos