Reportar erro
Colunas

Na disputa por Tancinha, Apolo irrita e Beto agrada em "Haja Coração"

Personagem do publicitário é mais interessante na história

hajacoracao-tancinha-beto.jpg
Fotos: Divulgação/TV Globo
Redação NT

Publicado em 23/07/2016 às 17:07:32

Em "Haja Coração", Apolo (Malvino Salvador) é o típico bom moço bronco. Sonhador, apaixonado por sua Tancinha (Mariana Ximenes), mas que morre de ciúmes e não hesita em demonstrar isso. Beto (João Baldasserini) é um mocinho às avessas. Um tanto mimado e cismado com a beleza da jovem feirante, quer porque quer conquistá-la. Só não contava que fosse ser “picado” pelo bichinho do amor, algo até então estranho a ele. Nesse triângulo amoroso, quem até agora sai na frente é, disparadamente, o Beto.
 
A paixão do publicitário, especialmente da forma que está sendo desenvolvida na trama de Daniel Ortiz, se tornou mais interessante que as idas e vindas cansativas do casal original. Beto pode até não ser exatamente um homem totalmente íntegro, já que apronta das suas pra poder se aproximar e envolver Tancinha, mas a empatia e até mesmo a química dos dois fazem com que esses desvios sejam atenuados. 
 
O Beto, em si, é bem mais envolvente como personagem que o Apolo. O caminhoneiro, da forma que foi colocado até agora, se mostrou um cara pedante, chato e agressivo demais. Extremamente desconfiado, sempre implode e briga quando vê alguma situação capciosa envolvendo sua amada. Claro que ciúmes são normais em qualquer casal, ainda mais na dramaturgia. Mas aqui, soa chato e vira um circulo vicioso.
 
 
A atuação de Malvino Salvador não colabora também. A impressão que fica é que ele está fazendo o mesmo tipo, igual ao de suas participações em “Sete Pecados”, “Caras & Bocas” e “Amor à Vida”.  Já João Baldasserini só merece elogios. 
 
Depois de personagens carregados como o cabeleireiro-bandido Henri de “O Astro” ou o obsessivo Joel de “Felizes Para Sempre?”, está seguro e divertido lidando com seu primeiro papel cômico. 
 
Sempre bom lembrar e ratificar que não cabe, de forma alguma, comparativos com “Sassaricando”, a história que serviu de base para a atual novela das 19h. Outra novela, outros tempos. E nesses de hoje, o coração de Tancinha merece muito mais o Beto.


Diogo Cavalcante é formando em jornalismo. Amante de televisão e apaixonado por novelas, fala sobre o assunto desde 2013. É um dos maiores especialistas sobre Classificação Indicativa na internet.
 
Mais Notícias