Reportar erro
Notícias

As canções e irritações de Paula Toller no Irritando Fernanda Young

Redação NT

Publicado em 02/03/2008 às 07:52:03

O “Irritando Fernanda Young” deste domingo, 2, à 0h, reapresenta a entrevista com a cantora Paula Toller. À frente do Kid Abelha, ela diz que se irrita com a fama de que todos eram loucos por ela na década de 80 e que era muito mais moleca do que sex symbol. “Eu não me acho tão bonita assim. A gente faz coisas para ficar bonita, mas quando você acorda de manhã...”, diz aos risos.

 

Paula conta que não gosta muito de se expor e que o local para essa exposição é somente o palco. “Durante os shows, tem uma energia legal, uma energia forte! Eu gosto de me expor dentro daquilo”. Apesar de manter a discrição, a cantora conta que sua analista tem formação jornalística e que isso parece contraditório em certos momentos: “Eu conto tudo para um jornalista”.

 

Perguntada sobre o significado das letras das músicas, ela revela que não gosta dar muitas explicações, que cada um entende do jeito que faz sentido para si. E ela afirma que não usa a música para se vingar de nenhum desafeto: “Não me vingo com as letras não. Eu sou muito cabeça”. Ainda sobre as letras, ela faz uma revelação quando Fernanda Young canta o trecho de uma de suas preferidas: “Fazer amor de madrugada, amor de jeito de virada...”, trecho de “Píntura Íntima”, sucesso do grupo. A cantora confessa já ter feito amor na praia. “Mas naquele tempo não tinha câmeras digitais nos celulares”, completa.

 

Durante o bate-papo, Paula diz que ter uma família complicada teve seu lado positivo em sua vida, já que se sentiu mais solta para escolher seu caminho ainda bem jovem. Ela sempre leu muito no colégio e essa foi sua educação. E ela também adora estudar línguas: “É uma espécie de malhação mental, é sensacional. Além disso, se aprende também sobre a cultura do povo que fala aquela língua”.

 

Paula, que é casada com o cineasta Lui Farias, é mãe de Gabriel, de 16 anos, para quem escreveu a música “Barcelona”. Ela diz não sofrer da “síndrome do ninho vazio” com o amadurecimento do filho: “É uma grande alegria para mim nesse momento. É o que tem que ser feito”.

 

Ela falou também sobre a inveja que causou em muitas mulheres por ter participado de um especial com Chico Buarque.  “O Chico olhava para um lado e eu para o outro. Eu era praticamente uma menina naquele momento”, admite sobre a timidez vivida naquele momento.

 

Atualmente, em paralelo ao Kid Abelha, Paula também faz sucesso com sua carreira-solo e confirma que a amizade entre os integrantes da banda não ficou abalada mesmo com o trabalho individual de cada um. “A gente se dá muito bem. Antigamente saíamos muito juntos, fazíamos muitas coisas juntos. Agora cada um tem a sua família”, admite.


Irritando Fernanda Young
GNT - Canal Globosat
No ar todos os domingos, à meia-noite