Reportar erro
Notícias

Polêmicas, política e Ibope: quem é o âncora que Ludmilla processará

Polêmicas, política e Ibope: quem é o âncora que Ludmilla processará
Reprodução
Sem autor

Publicado em 18/01/2017 às 13:01:10

Na noite desta terça-feira (17), a internet só falava em um assunto: o comentário do apresentador Marcão, da RecordTV Brasília, feita no último dia 9 de janeiro no "Balanço Geral DF", onde ele se refere à funkeira Ludmilla como "pobre e macaca".

O fato foi trazido em primeira-mão pelo NaTelinha e causou grande repercussão na imprensa especializada. Ludmilla fez um desabafo e disse que processará o apresentador por racismo. Em sua defesa, Marcão disse que não a ofendeu e que isso era uma "expressão popular em sua região".

Mas quem de fato é o apresentador da Record que está causando tanta polêmica? Marcão, na verdade, é Marcos Paulo Ribeiro de Moraes, natural do interior do Tocantins, mais exatamente da cidade de Gurupi.

Começou sua carreira na televisão na década passada, e fez fama localmente com programas de TV nas afiliadas do SBT e da Band na localidade, como "O Povo na TV", onde se dizia "o programa de maior assistência social do Tocantins" e o policial "Gurupi Urgente", onde apresentava crimes e cadáveres decompostos no ar.

Por lá, começou a dar certo e decidiu por entrar na política. Conseguiu se eleger vereador por Gurupi em 2008. Vendo sua popularidade subir, tentou ser deputado estadual em 2010, mas não conseguiu. E foi aí que sua carreira de polêmicas começou.

Processos políticos

No ano de 2012, Marcão foi condenado por abuso de poder econômico para tentar se eleger pelo TRE do estado do Norte do país. Marcão teria impresso cerca de 50 mil informativos que foram distribuídos por toda Gurupi - a cidade tem 50 mil habitantes. A medida foi vista como abuso de poder econômico.

Além disso, Marcão também foi condenado por assistencialismo em favor de mais de duas mil pessoas, utilizando-se de sua fama por causa do seu programa de televisão, pedindo em troca apoio político.

Na época, o âncora atribuiu as denúncias a "perseguição eleitoral" e disse que estaria com a consciência tranquila pois não havia cometido nenhum crime. Mesmo assim, ficou sem seus direitos políticos por três anos.

Por fim, ele também já foi investigado pelo Ministério Público Estadual do Tocantins, depois de ser citado em uma investigação comandada pela 1ª Delegacia de Gurupi, que tentava desmembrar a máfia dos caça-níqueis na região do Tocantins, mas neste caso, não foi provado seu envolvimento.  

Ascensão em Goiás e inimigo número 1 de bandidos

A vida de Marcão começou a se transformar exatamente em setembro de 2013. Ele foi contratado pela TV Goiânia, afiliada da Band em Goiás, para comandar o programa policial "Chumbo Grosso", conhecido por mostrar crimes e corpos de pessoas mortas de maneira nua e crua.

Ele ficou no horário do almoço até o mês de agosto de 2015, quando marcava média de 4 pontos de audiência, bons para um canal que retransmitia a Band na faixa.

Sua vida começou a se transformar mesmo com uma mudança de horário. Em setembro de 2015, o "Chumbo Grosso" começou a ser exibido das 6h30 às 8h, e virou um fenômeno de audiência.

O programa passou a atingir entre 4 e 5 pontos de média, com picos de até 9 pontos, sendo vice-líder no horário em Goiás, e conseguindo por muitas vezes ganhar da Globo.

Por escrachar muitos bandidos e não se importar com suas vidas, o estilo de Marcão é criticado. Em 2016, um áudio com bandidos prometendo "bala no c* do Marcão" viralizou na cidade. A ameaça de morte era latente.

Com seus ótimos números de audiência e boa repercussão local, começou a chamar a atenção da Record, que fez uma proposta por sua contratação. E conseguiu, por um contrato de três anos, a partir de agosto de 2016.

Quatro meses no ar e várias polêmicas

Marcão estreou na edição do meio-dia do "Balanço Geral DF", que vivia uma crise de audiência em pleno aniversário de 10 anos. Substituindo o apresentador Henrique Chaves, que estava à frente do programa desde 2006, Marcão cumpriu seu objetivo.

Desde sua estreia, vem marcando média de 9 pontos de Ibope e está invicto contra o seu principal concorrente, o SBT, e conseguindo vencer a Globo em vários momentos. Mas mesmo com quatro meses apenas de canal, ele coleciona muitas polêmicas.

Quando chegou, o antigo titular do "Balanço" só ficou sabendo que seria sacado por matérias que saíram na imprensa, o que causou um clima ruim de bastidores.

Em novembro desde ano, uma repórter da RecordTV, Francy Rodrigues, agrediu uma mulher que xingou sua mãe durante uma reintegração de posse, num vídeo que viralizou na internet. A agressão aconteceu depois de uma discussão, que ocorreu porque moradores que haviam ocupado a terra ficaram ofendidos com Marcão, que teria os chamado de "bandidos" no "Balanço Geral DF".  

Além disso, nas redes sociais, Marcão chegou várias vezes a ser acusado de homofobia, por piadas dentro de "A Hora da Venenosa" com homossexuais. Estes telespectadores pediam a volta do antigo titular.

A fala contra Ludmilla já rendeu punições ao apresentador. A RecordTV decidiu afastá-lo temporariamente do programa, em ordem vinda diretamente de São Paulo.

Em seu Instagram, que está trancado desde o estouro da polêmica com a cantora, a grande maioria das mensagens é de apoio ao apresentador. 

Mais Notícias