Reportar erro
Declaração

Bolsonaro confirma coronavírus e tira máscara em entrevista para Record, CNN e TV Brasil

Presidente não seguiu a recomendação de isolamento

Jair Bolsonaro
Bolsonaro está com coronavírus - Foto: Reprodução/Record
Redação NT

Publicado em 07/07/2020 às 13:13:00

O presidente Jair Bolsonaro foi diagnosticado com coronavírus e, mesmo com a recomendação de manter o isolamento social enquanto se recupera da doença, ele falou com a CNN Brasil, Record e TV Brasil nesta terça-feira (7). Durante a conversa, o mandatário afirmou que está bem e até tirou a máscara de proteção.

“Eu vou afastar um pouquinho aqui. Afasta aí, afasta aí, afasta aí. Solta aí... Só pra vocês verem minha cara aí, tá certo? Pra ver minha cara, tá ok? Eu tô bem, tranquilo, graças a Deus. É tudo em paz. Obrigado para todos aqueles que oraram por mim, torceram por mim”, declarou Bolsonaro enquanto tirava a máscara.

Além dessa atitude, o que chamou atenção foi o fato do político ter feito uma mini coletiva de imprensa, sendo que a recomendação é que pessoas contaminadas fiquem em isolamento social. Ele também acabou falando apenas com jornalistas da CNN Brasil, Record e TV Brasil.

Bolsonaro apresentou sintomas do coronavírus na última segunda (6) e rapidamente se tornou notícia em todo país. O exame do mandatário provocou uma corrida nas emissoras de TV pela informação mais precisa a respeito do estado de saúde do chefe do Executivo.

O resultado do exame saiu nesta terça e confirmou que o presidente estava contaminado pela doença. O nome do governante se tornou um dos principais assuntos do país, provocando discussões entre bolsonaristas e opositores.

Jair Bolsonaro e a doença

Jair Bolsonaro sempre se mostrou contrário às ações de isolamento social e minimizou os efeitos do coronavírus, chamando a doença de “gripezinha” e “resfriadinho”, irritando especialistas e opositores.

Por conta do posicionamento dele, o presidente se tornou alvo de reportagens que apresentavam a gravidade do novo coronavírus, que já matou mais de 65 mil brasileiros desde março.

Mais Notícias