Reportar erro
Colunas

Diretora da TV Gazeta critica a Net: "a gente se sente discriminado"

Operadora não quer carregar o sinal em alta definição do canal

marinesrodrigues-tvgazeta (2).jpg
Divulgação/TV Gazeta
Sandro Nascimento

Publicado em 25/05/2016 às 09:50:57

A TV Gazeta de São Paulo, da Fundação Cásper Líbero, está enfrentando dificuldades para disponibilizar seu sinal HD aos assinantes da operadora Net.

Segundo a superintendente de programação da emissora, Marinês Rodrigues, a operadora discrimina a TV Gazeta, em relação ao procedimento que ela adota com o sinal em alta definição das outras emissoras de TV aberta. "Essa situação é revoltante", diz a diretora, em entrevista exclusiva a este colunista do NaTelinha, por telefone.

O carregamento da TV Gazeta por parte da Net é obrigatório em São Paulo devido à lei 12.485/11, o chamado 'must carry' gratuito, onde as empresas de TV paga são obrigadas a carregar o sinal das geradoras locais de radiofusão. O sinal da Gazeta pode ser sintonizado na Net no canal 21, na frequência analógica (baixa qualidade).

"Tem uma questão que a gente vive tentando reverter e não consegue. Porque a Net entende que se ela faz um carregamento numa das posições, no caso da analógica, ela atendeu o que a lei determina. Então, não seria obrigada a nos carregar na posição HD", conta Marinês Rodrigues.

O que determinou o questionamento maior da diretora, foi quando a Net carregou o sinal HD da TV Cultura. Com isso, exclusivamente, a única TV aberta de São Paulo em alta definição fora da operadora foi a Gazeta. "Uma postura que não guarda relação com o que ela pratica com as demais emissoras. A gente se sente discriminado. Essa situação é revoltante. É uma postura empresarial que a Net não quer nos carregar".

Segundo Marinês Rodrigues, a interpretação da Anatel (Agência Nacional de Telecomunicações) é que o rigor da lei está sendo cumprido. "Mas obviamente há um prejuízo claro para a TV Gazeta neste cenário. Quem nos assiste pela Net em São Paulo não tem acesso ao canal em HD, porque a operadora não quer carregar. Ela não faz porque não quer", diz a superintendente.


Marinês Rodrigues comemora os 35 anos do programa "Mulheres", ao lado de
Mamma Bruschetta, Cátia Fonseca e do diretor Ocimar de Castro

Ela também afirma que a TV Gazeta já tentou de todas as formas oferecer o sinal para a Net, inclusive com mediação da Anatel, mas que nada disso resultou em um acordo. "Ela diz que pode fazer o carregamento em HD, mas que vai descontinuar o analógico. Situação que ela não faz com nenhuma outra emissora ou geradora. A gente não pode ainda neste momento abrir mão do sinal analógico, porque os pacotes HDs não representam a totalidade da venda de serviço por parte da Net. Teríamos que estar nos dois pacotes, como todas as geradoras", conta.

A Sky e outras operadoras de caráter nacional não são obrigadas a carregar a TV Gazeta, mas segundo a diretora, o canal é muito cobrado pelos assinantes que optam pelo serviços dessas empresas sobre a entrada do sinal. "Foi aí que surgiu a campanha da hashtag #EuQueroATVGazeta. Isso foi para deixar claro, que nós, TV Gazeta, queremos e podemos ceder o nosso sinal para quaisquer operadora de forma gratuita. Mas não temos como obrigar a operadoras de fazer o carregamento, teria que ser algo por adesão, como fez a Vivo TV", finaliza.

Procurada, a assessoria da Net não enviou sua posição sobre a matéria.

Net atualiza decodificadores no Brasil

Ainda seguindo no tema Net, a operadora controlada pela América Móvil, mesma dona da Claro, iniciou nesta semana a atualização de todos os decodificadores HD da sua base de assinantes. A nova versão chegará gradualmente e trará algumas novidades.

A principal delas é o recurso de "multiroom", onde os assinantes poderão assistir em qualquer ponto adicional da casa, um programa gravado pelo decodificador que tenha o serviço.

Outras novidades são a configuração de "upscaling" para saída de 1080p de vídeo e o acesso mais ágil aos aplicativos da operadora.

"SBT Rio" com moral na emissora

Devido aos excelente resultados de audiência, a direção do SBT decidiu ampliar a duração do jornal "SBT Rio" em 15 minutos, saindo do ar às 12h45.

O noticiário apresentado por Isabele Benito está com médias em torno de 7 pontos contra 5 do "Balanço Geral", da Record.

A direção da emissora estuda uma nova ampliação no tempo e arte do "SBT Rio" e uma versão noturna do telejornal carioca.

Xuxa e a Som Livre

Gravado em 2014, o DVD "XSPB 13" continua aguardando o sinal verde da Som Livre para ser comercializado. As informações que chegam é que o produto será lançado no segundo semestre deste ano, mas sem divulgação da gravadora.

O interesse da Som Livre com a franquia "XSPB" esfriou depois que a apresentadora Xuxa assinou com a Record no ano passado. A gravadora é braço direito da Globo no ramo fonográfico.

Procurada, a assessoria da Som Livre diz não ter informações sobre o produto.

Faltou apuração

Os produtores do jornalismo da Globo Rio precisam ficar atentos quando combinam com os moradores flagras de mau atendimento em hospitais públicos.

Na última semana, em pleno domingo, uma equipe foi deslocada para o interior do estado para apurar denúncias de falta de médicos na região. A ida da emissora foi descoberta pelo prefeito, que rapidamente encheu o hospital de médicos "figurantes".

A repórter chegou ao local e, percebendo um atendimento satisfatório, voltou para a redação. A turma ficou na bronca.

Bastidores de ensaio fotográfico

Os atores Paulo Hebom e Mari Oliveira, no ar em "Malhação", fizeram um ensaio com o fotógrafo Beto Urbano, para a revista Atitude Mag.

A publicação estará nas bancas em julho. Confira os bastidores:

[video]

Eu fico por aqui ou toda hora no Twitter @sanduba

Mais Notícias