Guerra

Prefeitura do Rio critica Globo por abordagem sobre polêmica dos livros na Bienal

Poder Executivo do Rio apontou manipulação da emissora contra Crivella


Marcelo Crivella e Globo
Globo e Marcelo Crivella em guerra - Foto: Montagem

A Prefeitura do Rio de Janeiro abriu fogo contra a Globo. Na noite do último domingo (08), o Poder Executivo Municipal criticou a linha editorial escolhida pela emissora para tratar nas reportagens dos telejornais a informação sobre a ação promovida pelo prefeito Marcelo Crivella na 19ª Bienal do Livro, mandando retirar livros de circulação com a temática LGBTQA+.

De acordo com o texto escrito pela equipe de comunicação da Prefeitura, a Globo estaria tentando manipular a opinião pública ao censurar a exibição do vídeo de Crivella explicando o que o levou a praticar a censura em alguns livros infanto-juvenis que estavam sendo comercializados no local.

Vale ressaltar que todo o imbróglio começou nesse final de semana, quando Crivella gravou um vídeo anunciando que fiscais da Prefeitura do Rio de Janeiro seriam autorizados a retirar livros com temáticas LGBTQA+ das estantes da Bienal, o que revoltou diversos artistas.

A Globo tem tratado o tema como censura, assim como o STF (Supremo Tribunal Federal). A decisão final da Justiça é que a Prefeitura do Rio de Janeiro está impedida de retirar livros da Bienal, fato muito comemorado pelos defensores da liberdade e da democracia.

Confira a nota completa do Poder Executivo Municipal do Rio de Janeiro contra a Globo:

“A Prefeitura do Rio de Janeiro vem manifestar repúdio à linha editorial da Rede Globo na condução do noticiário sobre os fatos envolvendo a 19ª Bienal do Livro.

Aos fatos:

1) Desde a última sexta-feira (06/09), a Prefeitura do Rio vem insistindo no cumprimento do ECA (Estatuto da Criança e do Adolescente) no que diz respeito ao conteúdo das publicações dirigidas a esse público.

2) A Prefeitura recebeu denúncias de que na Bienal estavam sendo vendidos livros infanto-juvenis de maneira indevida. Esse material precisa ser comercializado em embalagem lacrada, de plástico opaco e com advertência de conteúdo. Isso é previsto pelo Estatuto e a Prefeitura tem obrigação de fiscalizar e cumprir o seu papel.

3) Em seu noticiário, a Rede Globo insiste, no entanto, em classificar a atitude do prefeito Marcelo Crivella como um ato de censura. Ao mesmo tempo, a Rede Globo se negou a exibir no Programa Fantástico deste domingo (08/09) o vídeo feito pelo prefeito explicando os motivos que levaram à ação na Bienal. Também não solicitou entrevista com o prefeito sobre o tema. Veiculou, no entanto, as críticas dos que não aprovaram a medida. Isso, sim, é censura.

4) Apesar de reiterados alertas feitos pela Prefeitura do Rio, a Rede Globo voltou a violar os Princípios Editoriais do Grupo Globo, que tratam dos Atributos da Informação de Qualidade e defendem que é fundamental dar voz ao outro lado.

5) Mais uma vez, a Rede Globo negou o direito ao contraditório, impondo aos telespectadores sua versão dos fatos. O que a Globo quer com isso, além de manipular a opinião pública?”

Mais Notícias