Memória

De JK a Giovanni Improtta: Relembre papeis marcantes de José Wilker

Ator morreu há cinco anos no Rio de Janeiro

De JK a Giovanni Improtta: Relembre papeis marcantes de José Wilker
José Wilker morreu no dia 05 de abril de 2014 - Foto: Divulgação/Globo

Naian Lucas
i

Naian Lucas

Naian Lucas escreve há 10 anos e já fez de tudo um pouco nas redações. Apaixonado por televisão, é roteirista e trabalha na área desde 2014. Atualmente, é repórter do NaTelinha e aficcionado por tudo que envolve dramaturgia. Siga-me no Twitter: @naiaan

Publicado em 05/04/2019 às 10:30:43

Há exatos cinco anos, no dia 05 de abril de 2014, morria José Wilker, aos 66 anos. O ator era um dos artistas mais requisitados do país, tanto na televisão quanto no cinema. Ele estava em sua casa em Ipanema, Rio de Janeiro, quando não resistiu a um infarto fulminante.

Com grandes feitos na cultura popular brasileira, o cearense Zé Wilker, apelido carinhoso que recebeu de colegas de profissão, merece ser lembrado pelos seus trabalhos.

O NaTelinha traz uma lista com os personagens mais marcantes do ator.

Confira abaixo:

Mundinho e Jesuíno Mendonça – “Gabriela” (1975) e (2012)

Seu primeiro protagonista na televisão brasileira foi Mundinho. Anos depois, o ator esteve na versão feita por Walcyr Carrasco, desta vez como coronel Jesuíno Mendonça. Nas duas histórias, José Wilker conseguiu ter destaque.

Vadinho – “Dona Flor e Seus Dois Maridos” (1976)

Um dos maiores clássicos do cinema nacional, recordista de público durante anos. O ator foi Vadinho, marido morto de Dona Flor. A sua esposa consegue trazê-lo de volta, pois sente saudades do seu jeito festivo e exagerado.

Rodrigo – “Anjo Mau” (1976)

Outro papel de destaque em telenovela. Numa obra de Cassiano Gabus Mendes, o artista fez par romântico com Susana Vieira, protagonista da trama. Vale ressaltar que ambos voltaram a ser um casal em “Senhora do Destino” (2004).

Roque Santeiro – “Roque Santeiro” (1985)

Wilker protagonizou a novela de maior audiência do país. Criação de Dias Gomes e escrita por Aguinaldo Silva, a sátira do mundo político repercutiu em todo país e o artista fez sucesso ao lado de Lima Duarte e Regina Duarte.

Tenório Cavalcanti – “O Homem da Capa Preta” (1986)

O filme contava a história do político Tenório Cavalcanti, muito popular em Duque de Caxias. A figura carregava uma metralhadora chamada “Lurdinha”. A história conquistou prêmios internacionais e também o Festival de Gramado.

Marcelo Rossi – “A Próxima Vítima” (1995)

O personagem tinha três mulheres e não era uma das melhores pessoas. Ao longo da trama, toma decisões controvérsias. A novela causou polêmica e Wilker recebeu elogios da crítica especializada da época.

Giovanni Improtta – “Senhora do Destino” (2004)

Novela de maior audiência do século, a trama teve Nazaré Tedesco (Renata Sorrah) como grande destaque, mas Giovanni Improtta também conquistou o coração dos telespectadores, tanto que foi escolhido para ficar ao lado da protagonista Maria do Carmo (Susana Vieira). Anos depois, o personagem ganhou um filme com seu nome.

Juscelino Kubitschek – “JK” (2006)

Minissérie de Maria Adelaide Amaral, o ator deu vida a fase final da vida do ex-presidente do Brasil, responsável pela criação de Brasília, capital do país. A produção recebeu elogios e premiações naquele ano.


publicidade

LEIA TAMBÉM

publicidade

COMENTÁRIOS

Para comentar na página você deve estar logado com seu perfil no Facebook. Este espaço visa promover um debate sobre o assunto tratado na matéria. Comentários com tons ofensivos, preconceituosos, de propaganda e que firam a ética e a moral podem ser deletados. Participe!