Reportar erro
Colunas

Traição, ódio e vingança: o que há de amor em "A Lei do Amor"?

Enfoque NT analisa trajetória da novela das nove

viloesalei.jpg
Vilões deixam trama extremamente pesada em "A Lei do Amor" - Fotos: Divulgação/Reprodução/TV Globo
Thiago Forato

Publicado em 13/01/2017 às 05:20:38

No ar desde 3 de outubro do ano passado, "A Lei do Amor" ainda não emplacou no Ibope. Marcando índices em volta dos 28 pontos de audiência, os números não animam a direção da Globo.
 
Do "amor" no título, pouco dele é visto no ar. São traições, vinganças, planos maquiavélicos e uma densidade altíssima num tom que ultrapassa o exagero. 
 
A começar pelas chamadas: sempre tensas, com uma trilha sonora carregada, ditando exatamente o ritmo da novela escrita por Maria Adelaide Amaral e Vincent Villari. A tensão exala no ar em todas as chamadas.
 
Duvida? Vamos relembrar algumas chamadas desta semana:
 
 
 
 
Em todas elas uma trilha impondo alta tensão, mas não é só nisso que "A Lei do Amor" peca.
 
A história inteira está "contaminada" com sentimentos que passam longe da leveza e do amor, palavra do título.
 
Nada contra tramas mais densas e adultas. Longe disso. O problema é que os últimos folhetins da Globo nesse horário foram um fiasco justamente por repetirem essa fórmula. 
 
O ódio, a vingança e as vilanias desenfreadas passeiam pelos principais núcleos, como o de Tião (José Mayer), que detesta Pedro (Reynaldo Gianecchini) e Helô (Cláudia Abreu) com seus ataques de fúrias, Magnólia (Vera Holtz) contra Bete (Regiane Alves), além de Ciro (Thiago Lacerda) e agora, Isabela (Alice Wegmann), que quer se vingar de Tiago (Humberto Carrão). Precisa de mais?
 
Os autores pesaram na tinta e na construção de todos esses personagens, além de contarem uma história, a princípio confusa.
 
Isabela agora é Marina em "A Lei do Amor"
 
O público vem rejeitando fortemente tramas com esse teor. A preferência é por algo menos pesado, e a faixa "modelo" é o das 19h. Em "Rock Story", até os vilões conseguem ser mais leves, descambando para o ridículo do engraçado, como Lázaro (João Vicente de Castro) e as trapalhadas de Néia (Ana Beatriz Nogueira).
 
Já Alex (Caio Paduan), ainda na trama das sete, consegue ser vez ou outra "engolido" pelos seus amigos nem tão bandidos quanto ele, em cenas cômicas que servem de uma válvula de escape por suas vilanias.
 
A ausência de uma boa história de amor bem contada é o principal motivo pelo fracasso da novela, que entra em contagem regressiva para terminar.
 
Não à toa, "A Lei do Amor" tem tido graves dificuldades em ultrapassar os 28 pontos na Grande São Paulo nos últimos dias. Que venha "A Força do Querer". 
 
Thiago Forato é jornalista, escreve sobre televisão há 11 anos e assina a coluna Enfoque NT há cinco, além de matérias e reportagens especiais no NaTelinha. Converse com ele: thiagoforato@natelinha.com.br  |  Twitter: @tforatto
 
Mais Notícias