Notícias

De Estúdio Olímpico à Time de Ouro, Globo promete maior cobertura da história

"Jogos NaTelinha" acompanhará as coberturas das Olimpíadas na TV e fora dela


olimpiadas-rio-2016-grande.jpg
Divulgação

A partir deste domingo (10), o NaTelinha começa a apresentar um especial com a cobertura das emissoras de televisão para o maior evento esportivo do ano, os Jogos Olímpicos do Rio de Janeiro.

Até a estreia das Olimpíadas, oito matérias especiais vão mostrar como Globo, Record e Band na TV aberta; e SporTV, ESPN Brasil, Fox Sports e Band Sports planejam transmitir a principal competição esportiva do mundo. No fim do especial, uma reportagem também irá resumir a cobertura dos canais que não têm os direitos, como Esporte Interativo, SBT e RedeTV!.

Para começar, a menos de 30 dias da cerimônia de abertura dos Jogos Olímpicos Rio 2016, a Globo está pronta para fazer a maior cobertura esportiva de sua história - o que ela pelo mesmo promete.

Na emissora, serão 160 horas no ar, com mais de 100 horas de transmissões ao vivo entre os dias 3 e 21 de agosto. Um time entrosado com mais de dois mil profissionais vai acompanhar de perto os 400 atletas da delegação brasileira e os grandes ídolos internacionais para levar o melhor da competição para a casa de cada torcedor.

Para ajudar a contar essas histórias, a emissora formou seu chamado "Time de Ouro", reunindo alguns dos mais importantes ídolos do esporte brasileiro: Gustavo Kuerten, Hortência, Giba, Gustavo Borges, Daiane dos Santos, Flávio Canto, Maurren Maggi, Tande, Emanuel, Fabi, Shelda e Lars Grael. Doze ex-atletas que somam 20 medalhas olímpicas e dezenas de títulos mundiais vão usar a experiência de quem já esteve lá para comentar as competições e traduzir a emoção do atleta para o público.

O "Time de Ouro" faz parte de um grupo de mais de 40 comentaristas, incluindo nomes consagrados do futebol como Ronaldo, Walter Casagrande, Junior, Caio Ribeiro e Juninho Pernambucano, e de outros esportes como o Tiago Splitter (basquete), Fernando Fernandes (canoagem de velocidade), Junior Cigano (boxe), Edson Luciano (atletismo), Ana Amorim (handebol) e Leandro Guilheiro (judô).

Para vencer o desafio logístico que uma Olimpíada realizada em casa representa – são 42 modalidades, com 306 disputas que valem medalhas, e competições simultâneas concentradas em 33 locais de uma única cidade –, a Globo dividiu sua equipe em dois grupos para viabilizar o deslocamento durante a competição. Uma parte trabalhará na sede da emissora, no Jardim Botânico, e vai cobrir os esportes que acontecem nas arenas do Maracanã, na zona Sul e no Parque Olímpico de Deodoro.

A outra equipe terá como base uma redação da Globo montada no IBC (International Broadcaster Center). Em um espaço de 800 metros quadrados, repórteres, cinegrafistas, produtores e comentaristas terão seus postos de trabalho, ilhas de edição, salas de reunião de pauta, tudo que é preciso para que os profissionais coloquem no ar as matérias sobre os esportes que acontecerão no Parque Olímpico da Barra da Tijuca e no Engenhão.

Estúdio Olímpico

É também no coração do Parque Olímpico da Barra que fica a casa da Globo nos Jogos. O Estúdio Olímpico será o camarote do público da Globo para o maior evento esportivo do planeta. Um espaço tecnológico, interativo e estrategicamente localizado, com uma visão privilegiada de todas as arenas. Todo em vidro e com uma área total de 500 metros quadrados, tem três andares.

[galeria]
No térreo, haverá um espaço de relacionamento com atividades interativas para convidados. No primeiro andar, estará o SporTV. E no segundo, a Globo. O espaço serve de base para as transmissões da Olimpíada, para receber convidados e para ancorar todos os telejornais de rede, do "Bom Dia Brasil" ao "Jornal da Globo".

Fernanda Gentil e Alex Escobar se revezam como mestres de cerimônia do estúdio e levam a conversa do público sobre os Jogos para dentro da transmissão. Um grande telão mostrará, ao vivo, a interação do público – de anônimos, atletas ou personalidades – através das redes sociais, com a hashtag #SomosTodosOlímpicos.

A estreia do estúdio acontecerá no dia 31 de julho, um domingo, quando o "Esporte Espetacular" e o "Fantástico" terão edições especiais direto do Parque Olímpico. A partir de segunda-feira, dia 1º de agosto, todos os telejornais de rede também serão apresentados de lá, inclusive o "Jornal Nacional", que contará com a participação diária de Galvão Bueno, assim como aconteceu na Copa do Mundo de 2014.

Transmissões e "Balada Olímpica" diário

No dia 03 de agosto, a Globo transmite a primeira competição olímpica: a estreia da seleção brasileira feminina de futebol contra a China, um jogo que marca o início da caminhada da equipe da supercampeã Marta em busca do título. No dia seguinte, dia 4 de agosto, é a vez da seleção masculina entrar em campo contra a África do Sul, em busca do sonho do inédito ouro olímpico. Do estúdio olímpico da Globo, Galvão Bueno comanda a transmissão com a presença de convidados especiais.

Na sexta-feira, dia 05 de agosto, a Globo abre espaço em sua grade para a transmissão da tão esperada Cerimônia de Abertura. Do "Jornal Nacional" ao "Jornal da Globo", a equipe - que terá nomes como Glória Maria, Galvão Bueno, Marcos Uchoa, Renato Ribeiro e Pedro Bassan - traz todos os detalhes da congregação dos atletas, direto do Maracanã. Neste dia, as novelas das 19h e das 21h serão canceladas.

A partir do dia 06 de agosto, as disputas esportivas começam a acontecer simultaneamente e a Globo mexerá em toda a sua programação para levar os Jogos Olímpicos. Quem perder qualquer lance, terá a chance de rever no "Balada Olímpica", que passa a ser diário e esquentará as madrugadas com música, entretenimento e um balanço dos principais momentos que emocionaram o dia olímpico. Carol Barcellos e Flávio Canto comandam a atração, que receberá diariamente convidados especiais como Pedro Bial, Marcelo Adnet e Marcius Melhem.

Alta tecnologia e Unidade Móvel 4K

E como não se faz transmissão de qualidade sem tecnologias inovadoras, na Globo este é um capítulo à parte. A missão é fazer com que o público, que está em casa, se sinta cada vez mais próximo das arenas e dos atletas. As telas da TV aumentam de tamanho na mesma proporção em que a tecnologia entrega uma imagem com cada vez mais qualidade, aumentando também a vontade do público de interagir com o que está sendo visto. A mesa tática, que faz sucesso no futebol, sai dos gramados e invade as arenas olímpicas. Novas versões vão apoiar as transmissões de basquete, vôlei, vôlei de praia, handebol e até a natação.

Um recurso que aproxima ainda mais o público do jogo, porque ajuda os comentaristas a explicar as jogadas, as táticas e a estratégia de cada atleta em busca da melhor performance. As projeções tiveram uma grande evolução em qualidade e dão mais destaque aos jogadores virtuais, em suas poses e reações, para que o público entenda melhor o que se passa no jogo. No campo virtual do futebol, outro recurso impressionante: o da jogabilidade. A novidade agora é recriar jogadas, tal como em um videogame.

Mais um esporte faz companhia ao futebol no Campo Virtual. Agora o basquete também terá esse recurso, que permite que o comentarista 'entre' na quadra/campo e explique em detalhes as jogadas, as táticas e a estratégia de cada atleta em busca da melhor performance.

A transmissão também contará com a primeira Unidade Móvel 4K com interconectividade IP do mundo, na sua produção dos jogos de vôlei, no Maracanãzinho. A novidade é uma parceria com a Sony e a Imagine e visa garantir a melhor qualidade de imagem nas transmissões. A UM está preparada tanto para a tecnologia 4K quanto para as tecnologias futuras.

Em outra parceria, desta vez com a emissora japonesa NHK, a Globo fará as primeiras transmissões em 8K ao vivo abertas ao público durante o evento. Segundo especialistas, o 8K oferece o padrão mais avançado em qualidade de imagem perceptível ao olho humano, com uma resolução 16 vezes superior ao HD.

As sessões serão realizadas no Museu do Amanhã e incluem a transmissão das cerimônias de abertura e de encerramento, além de competições de diversas modalidades esportivas. As informações completas sobre a programação e a inscrição para as sessões estarão disponíveis no site do Museu do Amanhã. A cada dia o público também poderá conferir o melhor dos Jogos em 4K, através de TVs conectadas, no Globo Play.

Canal extra exclusivo para o Globo Play

Como uma das características da Olimpíada é a simultaneidade das competições, a Globo vai oferecer um segundo canal exclusivo, 24 horas dedicado à transmissão dos Jogos Olímpicos, através de sua plataforma de video on demand, o Globo Play.

Este canal, chamado "Play nos Jogos", será gratuito e aberto aos usuários em todo o Brasil. Terá 24 horas de programação e vai oferecer conteúdo complementar ao que vai ao ar na TV aberta, com a transmissão de competições exibidas com exclusividade nas plataformas digitais, flashes dos melhores momentos do dia e, ainda, o programa "Balada Olímpica".

Os principais eventos esportivos exibidos pela Globo também estarão disponíveis nas plataformas digitais para todo o Brasil em simulcasting, ou seja, simultaneamente à transmissão da TV. Além das exibições ao vivo, o usuário também terá acesso a um material sob demanda, podendo pesquisar competições já exibidas em um catálogo organizado por atletas, modalidades esportivas e países que competem.

Reta final do aquecimento olímpico

Nesta reta final, o "Jornal Nacional" traz a série especial "Perfis", projeto que teve início na Copa do Mundo com histórias dos jogadores da Seleção Brasileira comandado pelo Tino Marcos, e que agora sai dos gramados e invade as quadras e pistas olímpicas.

A partir desta segunda-feira (11), Pedro Bassan conta 16 trajetórias de atletas brasileiros para emocionar o público.

O campeão olímpico Arthur Zanetti é o personagem da estreia. Thiago Pereira, da natação, Fabiana Claudino, do vôlei, Sarah Menezes, do judô, Yane Marques, do pentatlo, e Izaquias Queiroz, da canoagem, são alguns dos perfis que também terão destaque na série.

Para produzir a reportagem, Bassan se dedicou ao projeto durante um ano, realizou 21 viagens onde gravou 170 horas em busca das histórias, curiosidades e intimidade dos atletas que representarão o Brasil.

No dia 17 de julho, é a vez de Flávio Canto estrear a série "Eficientes", no "Esporte Espetacular", que conta as histórias de três atletas paralímpicos do país. Com um ouro e uma prata em Jogos Paralímpicos no atletismo, Alan Fonteles dá início à série.

Em seguida, o público conhece a história de vida do 11 vezes campeão paraolímpico de natação Daniel Dias e a dona de quatro medalhas no atletismo, Terezinha Guilhermina.