Jornalista brasileiro do The Guardian responde herdeiro do Grupo Globo

João Roberto Marinho vhamou David Miranda de mentiroso após ele colocar a culpa do impeachment na Globo

 Jornalista brasileiro do The Guardian responde herdeiro do Grupo Globo
João Roberto Marinho ocupa o cargo de vice-presidente do Grupo Globo

Fabrício Falcheti

Publicado em 27/04/2016 às 11:25:43

O jornalista brasileiro David Miranda, que escreveu um artigo no jornal inglês The Guardian falando sobre “o real motivo pelo qual os inimigos de Dilma Rousseff querem seu impeachment”, colocando a culpa na imprensa e especialmente na Globo, respondeu ao herdeiro do grupo, João Roberto Marinho, que enviou um comentário ao jornal chamando Miranda de mentiroso e dizendo que "a imprensa brasileira em geral cumpriu seu dever de informar sobre tudo, como teria sido o caso em qualquer outra democracia no mundo".

Em um longo texto na página The Intercept, o jornalista se mostrou surpreso com o posicionamento do filho de Roberto Marinho, principalmente por ele ter sido colocado na área de comentários do The Guardian - posteriormente, a carta virou uma notícia.

Inicialmente, David Miranda detonou João: "Olha, João, como quase todos os brasileiros, eu tive que lutar bastante para ganhar meu espaço. Não herdei uma grande empresa  e alguns bilhões dos meus pais. As coisas que tive que superar na minha vida foram muito mais duras do que seu esforço para me desqualificar com condescendência, e não é difícil demonstrar que sua resposta está cheia de falsidades".

Depois, ele relembra algumas passagens históricas da Globo envolvendo política e brada: "A enganosa tentativa de João de confundir o público estrangeiro misturando a operação Lava Jato com o impeachment de Dilma exemplifica perfeitamente o tipo de fraude e o viés pró-impeachment que a Globo vem disseminando institucionalmente por mais de um ano".

Mais adiante, disse que a Globo e o "Jornal Nacional" vêm sendo alvos de protestos e piadas: "A sugestão de que a Globo é uma organização de notícias neutra e imparcial – ao invés de principal braço de propaganda da oligarquia brasileira – é cômica para qualquer um que já tenha assistido a seus programas. A rigor, a parcialidade da Globo, e em particular de seu principal show noturno de notícias, o Jornal Nacional, tem sido tão escancarada que se tornou uma fonte inesgotável de piadas. Essa é uma razão pela qual os manifestantes pró-democracia escolheram os edifícios das organizações Globo como alvos".

David finaliza o longo texto falando sobre o "medo" do herdeiro: "É precisamente por isso que João está combatendo artigos como os meus em jornais estrangeiros: porque ele tem medo do que acontecerá se ele perder o controle do fluxo de informação que os brasileiros recebem. Como a família Marinho sabe desde a década de 90, quando Roberto Marinho conseguiu fazer um tribunal brasileiro barrar a transmissão de um filme extremamente crítico à Globo (“Além do Cidadão Kane”: disponível abaixo) e o tornou viral, a internet ameaça o monopólio da Globo sobre as notícias e a opinião pública".

A resposta completa do jornalista a João Roberto Marinho pode ser lida no The Intercept.