Relembre cinco novelas com nomes de pedras preciosas

SBT exibiu algumas "joias" ao longo de seus 34 anos

"Pérola Negra" caminha para sua quarta exibição no SBT - Divulgação

Publicado em 09/06/2015 às 15:40:08

Por: Thiago Forato

Com mais de seis décadas de teledramaturgia, a televisão já transmitiu novelas com os mais diversos nomes, aqueles esquisitos, que não fazem o menor sentido em português, outros com títulos fortes e também uma categoria que fez muito sucesso: o de pedras preciosas. 
 
Não raramente, novelas brasileiras ou não tiveram algum sucesso por aqui com nomes tão valiosos. O NaTelinha lista para você cinco delas que foram exibidas ao longo desses anos.
 
Confira:
 
5. Topázio
 
Além de ser uma pedra bastante valiosa, "Topázio" foi uma novela que o SBT exibiu em 1992, produzida em 1984 pelo canal venezuelano RCTV. Foi a primeira da leva que a emissora exibiu levando uma "joia" no título.
 
A trama é uma adaptação de "Esmeralda", que foi exibida em 1970 pela Venezuela, com texto de uma autora cubana. 
 
A história é a mesma, uma menina cega (Topázio) que se apaixona por um homem rico, dono de fazenda, que foram trocados quando nasceram.
 
4. Esmeralda
 
 
Remake de "Topázio", "Esmeralda" não só fez sucesso no México, como também no Brasil.
 
Pelo SBT, a versão mexicana foi transmitida entre 2000 e 2001 com relativo sucesso, sendo feito um remake com Bianca Castanho como protagonista quatro anos mais tarde.
 
 
A novela teve o segundo lugar isolado em suas exibições, sobretudo na primeira, quando exibida às 20h15, e mesmo em seus capítulos finais, quando concorria com "América", na Globo, chegou a picos de quase 20 pontos no Ibope.
 
O folhetim ainda foi reprisado em 2010 e mais recentemente, entre 2014 e 2015.
 
3. Cristal
 
 
Mais um folhetim protagonizado por Bianca Castanho e mais uma história baseada numa produção venezuelana.
 
"Cristal" foi produzida em 2006 pelo SBT com a promessa de ampliar os investimentos na dramaturgia dentro da emissora, criando cenários mais luxuosos e espaçosos para adentrar o universo da moda. Dado Dolabella era o mocinho da história, e quem cantava o tema de abertura.
 
A novela é também uma adaptação de "O Privilégio de Amar", que foi exibida com sucesso pelo SBT sucedendo "A Usurpadora" em 2000, mas logicamente, sem a mesma repercussão.
 
2. Rubi
 
 
Uma telenovela diferente produzida pela Televisa em 2004, que teve como protagonista Bárbara Mori, interpretando a ambiciosa Rubi, um remake mexicano de 1968.
 
Com cenários deslumbrantes e paradisíacos, a novela não foi um grande sucesso na primeira exibição pelo SBT, em 2005. Com apenas 77 capítulos no horário das 19h15, a trama encontrou dificuldades para emplacar, mas surpreendeu nas fases finais, alcançando dois dígitos de média, quando foi para o horário das 19h50, depois do "Programa do Ratinho" e fazendo sala de espera para o "Roda a Roda", que estava no auge.
 
Reprisada pela primeira vez em 2006, "Rubi" ganhou a preferência do telespectador vespertino, e desta vez sendo exibida em 112 capítulos.
 
Em 2013, mais uma reprise nas tardes, com 117 capítulos, e não eram raras as vezes em que conquistava a liderança em cima da "Sessão da Tarde", da Globo.
 
1. Pérola Negra
 
A história protagonizada por Patrícia de Sabrit e Dalton Vigh interpretando Pérola e Tomás, respectivamente, foi produzida em 1997. Mas só exibida cerca de um ano mais tarde por conta da política da emissora, que estocava novelas por economia.
 
O folhetim fez sucesso e ganhou a primeira reprise cinco anos mais tarde, em 2004, fazendo dobradinha com "Maria do Bairro", que juntas incomodavam e muito a Globo no Ibope. Era exibida às 14h15.
 
Em 2010, "Pérola Negra" ganhou mais uma reprise e a aceitação foi tanta que o SBT esticou a trama. Com menos tempo de arte, a novela terminou com 205 capítulos transmitidos, superior aos 191 originais. 
 
A partir do dia 29 de junho, o SBT já anuncia a terceira reprise de "Pérola Negra", que desta vez vai suceder "Maria Esperança".


COMENTÁRIOS