Mais de 100 horas de gravações

National Geographic revela intimidades do serial killer Charles Manson em documentário inédito

 National Geographic revela intimidades do serial killer Charles Manson em documentário inédito
Charles Manson - Foto: Reprodução

Redação NT

Publicado em 11/11/2018 às 10:00:00,

O canal National Geographic estreia neste domingo (11), o documentário inédito “Charles Manson: Assassinatos Brutais”, sobre a família Manson e o culto de assassinos dos anos 60.

Com duas horas de duração e produzido a partir do acesso exclusivo a mais de 100 horas de filmagens inéditas, o especial traz novas informações sobre como Charles Manson reuniu um grupo de jovens de uma pequena comunidade para cometer o que é considerada a mais assustadora série de assassinatos da história dos Estados Unidos.

Cinquenta anos depois que Charles Manson mudou com a sua “família” para o rancho que serviria de base para planejar a onda de assassinatos, imagens inéditas revelam o estilo de vida de amor livre com sexo e drogas, e a forma como vários jovens foram manipulados pelo líder para cometer os crimes.

As cenas foram registradas pelo cineasta Robert Hendrickson e compiladas para este documentário pelo produtor britânico Simon Andreae. Convencido de que ele podia ter filmagens inéditas da Família Manson, Andreae contratou um investigador particular para encontrar Hendrickson e descobrir que ele havia morrido algumas semanas antes, deixando uma vasta coleção de imagens, entrevistas e fotos.

Agora, a National Geographic utiliza esse material em "Charles Manson: Assassinatos Brutais", que vai ao ar às 21h45 deste domingo.

O especial inclui entrevistas novas e arquivadas com os antigos membros do culto de Manson, como Catherine "Gypsy" Share, Lago Dianne "Snake" e uma entrevista exclusiva com Bobby Beausoleil, diretamente do presídio onde foi condenado à prisão perpétua por um homicídio cometido por ele, em colaboração com a família Manson.

Além disso, o documentário apresenta pessoas-chave envolvidas no caso Manson, incluindo o promotor Stephen Kay e o perfil do criminoso do FBI John Douglas.

continua depois da publicidade

A estreia do documentário marca o primeiro ano desde a morte de Charles Manson, em 19 de novembro de 2017.