Reportar erro
Entrevista

Comandante Hamilton relembra cobertura de acidente dos Mamonas Assassinas: "Recorde"

Ele também falou do seu pioneirismo e da evolução tecnológica dos helicópteros

Comandante Hamilton e Roger Turchetti
Comandante Hamilton e Roger Turchetti - Foto: Reprodução/YouTube
Redação NT

Publicado em 12/05/2020 às 17:45:00

Comandante Hamilton revelou segredos do helicóptero e da tecnologia que utiliza para poder captar as melhores imagens aéreas durante perseguições policiais, acidentes e congestionamentos nos telejornais da Record. Em entrevista para o canal Intervenção, do repórter Roger Turchetti, realizada em parceria com o NaTelinha, Hamilton também falou sobre o pioneirismo no segmento e como foi o trabalho da cobertura da morte do Mamonas Assassinas, em 1996.

“Esse trabalho jornalístico foi o que deu mais pontos na época do SBT, acho que deu 42 pontos. Foi o recorde do SBT em termos de audiência. Aliás, o Gugu dava muita audiência no SBT e a gente faz parte desta história, uma época de grandes trabalhos”, comentou o profissional.

Ele relatou que sempre gostou de aeronave e que o início da sua trajetória foi em filmes e comerciais, mas logo ele percebeu que poderia levar suas habilidades para auxiliar o trabalho jornalístico das emissoras.

“Helicóptero é um sonho. Eu comecei a trabalhar com helicóptero para comerciais e filmes. Depois fui colocando para televisão, aí a medida que nós fomos indo, eu descobri que o mercado, a parte de jornalística era importante. Ainda mais uma cidade como São Paulo, totalmente travada. Eu comecei há 26 anos e a cidade já era complicada. E hoje a televisão não vive sem helicóptero”, explicou.

Evolução da televisão

Hamilton diminuiu o ritmo de trabalho, mas garante que viveu um período em que ficava muitas horas dentro do helicóptero para exibir imagens para diversos telejornais dos canais em que trabalhava.

“Hoje são três horas por dia, já acostumei. No início eram oito horas, já fiquei 11. Três horas agora é tranquilo, porque meu filho [Ruan Rocha] faz o jornal de manhã [na Record]. Então eu só faço o Cidade Alerta e ele faz os outros jornais pela manhã”, relatou.

Ele detalha que hoje é mais fácil trabalhar do que antigamente. “Nós temos um helicóptero de primeiro mundo. Eu desenvolvi muita coisa que desenvolvemos com os americanos, tem segredos para que o sinal não caía, que a imagem seja boa, nosso helicóptero tem alguns segredinhos que ajuda no dia-a-dia”, acrescentou.

Confira a entrevista completa abaixo:

Mais Notícias