Reportar erro
Colunas

Roda o VT: Na dublagem, a primeira impressão é a que fica

257664f7bb652554ed380313f23fb283.jpg
Divulgação
Redação NT

Publicado em 27/01/2014 às 17:44:39

Na coluna anterior falamos sobre a dublagem de "Chaves" e a dificuldade do público em gostar das vozes dos atores que fizeram a dublagem dos novos episódios exibidos pelo SBT. Citamos, também, o caso da mudança na voz do Homer no desenho "Os Simpsons", que causou uma polêmica semelhante com os fãs daquela série.

Percebe-se que há uma grande divisão entre o público atual, entre os que preferem filmes e séries dublados e os que preferem essas produções com o som original e legendadas.

Na década de 1990, quando a TV por assinatura surgiu no Brasil, os telespectadores passaram a conhecer e a acompanhar diversas atrações legendadas. A legendagem eletrônica é um trabalho mais fácil e rápido para os canais de TV do que a dublagem, que pode levar meses para ficar concluída, atrasando a exibição.

Até aquele momento, os seriados e filmes somente chegavam às plateias brasileiras dublados na televisão. A minoria que preferia acompanhar o áudio original recorria às locadoras de fitas VHS. Era a única opção, além da tecla SAP, nos televisores estéreo, também acessíveis a diminuta parte das pessoas. E outra novidade também chegou: o DVD, com opção de áudio e legendas.

Assim, houve uma mudança no gosto do público. Boa parte dos telespectadores passou a ter seu primeiro contato com as novas séries de sucesso no idioma de origem, e não mais em português. Assim, já acostumados às vozes dos atores, passaram a estranhar e rejeitar as versões brasileiras na TV aberta, entendendo que estragavam o programa.

A guinada da opinião dos telespectadores sobre a questão da dublagem é perceptível ao se observar que os programas antigos, como "A Gata e o Rato", "MacGyver - Profissão Perigo" e "Alf" são muito bem aceitos no áudio dublado, porque foi assim que os brasileiros tomaram conhecimento de tais seriados. Por outro lado, produções posteriores à era da TV por assinatura, como "Friends" e "Breaking Bad" sentiram dificuldades para emplacar na TV aberta, falados em português.

Há, contudo, exceções. "Um Maluco no Pedaço" e "Três é Demais", ambos do SBT, e que eram exibidos em canal fechado pela Warner Channel, com legendas, nos anos 90, estão entre aqueles "fora da curva", porque alcançaram popularidade mesmo dublados. O mesmo aconteceu com "Eu, a Patroa e as Crianças" e "Todo mundo odeia o Chris", respectivamente, do SBT e da Record.

Aqui, o sucesso da dublagem se explica pela falta de expectativa do público e da emissora com relação a esses seriados. Nenhum destes programas já possuía uma grande base de fãs que pudesse causar rejeição e revolta. Ao contrário, conseguiram mais sucesso na versão dublada.

Em outras palavras, mandar dublar um programa já muito famoso na versão original (ou em outra dublagem, como no caso de "Chaves"), é um negócio de risco.


Hamilton Kenji é titular dos blogs obaudosilvio.blogspot.com, letrasdotrem.blogspot.com e transcendentes.blogspot.com

Mais Notícias