Reportar erro
Em 1985

Primeira edição do "Rock in Rio" teve exibição em horário nobre, mas sem shows ao vivo

Transmissão da Globo chegou a perder para pornochanchada na Record

rockinrio_cdfb6a4b59f55af8274cd102c8199711d423ca66.jpeg
Ilze Scamparini - Reprodução
Redação NT

Publicado em 24/09/2017 às 11:55:48

A sétima edição do “Rock in Rio” termina neste domingo (24). Na televisão aberta, o evento foi escondido nas madrugadas pela Globo, situação bem distinta da ocorrida em 1985, quando aconteceu pela primeira vez o festival.

Naquele ano, a emissora carioca exibiu o evento em horário nobre, mas não chegou a transmitir nenhum show ao vivo, como acontece com alguns cantores nas edições mais recentes.

Em 1985, as transmissões ao vivo não eram comuns na televisão como hoje. Questões técnicas e operacionais, bem como o alto custo do uso de micro-ondas e de canais de satélite faziam os canais pensarem duas vezes antes de usá-los. A Globo, detentora dos direitos de transmissão desde aquela época, optou por mostrar os "melhores momentos" dos shows diariamente.

Com apresentação de Nelson Motta - hoje colunista musical do “Jornal da Globo” - diretamente da Cidade do Rock, o compacto exibia também entrevistas com músicos e breves flashes, conduzidos por nomes como Ilze Scamparini, Glória Maria e Leilane Neubarth.

Primeira edição do \"Rock in Rio\" teve exibição em horário nobre, mas sem shows ao vivoAC/DC foi uma das atrações do primeiro "Rock in Rio"

O evento rendeu liderança isolada para a Globo. Os 11 compactos do “Rock in Rio”, exibidos nos dez dias de evento, renderam média ponderada de 23 pontos. O cálculo foi feito a partir dos dados obtidos pela reportagem do NaTelinha, analisando índices dos relatórios de audiência da Kantar Ibope cedidos ao acervo da Unicamp, com a duração prevista na programação da TV divulgada à época na imprensa.

Você pode conferir a audiência e o horário de exibição de cada compacto no infográfico abaixo. Os dados foram apurados e decupados a partir dos relatórios da Kantar e por verificação de notícias e programação divulgada em jornais, como a Folha de S.Paulo e o Jornal do Brasil.

Importante salientar que nos documentos, em alguns dias apareciam duas exibições diárias para o “Rock in Rio”, mas apenas o primeiro número registrado foi levado em consideração, já que por questões de lógica, eliminação e razoabilidade, batia com as exibições programadas e divulgadas pela emissora aos jornais.

 Primeira edição do \"Rock in Rio\" teve exibição em horário nobre, mas sem shows ao vivo

Não se sabe quanto valia um ponto na Grande São Paulo (hoje, o ponto vale 70,5 mil domicílios na praça), mas em 1985, a capital paulista tinha uma base de 2,8 milhões de televisores, de acordo com o documento da Kantar. É bom deixar claro que não se pode comparar com exatidão os índices de 1985 com os de 2017. O Brasil mudou bastante nesses 32 anos, seja em rotina, seja na forma com que o público lida com a televisão. Mas, serve de curiosidade.

Primeiro dia

Na sexta-feira, 11 de janeiro de 1985, dia do início do “Rock in Rio”, a Globo exibiu o compacto em duas partes. Primeiro, às 21h20, logo após a novela das 20h “Corpo a Corpo”, de Gilberto Braga. Durante uma hora, a emissora marcou média de 44 pontos. A segunda parte entrou às 23h50, após os jornais locais - o canal carioca cedia dez minutos da grade do fim de noite para a terceira edição do "PraçaTV", que foi extinta em 1989.

Esta segunda exibição chegou a ficar na vice-liderança, perdendo para a RecordTV que exibia a pornochanchada “Lua de Mel e Amedoim” na sessão “Sala Especial” - antes de ser vendida para a Igreja Universal, a emissora mostrava filmes desse gênero, alcançando ótimos índices para seus padrões. Entre 23h45 e 0h, o placar marcava 11 para a Globo e 13 para a RecordTV.

Outros dias

Nos sábados (12 e 19 de janeiro), os compactos foram exibidos, respectivamente, às 23h30 e 23h10, logo após o “Supercine”. No domingo, dia 13, os melhores momentos entraram após o “Fantástico”. De segunda (14) a quinta (17), foi veiculado por volta das 22h, depois da linha de shows. Na sexta, teve longa duração: das 21h20 às 23h, entregando para o “Jornal da Globo”. Por fim, o último dia do evento (domingo, 20 de janeiro), foi transmitido novamente após o “Fantástico”.

Primeira edição do \"Rock in Rio\" teve exibição em horário nobre, mas sem shows ao vivo

A programação tinha suas peculiaridades há 32 anos. A novela das 21h - que ainda se chamava "das 20h" - era exibida às 20h25, com capítulos que duravam, no máximo, uma hora. Ainda não existia a tradicional “Tela Quente” às segundas - o espaço era ocupado pela série americana “O Mestre”. Às quartas, nada de futebol, e sim a série “Trovão Azul”. O “Globo Repórter”, há anos nas sextas-feiras, curiosamente foi exibido na terça e na quinta daquela semana.

Contexto

Ao projeto Memória Globo, Nelson Motta comentou sobre o evento: “Era um sonho que a minha geração teve durante, pelo menos, 20 anos. Durante a ditadura, não podia ter nenhum festival de multidão. Para os militares, não podia juntar meia dúzia de jovens que podia dar confusão”.

O "Rock in Rio" de 1985 aconteceu ao mesmo tempo em que Tancredo Neves era eleito presidente da República.

TAGS: