Reportar erro
Colunas

Despreparo de comentaristas estraga bem intencionada Eurocopa na Band

Antenado

eurocopa2016-logogrande.jpg
Divulgação
Redação NT

Publicado em 23/06/2016 às 18:35:11

Passada a primeira fase da Eurocopa, dá pra fazer um bom panorama da cobertura que se tem realizado na TV aberta, principalmente a Band, que passou quase todos os jogos da competição.

É inegável que existe uma boa vontade de fazer um excelente trabalho, tanto que a grade foi flexibilizada para atender as partidas e também as informações. Um bom destaque, por exemplo, é Larissa Erthal. Segura, divertida e simpática, ela é hoje a melhor apresentadora esportiva que a Band tem.

Já na narração, Téo José segue competente, e Datena continua muito bonachão e divertido. Só por ele estar ali, vale a pena ver. Sabe manter as atenções e acaba virando uma atração à parte. O único porém é a parcialidade.

No jogo entre Hungria e Portugal nesta última quarta-feira (22), Datena torcia descaradamente por Portugal, provavelmente por conta do bom Ibope que ele traz pra Band. "Vamos torcer pela virada de Portugal", disse ele em dado momento. Voltamos ao século 19 e viramos colônia portuguesa novamente?

Ao bem da verdade, não há mais coisas para serem elogiadas. O conteúdo de pré-jogo, por exemplo, é pobre. Perguntas óbvias e comparações descabidas com jogadores brasileiros. Além disso, piadas com "nomes difíceis" são constantes. Parece encheção de linguiça para cobrir o despreparo da falta de acompanhamento do futebol europeu.

Inclusive, essa é a principal crítica. Neto, Edmundo e Denílson, que estão comentando os jogos, parecem terem caído na terra do nada. Na grande maioria dos jogos, não são raras as falas de "Eu não conheço esse jogador". Na minha opinião, colocar quem não conhece e não acompanha o futebol praticado na Europa para comentar uma competição europeia é bizarro. Beira o desleixo inclusive. E prejudica toda uma cobertura, feita sim com a melhor das intenções.

A Band tem o "DNA do esporte", como diz sempre Téo José. Mas esse DNA precisa ser melhor aproveitado. Não dá para escalar quem nunca viu um jogo das seleções que estão no torneio - e não se pode ter a desculpa de falta de pesquisa, TV por assinatura e internet estão aí pra isso.

Uma pena, pois em questão de visibilidade e espaço para a Eurocopa, a Band faz um bom trabalho. Poderia realizar uma cobertura redonda, mas o despreparo dos comentaristas atrapalha e muito.


Gabriel Vaquer escreve sobre mídia e televisão há vários anos. No NaTelinha, é responsável por reportagens variadas e especiais. Na coluna "Antenado", fala sobre TV aberta quando a necessidade pedir. Já no "Eu Paguei Pra Ver", às segundas, conta histórias curiosas sobre a TV por assinatura no Brasil. Converse com ele. E-mail: gabriel@natelinha.com.br / Twitter: @bielvaquer

TAGS:
Mais Notícias