Reportar erro
Notícias

"Foi só uma transa", diz Edmundo sobre relação com Cristina Mortágua

Em entrevista a Leo Dias, da TV NaTelinha, ex-jogador também falou sobre filho homossexual: "Ele tem o direito de ter a dele, dou total apoio"

img20121205102929.jpg
Foto: NaTelinha
Redação NT

Publicado em 05/12/2012 às 14:28:39

Ex-jogador e atual comentarista de futebol da Band, Edmundo concedeu uma entrevista exclusiva ao jornalista Leo Dias, da TV NaTelinha.
 
Na conversa, ele falou sobre futebol, Band e polêmicas envolvendo a modelo Cristina Mortágua, com quem teve um filho, Alexandre, hoje com 18 anos.
 
Sobre a Band, Edmundo se diz realizado: "Estou muito feliz. A Band é uma casa maravilhosa, um lugar onde me sunto super à vontade, uma família. A Band é uma emissora familiar e hoje graças a Deus eu faço parte dela".
 
Questionado por Leo Dias, o comentarista relevou que já recebeu proposta para ser político. "Mas eu tinha que largar o futebol e a televisão. Como eu estou muito feliz no que eu faço, acho que ainda não é o momento. Mas acho que futuramente eu engaje numa situação política porque graças a Deus eu estou bem financeiramente e profissionalmente e está me dando muita vontade de ajudar as pessoas".
 
Em 1994, Edmundo teve um envolvimento com a modelo Cristina Mortágua, quando teve um filho, Alexandre.
 
Perguntado pelo jornalista, o comentarista revelou: "Só tive uma noite com a Cristina Mortágua, só uma transa. Não houve nenhum compromisso. Aí depois, em função da gravidez, nós tivemos outros contatos".
 
Sobre o mesmo assunto, Edmundo disse: "Pago uma pensão absurda a ele, de R$ 18.660 e ainda com décimo terceiro".
 
"Se botar na ponta do lápis, um garoto de 18 anos não precisa disso. Mas isso não é da minha alçada, meu advogado tenta de vez em quando reduzir, mas...", completou.
 
Alexandre Mortágua é homossexual assumido. Questionado sobre o assunto, o ex-jogador comentou: "Não tenho nenhum tipo de problema quanto a isso. Tenho vários amigos gays e me relaciono bem com todos eles".
 
E foi além: "Isso é uma opção. Ele tem o direito de ter a dele, eu respeito, dou total apoio... Mas que ele estude, que trabalhe, que tenha uma profissão, que seja educado, responsável. Uma coisa não tem nada a ver com a outra, mas os princípios básicos de educação eu tento passar de uma maneira. E acho que se ele tiver esses princípios, a opção sexual é irrelevante".
 
Edmundo falou muito mais. Assista a entrevista na íntegra: