Reportar erro
Notícias

Antropólogo nega acusações de Paulo Betti e detona: "isso é uma calúnia"

Ator disse que foi agredido verbalmente por causa de personagem na novela "Império"

teopereiraimperio.jpg
Divulgação/TV Globo
Fabrício Falcheti

Publicado em 05/05/2015 às 20:44:36

O antropólogo, colunista e professor universitário Roberto DaMatta (foto/abaixo) está revoltado com o ator Paulo Betti, que desabafou em seu Facebook no último domingo (03) o acusando de ter sido grosseiro e dito barbaridades contra personagens gays em novelas.

Betti interpretou o jornalista Téo Pereira na novela "Império".

Em conversa com o UOL, Roberto DaMatta bradou: "Isso é uma calúnia, ele trocou tudo o que falei pra ele. Estou disposto a ir neste negócio até o fim. Estou sendo acusado de um negócio que não fiz. Essa versão que ele deu já é diferente da que ele deu numa estação da rádio na quinta-feira. Eu o cumprimentei pelo papel, que aliás ele fez pessimamente, muito pior do que os atores que fizeram antes dele. Não se compara com o Crô, do Marcelo Serrado e nem aquele senhor negro que não lembro o nome [Aílton Graça]. Encontrei com ele numa festa de aniversário no dia 24 de abril".

Apesar de considerar uma calúnia o que foi escrito pelo ator, o antropólogo disse que não pretende levar essa história para a Justiça: "Não sei, provavelmente não. Como brasileiro e como homem da paz, não estou afim de  brigar com ninguém. Atendo centenas de telefonemas. Já escrevi mais de mil crônicas e não tenho uma linha contra o homossexualismo, que considero um assunto pessoal".

E finalizou: "É uma mistura de má fé com pressupostos que são típicos do partido que ele está aliado. Este tipo de calúnia faz a gente se sentir muito mal, mas tem um monte de gente que está do meu lado. Estou com 78 anos e dou aula há 50, minha carreira é impecável, nunca fui acusado de nada".

Depois, em comunicado enviado por e-mail, Roberto DaMatta esclareceu o que aconteceu e mais uma vez se defendeu: "No mencionado encontro, parabenizei o ator por sua atuação na novela 'Império', da Rede Globo, no papel do personagem Téo Pereira. Em seguida, disse que ele se preparasse para eventuais reações homofóbicas, dados os preconceitos infelizmente ainda existentes na nossa complexa e multifacetada sociedade. E mais não houve. Excluindo a hipótese de má fé deliberada, motivada por questões de outra ordem, políticas ou não, somente posso supor que um grande ruído de comunicação possa ter ocorrido, fazendo com que os significados dos significantes da minha comunicação tenham sido erroneamente interpretados".

Procurado, Paulo Betti não quis polemizar ainda mais e afirmou que o que de fato aconteceu foi descrito no Facebook. "Não quero me alongar mais sobre isso", finalizou.

Leia a crítica do ator na íntegra:

"Amigos, relutei em escrever aqui o que aconteceu comigo, mas como envolve pessoa pública, achei que seria relevante : perguntado por uma ouvinte num programa da MPB fm, se fui agredido por ter feito o personagem gay Teo Pereira, na novela Imperio, de Aguinaldo Silva, eu já me preparava pra responder que não, tal a quantidade de carinho que recebo pelas ruas, quando me lembrei de um fato recente e não pude mentir pra ouvinte que me perguntou e para os ouvintes e disse no ar: fui agredido sim, verbalmente e com muita violencia, pelo famoso sociólogo Roberto da Mata, professor e escritor, que na frente da própria esposa, me falou barbaridades contra personagens gays em novelas, não direi as palavras pronunciadas em respeito aos meus amigos do facebook, mas faço esse breve depoimento em nome da verdade e do respeito que os gays merecem. Contra a homofobia e sabendo mais sobre Roberto da Mata".

"Império" chegou ao fim no início de março com grande audiência e entregou o horário para "Babilônia", que derrubou tudo e está passando por uma profunda reforma para tentar se reerguer.