Novelas

Lília Cabral fala sobre "Império" e revela ficar surpresa a cada capítulo


maria-marta-imperio18.jpg
Divulgação/TV Globo

Na manhã desta quinta-feira (12), a atriz Lília Cabral participou do programa "Morning Show" da Rádio Jovem Pan.

Intérprete de Maria Marta na novela "Império", ela falou sobre a história e seus mistérios.

Questionada por José Armando Vannucci se Aguinaldo Silva não dá nenhuma pista aos atores sobre o desfecho da trama, Lilia disse que não sabe de nada e que quando recebeu a sinopse da novela, o texto só contava a história até uma determinada parte.

"Na sinopse só tinha escrito até o momento em que Marta roubava o diamante cor de rosa", disse ela, revelando que a cada capítulo o elenco fica surpreso e que apenas o autor sabe o que vai acontecer.

A atriz também deu sua opinião sobre quem deve ser o grande vilão da trama, que usa o nome de Fabrício Melgaço. "Eu gostaria de ser, mas, não sei se eu sou... Eu logo desconfiei do Silviano, mas depois deixei de desconfiar, porque achei que era óbvio de mais e ele era muito próximo de mim (Marta) para fazer isso... Agora estou desconfiando da Cristina... Mas cada hora tenho uma suspeita!".

Lília Cabral ainda contou como foi a construção de sua personagem. "Uma pessoa não é totalmente ruim e totalmente boa, sempre parto desse princípio. Todo mundo vai achar defeito e qualidade no ser humano. Logo percebi que todo mundo ia odiar a Marta... Mas resolvi fazer dela uma pessoa saudável, de falar o que pensa e que age informalmente. Aguinaldo tem um lado muito debochado e irreverente. Logo nos primeiros capítulos eu senti isso e resolvi me arriscar. Quando eu vi que a Marta entrava no quarto do Zé Alfredo e desarrumava a cama dele, eu propus que a Marta dançasse um chachado e fiquei rezando para que todo mundo e o Aguinaldo gostassem quando fosse ao ar! Tive a chance de fazer esse lindo personagem, Aguinaldo me deu essa chance", disse.

"Império" está entrando em sua reta final. A novela chega ao fim em março, quando será substituída por "Babilônia", de Gilberto Braga, Ricardo Linhares e João Ximenes Braga.

Mais Notícias