Justiça determina bloqueio de R$ 2,8 milhões de Anitta em processo

Ex-empresária Kamilla Fialho processa Anitta

Divulgação

Publicado em 05/06/2018 às 09:28:32 ,
atualizado em 05/06/2018 às 12:23:45

Por: Fabrício Falcheti

A Justiça do Rio de Janeiro determinou o bloqueio de R$ 2,8 milhões da conta de Anitta nesta segunda-feira (4), como parte do processo movido por sua ex-empresária, Kamilla Fialho.

A decisão partiu da juíza Flávia de Almeida Viveiros de Castro, da 6ª Vara Cível do Fórum Regional da Barra da Tijuca, mas o valor já estava estipulado desde agosto de 2017.

Empresária de Anitta até 2014, pela agência de gerenciamento artístico K2L, Kamilla abriu um processo por danos morais e também exigindo prestação de contas pela cantora, por não ter pago uma multa referente à rescisão contratual, segundo ela. Já a artista acusa Fialho de desviar R$ 2,48 milhões, o que ainda não foi comprovado.

O Banco Central tem até 48h para verificar se Anitta tem condições de depositar a quantia determinada na conta judicial. Em 2015, ela já havia depositado R$ 3 milhões, mas um segundo repasse deveria ter sido feito pela correção do valor, o que não aconteceu.

Procurada pelo NaTelinha, a assessoria de imprensa de Anitta informou que "segundo o advogado da cantora, Dr João Mestieri, o processo no qual a juíza deferiu o bloqueio de bens tem uma arguição de suspeição sob análise da 9ª Câmara Cível. Nesse caso, enquanto a imparcialidade da juíza é analisada pelos desembargadores, deveria a Dra Flávia de Almeida Viveiros de Castro se abster de atuar no processo, que encontra-se suspenso até que o Tribunal decida a suspeição. Logo, a juíza não poderia ter decidido tal questão no momento".

Desde 2014, Anitta agencia sua própria carreira, que no momento vem ganhando o mundo.



publicidade

TAGS:

LEIA MAIS

publicidade

COMENTÁRIOS

Para comentar na página você deve estar logado com seu perfil no Facebook. Este espaço visa promover um debate sobre o assunto tratado na matéria. Comentários com tons ofensivos, preconceituosos, de propaganda e que firam a ética e a moral podem ser deletados. Participe!

publicidade