URGENTE

"Absurdo", diz Walcyr Carrasco sobre reclassificação de "O Outro Lado do Paraíso"

Autor alega que novela presta "serviço social" ao denunciar violência contra a mulher

Walcyr Carrasco critica reclassificação de novela pelo MJ

Publicado em 14/12/2017 às 11:28:46 ,
atualizado em 14/12/2017 às 11:39:03

Por: Diogo Cavalcante

Desde quarta-feira (13), “O Outro Lado do Paraíso” teve sua classificação indicativa ajustada pelo Ministério da Justiça (MJ).

A atual novela das 21h da Globo passou a ser recomendada para maiores de 14 anos por ter mostrado cenas de estupro, prostituição, exploração sexual e ato violento agravado por contexto (violência contra a mulher).

Autor da trama, Walcyr Carrasco não gostou nada da alteração, caracterizando como “absurdo”. “A novela presta um serviço social ao abordar a questão da violência contra a mulher, o direito a dizer não mesmo no contexto de um casamento. E mostra também as alternativas que elas têm para se proteger”, contou ao NaTelinha.

“É importante que toda mulher ganhe consciência de seus direitos como cidadã e sinceramente, a novela contribui para isso”, prosseguiu.

Protagonista do folhetim, Clara (Bianca Bin) sofreu nas mãos do marido Gael (Sérgio Guizé). O homem a estuprou na noite de núpcias e, posteriormente, passou a espancar e intimidá-la.


Clara vai à delegacia denunciar Gael após agressão na primeira fase - Foto: Globo/Raquel Cunha

O escritor ainda apontou outras funções sociais da novela: “(A história) denuncia também situações de preconceito racial e a luta contra esse preconceito através da educação”.

Na trama, Raquel (Erika Januzza) sofreu nas mãos de Nádia (Eliane Giardini), que perseguiu a moça em virtude do relacionamento com Bruno (Caio Paudan), seu filho. Negra e oriunda de um quilombo no Tocantins, Raquel foi humilhada e inferiorizada diversas vezes na primeira fase da história. “Eu deveria ganhar uma medalha por tratar desses temas com sinceridade, sem apelar, e de forma até educativa, contribuindo para a formação do cidadão”, concluiu Walcyr.

Sem efeitos


Raquel (Erika Januzza) sofreu nas mãos de Nádia (Eliane Giardini), deu a volta por cima e virou juíza

A mudança de classificação etária não afeta a transmissão da novela. Já veiculada após as 21h, sugerido pelo MJ para produtos indicados para maiores de 14 anos, não há mais vinculação horária às faixas etárias por uma decisão do Supremo Tribunal Federal (STF) em agosto de 2016. Entretanto, chama a atenção.

A última novela das 21h veiculada com esta classificação foi “Duas Caras”, escrita por Aguinaldo Silva, reclassificada em dezembro de 2007 motivada por cenas eróticas - protagonizadas por Alzira (Flávia Alessandra) - e violentas.



publicidade

LEIA MAIS

publicidade

COMENTÁRIOS

Para comentar na página você deve estar logado com seu perfil no Facebook. Este espaço visa promover um debate sobre o assunto tratado na matéria. Comentários com tons ofensivos, preconceituosos, de propaganda e que firam a ética e a moral podem ser deletados. Participe!

publicidade