Reportar erro
A Fazenda

Em bate-papo com Flávia Viana, Ana Paula chora ao pedir menos ódio

Ana Paula Renault emocionada
Reprodução
Redação NT

Publicado em 12/10/2018 às 20:23:10

Eliminada de "A Fazenda 10", Ana Paula Renault participou de um bate-papo nas redes sociais da Record TV na tarde desta sexta-feira (12), comandado por Flávia Viana.

Ainda ressentida pela derrota em cima de Nadja Pessoa, só que mais calma em relação à conversa que teve com Marcos Mion durante a madrugada, a jornalista falou sobre sua experiência no reality show.

“Eu tava muito preocupada, mesmo estando dentro do reality. O que resultou na minha saída pode ser muito o que o Brasil está vivendo. Eu nem tinha ideia do que estava no ar. O negócio é o seguinte, eu me coloquei na Roça porque a Nadja estava mentindo com o meu nome e isso é tudo o que eu tenho, isso não podia acontecer".

Ana Paula contou que quis resolver toda essa situação rápido, antes que passasse: "Em algum momento eu ia sair do reality e precisa resolver isso agora. Em reality tudo fica velho muito rápido e eu podia sair como mentirosa se não resolvesse isso agora, por isso me coloquei na Roça. Ela [Nadja] inventava mentira o tempo todo e tudo o que eu tenho é meu nome. Eu achei que o povo queria realidade, por isso chama reality show, mas eu posso estar enganada".

Em bate-papo com Flávia Viana, Ana Paula chora ao pedir menos ódio

Ainda no papo com Flávia Viana, ela voltou a falar sobre o seu cachê - no confinamento, provocou Nadja dizendo que estava ganhando mais do que ela para participar do programa -. "Por só três semanas, o meu cachê foi sensacional. Não tenho o que reclamar", garantiu.

No mais, a live correu sem grandes estresses e, no fim, Ana Paula chegou a se emocionar ao pedir um mundo com menos ódio: "Tudo aqui é uma eleição, uma votação. As pessoas precisam procurar saber quem são as pessoas realmente, histórico todo. Tem que parar de ficar essa coisa de partido, torcida. Temos que saber o que é melhor para as pessoas, para o país. Se a pessoas se tratarem dessa formam muito acirrada, não dá. A gente vive em comunidade, daqui a pouco a gente vai tá matando todo mundo. Vamos tentar ter um mundo mais justo, justiça é importante".

Mais Notícias