Em 1997, CBS fez acordo com o SBT para canal concorrente à Globo News

"Eu Paguei Pra Ver" relembra histórias e curiosidades da TV paga brasileira

Fotos: Reprodução

Publicado em 02/05/2016 às 18:15:00

Por: Sem autor

Em 1997, havia apenas um canal de notícias no mundo que tinha programação em português em toda a TV paga brasileira, e ele se chamava Globo News.

Lançado em 1995 com muito alarde, a emissora rapidamente figurou entre os campeões de audiência na TV paga, quando ela ainda engatinhava no Brasil, no fim dos anos 90. Mas em 1997, uma parceria no mínimo curiosa faria aquela "hegemonia da notícia em português" acabar.

A CBS, considerada a maior emissora de televisão do mundo, lançou naquele ano o CBS Telenotícias Brasil, o primeiro canal estrangeiro a transmitir notícias em língua portuguesa, sendo um concorrente direto da Globo.

Sediada em Miami, nos Estados Unidos, eram veiculadas notícias do Brasil e do mundo em língua portuguesa. Havia também uma sucursal em espanhol dedicada ao grande público hispânico. Aqui no Brasil, o CBS Telenotícias entrou no ar na DirectTV. Inicialmente, tinha cerca de 12 horas de programação em língua portuguesa, sendo o restante coberto por programas jornalísticos da CBS transmitidos de forma legendada, como o "60 Minutes" - que ficou muito conhecido por ser exibido entre 2008 e 2011 no "Domingo Espetacular", da Record.

No fim de 1997, no entanto, um fato notabilizaria o canal para sempre na história da TV brasileira. Uma parceria com o SBT fez com o que o tradicional "Jornal do SBT", exibido no fim de noite, fosse produzido pela CBS. A emissora brasileira também cedia conteúdo jornalístico à CBS, que em troca, oferecia seu conteúdo de volta.

Eliakim Araújo e Leila Cordeiro, que já haviam passado pela rede de Silvio Santos, apresentavam o telejornal em Miami, enquanto Hermano Henning ancorava dos estúdios do SBT em Osasco, no recém-inaugurado CDT da Anhanguera.

Em 1998, o CBS Teletblnoticia chegou a ocupar cinco horas nas madrugada do SBT, sendo praticamente o único informativo diário do canal, já que no ano anterior, o "TJ Brasil" e o "Aqui Agora" haviam sido extintos. Paralelo à isso, o CBS Telenotícias ia ganhando mais distribuição, chegando na TVA. O porém é que a emissora não estava nas principais operadoras - Net e Sky - e isso prejudicada sua audiência e faturamento, ainda mais num período em que poucos tinham acesso a TV paga.

Mesmo sendo icônico, o seu fim foi celebrado em 2000. A CBS vendeu toda a estrutura de seu canal de notícias para a Telemundo, que a partir dali lançou seu sinal internacional. Naquele momento, a versão em português foi extinta. Segundo jornais da época, o seu fim ocorreu por causa da Globo, que tinha negócios com a Telemundo na co-produção de telenovelas. Ter um canal concorrente de notícias com um parceiro não era algo que o canal hispânico queria, e isso pesou demais na decisão de descontinuar.

O fato é que o CBS Telenotícias marcou, muito por ter sido exibido em TV aberta. Muito também pela sua qualidade de produção e edição. Certamente, é uma emissora que faz falta na TV paga.

Extinto há 14 anos, canal PSN tinha Libertadores exclusivo mas faliu

Em 2004, crianças ameaçaram ir às ruas por causa do fim da Fox Kids

Em 2005, Disney e Nick brigaram pelo primeiro fenômeno infantil da TV paga

Em 2005, canal de animação japonesa chegou ao Brasil, mas durou só cinco anos

Em 1991, Globosat entrava no ar sem assinante e esquecendo projeto original

Fornecedora de receptor criou operadora própria, mas sucumbiu na TV paga

Gabriel Vaquer escreve sobre mídia e televisão há vários anos. No NaTelinha, é responsável por reportagens variadas e especiais. Na coluna "Antenado", fala sobre TV aberta quando a necessidade pedir. Já no "Eu Paguei Pra Ver", conta histórias curiosas sobre a TV por assinatura no Brasil. Converse com ele. E-mail: gabriel@natelinha.com.br / Twitter: @bielvaquer



COMENTÁRIOS