Ator comemora sucesso instântaneo como o Visky em "Verdades Secretas"

Rainer Cadete fala sobre o sucesso de seu personagem na nova trama das 23h

Divulgação/TV Globo

Publicado em 15/06/2015 às 19:15:41

Por: Thiago Forato

O sucesso de Rainer Cadete na pele de Visky em "Verdades Secretas" foi instântaneo. Mais de 10 mil seguidores de um dia para o outro no Instagram, festa no Projac e pessoas gritando "Visky!!!" por onde ele passava.
 
De um advogado discreto a um homossexual afeminado espalhafatoso, este são dois papéis contrastantes interpretados pelo ator em "Amor à Vida" (2013) e agora em "Verdades Secretas". 
 
Em entrevista ao jornal Extra, ele conta como foi o processo de preparação para o personagem e o sucesso de Visky.
 
"Assim que fiquei sabendo como ele seria, percebi que estava diante de um grande desafio. Precisava me sentir seguro em cena, então fui para a Espanha e lá fiquei dois meses estudando corpo e voz. Foi muito bom para me soltar, sempre fui tímido. De volta ao Brasil, fiz aulas de passarela e de stiletto, que é uma dança em cima do salto alto. Visky, além de booker, é professor de passarela das modelos da agência da Fanny (Marieta Severo). Eu não queria passar vergonha!", revela.
 
Até arrancar os pêlos, Rainer arrancou. "Para entender um pouco mais o universo feminino, eu me depilei com cera da primeira vez. Abençoadas sejam as mulheres! Era uma dor tão grande que eu gritava, queria morder a cabeça da depiladora, tadinha. Agora, só com maquininha. Eu me sinto meio que um Tony Ramos da nova geração por causa do excesso de pelos. Se Deus abençoar, vou desenvolver o talento como ele, brincou o ator, mostrando que tem bom humor.
 
"Eu sou simpático, mas sempre fui péssimo com piadas. Com essa preparação toda, descobri um Rainer engraçado dentro de mim. Dizem que tenho dado pinta no dia a dia. Mais do que isso, estou mais soltinho, engraçado", conta.
 
O sucesso, segundo ele, foi realmente imediato. "Meu Instagram bombou, com mais dez mil seguidores de um dia para o outro. No Projac, os funcionários fizeram festa comigo como nunca antes. Na Barra, eu passava pelas ruas e as pessoas gritavam 'Visky!!!' das janelas dos apartamentos. Foi uma loucura! Eu desconfiei de que Visky poderia ser um sucesso, mas só quando acontece é que a gente entende o tamanho da coisa. Fátima (Bernardes) e Ana (Maria Braga) já me ligaram querendo que eu vá aos programas delas. Estou muito feliz! É sinal de que cada lágrima que caiu quando arrancavam os pelinhos das minhas sobrancelhas valeram a pena", revela.
 
Quando disse ao filho que faria um personagem gay na novela, ele, com apenas 8 anos, respondeu: "O que é que tem, papai?", não fazendo nenhuma distinção sobre o fato do personagem ser homossexual.
 
"Fiquei muito satisfeito com a reação dele por eu ainda não ter tido essa conversa com meu filho e por ele ser essa pessoinha com tanto amor no coração, que aceita as pessoas do jeito que elas são. Aqui no Brasil as pessoas têm uma preocupação muito grande com o que o outro faz ou deixa de fazer na intimidade. A gente precisa se preocupar mais com gentileza, tolerância e amor. Isso, sim, é evoluir", se orgulha.


COMENTÁRIOS