Debates

No mesmo capítulo, "Malhação" aborda feminicídio, homofobia e inclusão de surdos

Novela teen mostrou os temas do ponto de vista dos adolescentes

No mesmo capítulo,
Em "Malhação", personagens mostraram como cantar parabéns para pessoas surdas. Foto: Reprodução

Publicado em 02/08/2019 às 21:00:33

Por: Daniel César

Tida como uma temporada solar de "Malhação", "Toda Forma de Amar" exibiu no capítulo desta sexta-feira (02) três temas que não são tratados corriqueiramente na dramaturgia: a homofobia, casos de feminicídio e a inclusão de pessoas mudas na sociedade.

De autoria de Emanuel Jacobina, responsável pelo maior número de temporadas da novela teen da Globo, "Toda Forma de Amar" vem sendo chamada de leve por parte do público e da crítica. A audiência, no entanto, tem respondido positivamente e, até o momento, essa é a segunda melhor temporada da década em termos de desempenho no Ibope, somente atrás de "Viva a Diferença" (2017).

As sequências em questão começaram com um caso de homofobia em que Camelo (Ronald Sotto) descobre que o namoro de Rita (Alanis Guillen) e Guga (Pedro Alves) é apenas de fachada para esconder a relação do jovem com seu irmão, Serginho (João Pedro Oliveira).

Ao saber da história, o jovem resolveu abandonar a festa que participava e foi reclamar da situação com a avó que cria os dois irmãos. Ao contrário do que ele esperava, a avó disse apoiar Serginho. "Se você pensa que vou aceitar isso, não vou", disparou Camelo que foi surpreendido com a resposta. "Você não precisa aceitar, precisa respeitar o seu irmão". Mas o menino estava intransigente e ameaçou. "Se ele pensa que vai me enganar, ele está muito enganado".

O segundo tema abordado foi o feminicídio e visto por Lígia (Paloma Duarte). A média recebeu uma paciente que havia sido espancada e violentada por um homem. A indignação da mãe de Filipe foi tanta que ela exigiu que o hospital informasse à polícia e ao Conselho Tutelar, já que a vítima era uma adolescente. 

Por fim, o capítulo de "Malhação" mostrou ainda a inclusão de pessoas surdas na sociedade. A sequência foi vista com o aniversário de Milena (Giovanna Rispoli). A irmã de Jaqueline (Gabz) é muda na trama e levou suas amigas da escola em que estuda, para pessoas que sofrem com problemas de audição. Ao cantar o "parabéns", a novela mostrou como é o momento para pessoas surdas.

A expectativa é de que os próximos capítulos continuem abordando os temas em questão, sempre sobre o ponto de vista dos adolescentes envolvidos.


publicidade

LEIA TAMBÉM

publicidade

COMENTÁRIOS

Para comentar na página você deve estar logado com seu perfil no Facebook. Este espaço visa promover um debate sobre o assunto tratado na matéria. Comentários com tons ofensivos, preconceituosos, de propaganda e que firam a ética e a moral podem ser deletados. Participe!