Reportar erro
Luz del Fuego

Peça estrelada por Rita Cadillac distribui ingressos grátis para mulheres anti-Bolsonaro

"Luz del Fuego" está em cartaz no teatro Jaraguá, em São Paulo

jarbolsonaro_11b217fff9554973891022710fa03725afd0f27f.jpeg
Reprodução
Sandro Nascimento

Publicado em 14/09/2018 às 15:47:28

Os produtores e atores do espetáculo "Luz del Fuego", estrelado por Rita Cadilac, decidiram distribuir ingressos grátis durante toda a temporada, a partir deste sábado (15), para mulheres que se apresentarem na bilheteria dizendo ser contra o candidato à presidência da República, Jair Bolsonaro.

De acordo com comunicado enviado à imprensa, não haverá necessidade de apresentar qualquer documento; bast dizer que é contra Bolsanoro. A peça estará em cartaz aos sábados (21h) e domingos (19h30) no teatro Jaraguá, em São Paulo, até o dia 21 de outubro.

"Com esse movimento das mulheres terem crescido bastante a gente decidiu apoiar. Não é que a gente decidiu para aproveitar o movimento, a peça desde a estreia já tem essa pegada política muito forte que denuncia a intolerância, o feminicídio e essa ascensão desse candidato de extrema direita. Tem tudo a ver com o espetáculo", conta o escritor e produtor de "Luz del Fuego", Julio Kadetti, ao NaTelinha.

A montagem que mistura drama e comédia conta parte da história da vedete Luz del Fuego (1917–1967), que nas décadas de 40 e 50 escandalizou o Brasil com sua dança sensual e seu discurso a favor dos direitos da mulher, dos gays, da nudez, do sexo livre e do aborto, para denunciar a intolerância que tem feito aumentar os casos de feminicídio na atualidade.

Peça estrelada por Rita Cadillac distribui ingressos grátis para mulheres anti-Bolsonaro

Dirigido por Maciel Silva e com um elenco de 11 atores liderados por Rita Cadillac e Elisa Romero, "Luz del Fuego", que no final presta homenagem a Marielle e Matheusa, já levou mais de três mil pessoas ao teatro Jaraguá, onde estreou em 4 de agosto.

Além do apoio explícito ao grupo de mulheres contra Bolsonaro, com a ajuda de juristas importantes como o advogado Lúcio França e Ariel de Castro Alves, conhecidos internacionalmente pela defesa dos direitos humanos, o espetáculo está programando para o final de setembro uma sessão especial seguida de uma roda de bate-papo com a participação de mulheres, movimentos sociais, artistas e jornalistas para discutir as questões políticas e sociais que se apresentam neste momento.

Movimento

Mulheres vem se unindo em um grupo no Facebook chamado "Mulheres unidas contra Bolsonaro", que já conta com mais de um milhão de inscritas e cresce a cada minuto.

Na descrição, o grupo diz que "é destinado a união das mulheres de todo o Brasil (e as que moram fora do Brasil) contra o avanço e fortalecimento do machismo, misoginia e outros tipos de preconceitos representados pelo candidato Jair Bolsonaro e seus eleitores. Acreditamos que este cenário que em princípio nos atormenta pelas ameaças as nossas conquistas e direitos é uma grande oportunidade para nos reconhecer como mulheres. Esta é uma grande oportunidade de união! De reconhecimento da nossa força! O reconhecimento da força da união de nós mulheres pode direcionar o futuro deste país!".

Mais Notícias
Outros Famosos