Após críticas, autor convida mãe de Cazuza para participar de "Malhação"

Carta aberta de Lucinha Araújo no Facebook gerou grande repercussão

Emanuel Jacobina, o autor de "Malhação" - Divulgação

Publicado em 05/01/2016 às 09:09:09

Por: Thiago Forato

Em "Malhação", Henrique (Thales Cavalcanti) é soropositivo e durante um jogo de basquete se machuca ao trombar com Luciana (Marina Moschen). A jovem acaba tendo contato com o sangue do rapaz, que fica preocupado com a situação e acaba revelando que é portador do vírus da AIDS.
 
Esta cena deu o que falar, e a mãe de Cazuza, Lucinha Araújo, fez uma carta aberta no Facebook repudiando a trama e a atitude da Globo, classificando o episódio como um "desserviço à saúde pública", conforme noticiou o NaTelinha nesta segunda-feira (4).
 
O autor da novela, Emanuel Jacobina, no entanto, não se assustou com as críticas que vieram em relação à cena. "Pensei muito nas consequências que o tema poderia causar, sim, quando escrevi a história. Inclusive, há 15 anos, fui eu quem tratei do assunto AIDS em 'Malhação' com a personagem Érica (Samara Felippo)", disse ele em entrevista ao jornal Extra, não fugindo da raia: "Lógico que vou levar em conta a crítica. O fato é que não existe consenso entre os médicos para os casos em que há necessidade do coquetel. É uma discussão em andamento no meio".
 
 
"Acho que a crítica que a Sociedade Viva Cazuza me fez foi uma contribuição ao debate. Uma pessoa soropositiva oferece risco quase nulo de infecção a quem pratique esporte com ela. Porém, se não falarmos sobre esse risco mínimo, o preconceito vai continuar", conta. 
 
 
Jacobina ainda reafirmou o convite para conversar com Lucinha Araújo, mãe de Cazuza. Ela, por sua vez, participaria numa boa da novela, como o próprio autor já havia sugerido no início desta temporada de "Malhação". "Se for necessário, vou falar o que puder", ressalta Lucinha. 
 
Por fim, Jacobina diz que tem conversado com outras entidades para ter embasamento técnico na inserção de temas como este. "Tenho mantido contato com o Programa Conjunto das Nações Unidas sobre HIV/AIDS (Unaids) e, depois da repercussão das cenas do basquete, pelas quais a entidade não tem nenhuma responsabilidade, eles têm me oferecido colaboração técnica". 
 


COMENTÁRIOS