Cinco aberturas de novelas que foram melhores que suas histórias

Fotos: Divulgação

Publicado em 18/06/2016 às 08:14:44

Por: Sem autor

Novelas são a grande paixão nacional, e isso é inegável. Mas nem todas as tramas pegam de imediato. Elas até podem dar Ibope, mas não geram repercussão, não criam assunto nas ruas.

Só que a lista que mostraremos para você agora tem algo peculiar: foram novelas que não fracassaram, nem fizeram um estrondoso sucesso, mas tinham aberturas belíssimas, que chamavam mais a atenção do que a própria história em si.

Veja agora cinco aberturas de novelas melhores que a própria trama, segundo análise do NaTelinha:

5º lugar - "Caminho das Índias" (Globo, 2009)

"Ué, mas "Caminho das Índias" não ganhou o Emmy?", pergunta o nobre leitor. Sim, mas aqui entre nós, o motivo disso ninguém sabe. Apesar do apelo do casal protagonista Raj (Rodrigo Lombardi) e Maya (Juliana Paes), 98% das tramas da novela eram extremamente medianas e chatas. Deu bom Ibope em sua exibição original, mas derrubou a audiência das tardes em sua recente reprise, na comparação com "O Rei do Gado".

Mas ninguém ousa falar que "Caminho das Índias" tem uma abertura ruim, muito pelo contrário. Uma das últimas feitas por Hans Donner na Globo antes de se aposentar, o clipe é inesquecível e empolgante. Era ela, no fim das contas, que fazia valer ver a recente reprise. Certamente, é a abertura mais bonita da década passada.

4º lugar - "Os Mutantes" (Record, 2008)

Recentemente, o NaTelinha falou sobre o sucesso que "Os Mutantes" fez. Realmente chegou perto da Globo e quase foi primeiro lugar, mas a novela foi massivamente criticada. Ilógica até para os padrões de ficção científica, dantesca, cheia de efeitos bizonhos, fora o roteiro batido e arrastado fizeram a trama chegar ao insuportável.

Provavelmente, a Record e sua equipe gastaram toda a cota de qualidade da novela na abertura, que ficou extremamente correta. Com efeitos pontuais e certeiros, harmonia perfeita com a música da banda 14-Bis e resumo excelente do que deveria ser a história na prática. Deveria. Terminou com 14 pontos de média, nada mal para a Record. Mas para quem começou ameaçando a Globo, só ser lembrada pela grande abertura foi pouco.

3º lugar - "Tocaia Grande" (Manchete, 1995)

A Rede Manchete viveu em crise por toda a sua trajetória, mas sempre manteve a qualidade técnica de suas produções. "Tocaia Grande" foi comandada pessoalmente por Adolpho Bloch, dono da estação, até a sua morte. Ele esperava que a Manchete recobrasse a audiência e o prestígio que tinha com a trama, o que de bate-pronto não aconteceu.

A trama capengou e marcou apenas 3 pontos em sua primeira metade, mas com a chegada do diretor Walter Avancini e a colocação de forte apelo sexual na novela, conseguiu fechar com 10 pontos de média geral, não entregando terra arrasada para o sucesso "Xica da Silva".

O grande chamariz do folhetim acabou mesmo sendo sua abertura. Com ares cinematográficos e fotografia digna de grandes filmes, o clipe de "Tocaia Grande" é uma obra-prima.

2º lugar - "Deus nos Acuda" (Globo, 1992)

Com teor político, "Deus Nos Acuda" não fez muito sucesso quando foi ao ar, mesmo tendo consagrado o casal Claudia Raia e Edson Celulari. Porém, o que realmente chamou a atenção foi a abertura criada por Hans Donner. Na época, o Brasil estava afundado em denúncias de corrupção - 24 anos e não mudou muita coisa....

Para satirizar o momento, Donner colocou o Brasil sendo sugado por uma lama movediça. No fundo, pedia: "Para mudar os políticos, a população precisa mudar primeiro". Mais atual, impossível.

1º lugar - "Ana Raio e Zé Trovão" (Manchete, 1990)

Sucessora de "Pantanal", "Ana Raio e Zé Trovão" é uma novela até certo ponto injustiçada. Não segurou o Ibope fenômeno da história de Juma Marruá, mas também não fez feio: média geral de 16 pontos e não raramente vencendo a Globo.

Além disso, a novela sofreu com o esticamento exagerado da Manchete - de 175 previstos, viraram 251 -, já que o Ibope era bom para os padrões da emissora. E quem viu a reprise do SBT, entre 2010 e 2011, sabe que o esticamento fez mal pra história: até a metade, ela é muito boa. Depois, desanda.

Mas sem dúvida, "Ana Raio" possui a mais bela abertura de novela da Manchete na história. Feita por Adolfo Rosenthal, que criou outros belos clipes na casa, como "Kananga do Japão" e "Pantanal", Adolfo se superou nesa. A câmera é uma espécie de janela de caminhão de caravana, que viaja todo o Brasil, assim como os personagens da novela nômade. É uma abertura "com alma", como mesmo definiu o diretor do folhetim na época, Jayme Monjardim.



TAGS:

COMENTÁRIOS

Fechar X