Reportar erro
Colunas

Na volta de Fátima Bernardes ao Carnaval do Rio, Tiago Leifert rouba a cena

Confira mais uma análise da coluna "Território da TV"

d39b59a21669c34408a4c81bc608aa5b.jpg
Fotos: Reprodução
Redação NT

Publicado em 04/03/2014 às 13:30:07

Quem passa 15 anos na bancada do “Jornal Nacional” chama naturalmente atenção por onde passa. Ainda mais quando depois de anos retorna para um posto que já ocupou. Mas Patrícia Poeta pode ficar aliviada. A substituída da vez foi Glenda Kozlowski, com a desculpa de que precisa se dedicar para transmissão da Copa do Mundo (como se Tiago Leifert, que estava na Sapucaí, não fosse uma das principais apostas da Globo para a cobertura do Mundial...).

Aliás, justamente Tiago que dissipou logo de cara todo o burburinho feito em cima do retorno de Fátima. O apresentador do “Globo Esporte SP” se tornou o grande destaque da transmissão global no Rio de Janeiro.

Antes de listar os feitos de Tiago, expliquemos que Fátima não chegou a ir mal. Na era dos comentários ácidos em redes sociais, a apresentadora quase passou ilesa. Na verdade, a web reproduziu o que ocorreu até entre seus colegas: a senhora Bonner ficou, de certo modo, ignorada.

Claramente orientada e sem temor de disfarçar isso (agradeceu aos “profissionais sempre competentes” da produção quando recebeu uma “colinha” sobre qual é o som emitido pela águia, o símbolo da Portela), Fátima passou as duas noites com seu tom simpático, porém manso. Destacava a beleza de uma alegoria ali, chamava um repórter acolá... E pronto. Todo esse clima protocolar definitivamente não combina com o Carnaval e tirou parte da folia característica dos desfiles.

No momento de receber os convidados durante o intervalo das escolas é que pode ter ficado evidente o maior problema da jornalista: os “vícios” adquiridos ao fazer o Encontro diariamente. Lidando com um bom número de convidados todas as manhãs, a agora apresentadora já tem sua tática para tratar com eles e a levou para Sapucaí. Algo que Tiago e Chico Pinheiro (narrador que fez dupla exitosa em São Paulo ao lado de Monalisa Perrone), que comandam programas jornalísticos, não possuem tão enraizadamente, assim podendo demonstrar novos lados durante o Carnaval.
 


De Tiago, aliás, vieram as melhores sacadas da transmissão. Ao ver a quantidade de globais trazidos pela Grande Rio, ele não hesitou em dizer que um possível acidente ali causaria sérios problemas ao Projac. E se corrigiu ao ver depois que a Beija-Flor trazia uma legião ainda maior de estrelas no embalo da homenagem à Boni: “Sujou para Grande Rio”.

O jornalista ainda destacou o “The Voice Brasil”, programa que comanda e é do núcleo do diretor Boninho (que também dirigiu a transmissão do Carnaval e ainda tem sob sua batuta o "Encontro com Fátima Bernardes"), ao ver a finalista Lucy Alves desfilando. E voltou a opinar sobre música ao ouvir o hit “Lepo Lepo”, classificado por ele como “maldição”.

Ao ver uma ala sobre patins, o comandante do “GESP” logo mandou abraços para César Tralli, apresentador do “SPTV” e fã do apetrecho. Dentre suas entradas, destaca-se ainda o pedido atendido por um “Hoje é dia de samba, bebê!” partido de Christiane Torloni.

Comentários absolutamente pertinentes se comparados aos de Eri Jhonson, que parecia nem saber o que estava fazendo ali. Milton Cunha, que foi jurado do “Got Talent Brasil” da Record, chamou atenção mais uma vez pelo seu estilo afetado e direto.

Na reportagem, não se sabe se por orientação superior ou por esforço de ambas em conseguirem mais pautas interessantes para os chamados, Lília Teles e Renata Capucci dominaram em seus turnos. As experientes e competentes jornalistas davam o ar da graça sozinhas praticamente no ritmo da soma de entradas de todos os demais colegas.

Celebridades no estúdio
 


 

Com a base global montada na dispersão, famosos se multiplicaram nas entrevistas realizadas após os desfiles. Fausto Silva, por exemplo, “invadiu” o espaço após desfilar na homenagem feita para Boni, que também foi recebido, pela Beija-Flor.

E ao contrário do que muitos cogitavam, a presença do ex-chefão não intimidou ninguém. A transmissão do desfile foi contida e não ocorreram exageros na dose dos elogios. Zico, homenageado pela Imperatriz, recebeu menções bem mais carinhosas, talvez pela presença de duas figuras do esporte na transmissão.

Durante o desfile que saudou o Galinho, Luis Roberto ainda deu a entender que é flamenguista, assim como Galvão Bueno, o narrador número 1 da Globo. Ao ser questionado pela vascaína Fátima Bernardes sobre qual foi o time que o rubro-negro bateu na final do Mundial de 1981, Luis respondeu prontamente: “Liverpool”. Na sequência, Fátima disse que tinha certeza que seu colega teria a resposta na ponta da língua. E o narrador emendou que era melhor se calar para não falar demais.

Celebridade na internet

Na noite de domingo (02), além dos tradicionais Tweets do público serem mostrados no telão, surgiu um espaço que pretendia receber apenas mensagens das estrelas, algo já adotado no “The Voice”. Mas a única vez em que o recurso foi utilizado serviu para mostrar somente um post, não três, como de costume. De quem foi a publicação? De Ana Furtado, esposa de Boninho, que provavelmente estava indo dormir naquela hora, já que comanda o "Encontro" ao lado de Dan Stulbach e Lair Rennó por toda a semana, assim como já havia ocorrido nas férias de Fátima Bernardes em janeiro.

Mas se o espaço “virtual” ficou restrito, a avenida foi mais democrática. Estrela da Record, Sabrina Sato ganhou um tempo acima do habitual das outras rainhas de bateria ao ser mostrada sambando pela Vila Isabel e faturou elogios de Luis Roberto, que destacou como a apresentadora é querida pela comunidade. No carro sobre Boni que trazia praticamente apenas globais, a emissora também citou Moacyr Franco, “intruso” do SBT na alegoria e que é amigo de longa data do proprietário da TV Vanguarda, mas que aparentemente pretende aumentar a sua lista de concessões. Ao ser questionado por Tiago Leifert sobre o que desejava mais na vida após tanto sucesso, Boni citou em clima bem-humorado que deseja ser tema de “mais enredos” e também escapou que pretende administrar “mais emissoras”.
 


Aliás, a entrevista de Boni foi uma das poucas compreensíveis realizadas. Com uma legião de convidados ao término de cada desfile e Tiago, Fátima e Luis totalmente integrados também nesse momento (pela ideia original, Tiago ficaria sozinho nessas ocasiões, porém também não daria tantos pitacos na narração. Ao final, acabou acontecendo uma grande mistura), o estúdio Globeleza perdeu um pouco de seu sentido e virou espaço para somente mais samba, mesmo após os cerca de 82 minutos que cada escola levou para atravessar a Marquês de Sapucaí.

Sobre Hollywood, nada diferente

A cerimônia do Oscar foi totalmente ignorada. Se a tela muitas vezes foi dividida com bobos vídeos dos internautas mostrando alegria, nenhum link com a maior festa do cinema mundial foi estabelecido. Nem mesmo os nomes dos vencedores das principais categorias foram lidos rapidamente. E não foi para privilegiar o “Tapete Vermelho” ancorado por Fernanda Lima, já que “Bom Dia Brasil” e “Jornal Hoje” repercutiram os vencedores da premiação antes do programa especial.

Para o Rio, tudo diferente

São Paulo já tem a fama de rejeitar atrações distantes de seus domínios na TV. Quando não há jogos de futebol dos times paulistas, a Globo não hesita em colocar no ar filmes enquanto o resto do país confere as partidas. Mas apesar de derrubar a audiência na capital paulista, o principal mercado do país, o desfile do grupo especial carioca segue firme e forte no ar em rede nacional.

Para exibir a íntegra de todas as escolas ao vivo para o Rio e não derrubar a audiência de imediato fora da cidade maravilhosa, a solução encontrada é a montagem de um verdadeiro quebra-cabeças com a grade especial para o RJ. No domingo foi até “fácil”: simplesmente sacrificaram o "Fantástico". Nessa segunda, com o horário nobre bem mais recheado, a solução foram antecipações desde cedo. O “Jornal Nacional” terminou no Rio 6 minutos antes de começar na rede. E o “Big Brother Brasil” teve uma edição mais curta até que as das quartas. Com isso, Império da Tijuca e Mocidade foram acompanhadas em tempo real pelos fluminenses. A Globo exibiu ambas na íntegra para rede após a sexta escola de cada dia desfilar (nesse tempo, o Rio via um compacto geral de todas as escolas) e ainda abriu a transmissão direto pela internet.

Nesta quarta (05), o Brasil inteiro finalmente ficará conectado simultaneamente e sem cortes na apuração das notas, que vai ao ar às 16h, logo após a exibição do amistoso entre Brasil e África do Sul.


No NaTelinha, o colunista Lucas Félix irá mostrar um panorama desse surpreendente território que é a TV brasileira.

Ele também edita o https://territoriodeideias.blogspot.com.br e está no Twitter (@lucasfelix)
 

Mais Notícias