Mais uma

Enforcada em dívidas, Netflix assume uma nova de US$ 2 bilhões

Estratégia é a mesma: investir em conteúdo original





O CEO Reed Hastings
Reed Hastings, CEO da Netflix: dívidas bilionárias preocupam

Publicado em 26/10/2018 às 08:30:00

Por: Thiago Forato

A Netflix vem gastando enormes quantias para construir seu império de streaming, e agora olha para as dívidas que contraiu sem se importar em fazer novas para produzir mais conteúdo.

Nesta semana, a Netflix anunciou que planeja assumir US$ 2 bilhões em novas dívidas, assumindo notas sem garantia. O dinheiro será usado para "fins corporativos gerais", conforme relatou a CNN em longa reportagem.

O streaming justifica dizendo que isso poderia incluir novas aquisições de conteúdo e custos de produção, junto com outras investimentos. É a terceira vez em um ano que a empresa aumenta a dívida dessa maneira.

Em outubro do ano passado, ela ofereceu US$ 1,6 bilhão em notas, e em abril, US$ 1,9 bilhão.

A notícia vem logo após um ótimo trimestre para a Netflix. Na terça-feira (23), anunciou que possui mais de 137 milhões de assinantes, dos quais 130 milhões pagam pelo serviço.

Apesar disso, a Netflix sabe que terá que gastar mais dinheiero se quiser ficar no topo. No próximo ano, Apple e Disney, por exemplo, vem com grande investimentos, além das já tradicionais Prime Video e Hulu, principal concorrente.

A nova concorrência também significa que a Netflix terá menos conteúdo licenciado para completar sua biblioteca. A estratégia do streaming é aumentar a quantidade de conteúdo original. Só em 2018, são US$ 8 bilhões injetados na programação.

Por conta disso, a Netflix anunciou também que seu fluxo de caixa será negativo em US$ 3 bilhões neste ano e a expectativa para 2019 é semelhante.

Analistas e investidores esperam que a Netfflix consiga pagar suas dívidas. O streaming avisou que construir seu próprio catálogo tem implicações positivas a longa prazo.



publicidade

TAGS:

LEIA TAMBÉM

publicidade

COMENTÁRIOS

Para comentar na página você deve estar logado com seu perfil no Facebook. Este espaço visa promover um debate sobre o assunto tratado na matéria. Comentários com tons ofensivos, preconceituosos, de propaganda e que firam a ética e a moral podem ser deletados. Participe!