Desabafo

Casagrande comemora sobriedade: "Não dava valor a nada"

"As pessoas ficaram com raiva do meu comportamento", afirmou

Casagrande comemora sobriedade:
Casagrande comemora novo momento - Reprodução/TV Globo

Publicado em 13/08/2020 às 10:47:31

Por: Redação NT

O comentarista Walter Casagrande Jr. esteve na manhã desta quinta-feira (13) no Encontro com Fátima Bernardes para falar sobre o livro Travessia, que ele lança, onde fala sobre suas experiências como dependente química, e celebrou ter feito sua primeira Copa do Mundo sóbrio, em 2018. "Foi o momento que eu tinha me recuperado, recuperado a sobriedade. Nunca imaginei viver o momento que vivo hoje", afirmou.

Quando Casagrande teve alta, lembrou que foi ao programa Domingão do Faustão. "As pessoas ficaram com raiva do meu comportamento. As pessoas queriam ver a minha atitude, perceber a minha mudança. Não eram com palavras que eu ia recuperar meu relacionamento com os meus filhos e amigos, mas com a mudança de comportamento verdadeiro", disse.

"Fiquei um ano internado e não usei droga. O problema mais difícil é quando fica na sua mão, a porta da clínica abre e você volta para a sociedade. É muito difícil. As pessoas andaram, e você não andou, porque estava parado", acrescentou.

Para o comentarista, isso faz com que você tenha que se encaixar na sociedade de maneira diferente de antes. "Eu era um dependente químico, sou um dependente químico... Não dava valor a nada", lamentou.

"As pessoas estão esperando atitude de todo mundo. Transformação da sociedade. A minha sociedade familiar de amigos, tive que me transformar", seguiu ele, que pediu a palavra posteriormente para alertar quem também passou pelos mesmos problemas que ele.

"Queria falar uma coisa que é muito importante: essa história de recuperçaão que eu tive, ela é minha. Não é uma receita de bolo. Ninguém pode copiar o que eu fiz. O dependente tem que encontrar a estrada dele", avisou.

Dia de TBT com Casagrande

Fátima Bernardes mostrou uma foto de Casagrande com os três filhos na época que ele jogava no Flamengo, e se emocionou. "Vivo um momento de plena sobriedade. Meu tratamento foi baseado na verdade. É um gatilho de risco."

Admitindo que não sabe lidar com perdas, lamenta o atual cenário mundial: "Me machuca a situação que vivemos com tantas vítimas da Covid-19. Eu não suporto isso".


Siga o NaTelinha nas redes sociais

Reportar erro

COMENTÁRIOS

Para comentar na página você deve estar logado com seu perfil no Facebook. Este espaço visa promover um debate sobre o assunto tratado na matéria. Comentários com tons ofensivos, preconceituosos, de propaganda e que firam a ética e a moral podem ser deletados. Participe!