Em 2005, canal de animação japonesa chegou ao Brasil, mas durou só cinco anos

"Eu Paguei Pra Ver" relembra histórias e curiosidades da TV paga brasileira

Divulgação

Publicado em 11/04/2016 às 17:27:48

Por: Sem autor

Um dos grandes baratos da TV por assinatura é atender um público específico que gosta de assistir tais programas que não têm visibilidade nas grandes redes de TV aberta. É o chamado nicho.

Nos anos 90, os fãs de animes explodiram no Brasil, graças a animações como "Os Cavaleiros do Zodíaco", "YuYu Hakusho", "Pokémon", "Digimon", "Dragon Ball Z" e outros mais.

Com o advento da internet, tais desenhos japoneses eram campeões de downloads ilegais, o que demostrava o tamanho do público. Visando isso, em 2005 a Sony lançou em toda a América Latina - com grande destaque no Brasil - o Animax, um canal 24 horas com animes vindos do Japão.

A emissora existia no Japão desde 1998, e aqui no Brasil, o antecessor do Animax, o Locomotion, já vinha privilegiando as animações asiáticas. Mas foi em 31 de maio de 2005, com um sinal gerado na Venezuela, que o Animax chegou de vez.

Na sua grade, animes de grande sucesso, como "Hunter x Hunter", "Evangelion", dentre outros. Melhor audiência do Animax em toda a América Latina, o Brasil ganhou um sinal gerado diretamente aqui no país, em São Paulo.

Porém, mesmo com os bons números do país, o canal ainda estava aquém do esperado. Numa forma de tentar popularizá-lo, a Sony acabou colocando filmes, seriados e reality shows distribuídos por ela, como "Lost", "That 70's Show", dentre outros. Mas nada deu muito certo.

Em 2010, houve de vez o anúncio de mudança de foco do canal. O layout foi completamente reformulado, ganhando elementos mais jovens, associando a marca ao estilo de vida urbano, musical e esportivo. Os animes, que antes eram a totalidade da programação do Animax, passaram, nessa nova fase, a fazer parte apenas da programação exibida na madrugada e pelas manhãs.

O último anime a estrear pelo canal foi "Fullmetal Alchemist: Brotherhood", e ainda assim ele foi parar nas madrugadas, no tardio horário das 3h. No início de 2011, o inevitável: o Animax foi descontinuado, e assim a Sony decidiu lançar o Sony Spin, mais voltado ao público jovem.

O fim do único canal de animes da história da TV nacional foi melancólico, mas mesmo assim não dá para não dizer que ele não fez história.

 

Gabriel Vaquer escreve sobre mídia e televisão há vários anos. No NaTelinha, é responsável por reportagens variadas e especiais. Na coluna "Antenado", fala sobre TV aberta quando a necessidade pedir. Já no "Eu Paguei Pra Ver", conta histórias curiosas sobre a TV por assinatura no Brasil. Converse com ele. E-mail: gabriel@natelinha.com.br / Twitter: @bielvaquer



TAGS:

COMENTÁRIOS